Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

ERROS E ACERTOS

Homenagens a Marília Mendonça na TV são marcadas por choro e equívocos

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

A cantora Paula Fernandes com expressão de choro e microfone na mão durante participação no Domingão com Huck

Paula Fernandes não segurou as lágrimas em homenagem a Marília Mendonça no Domingão com Huck

FERNANDA LOPES

fernanda@noticiasdatv.com

Publicado em 9/11/2021 - 11h48

A morte de Marília Mendonça (1995-2021), vítima de um trágico acidente de avião na última sexta (5), surpreendeu e entristeceu o Brasil inteiro. As emissoras de TV tiveram de se mexer para preparar às pressas as homenagens para a rainha da sofrência. Alguns programas e apresentadores acertaram no tom, na emoção e no conteúdo exibido, enquanto outros cometeram equívocos e irritaram fãs com declarações e iniciativas consideradas desrespeitosas.

Logo na sexta-feira à noite, a Globo derrubou o Globo Repórter que seria veiculado naquele dia para exibir uma homenagem, com trechos de entrevistas da cantora e do documentário Marília Mendonça - Todos os Cantos, produção do Globoplay que registrou shows da sertaneja pelo Brasil e depoimentos dela e de sua equipe.

A programação também foi modificada no sábado (6) e no domingo (7): o Caldeirão e o Zig Zag Arena não foram exibidos também para dar lugar aos trechos de Todos os Cantos e vídeos de shows de Marília. 

As decisões foram acertadas não só em respeito à memória da cantora como também em relação à audiência da emissora: telespectadores de fato consumiram muito mais as informações e homenagens a Marília, e a Globo registrou recordes de audiência ao longo de todo o final de semana

Este fato, no entanto, não se repetiu no SBT: a emissora de Silvio Santos errou ao demorar para entrar no assunto do acidente da cantora e foi criticada por isso nas redes sociais. Por exibir o que já estava programado, a emissora acabou com recorde negativo no ibope. 

De forma geral, quem ligou a TV em algum momento entre o fim da tarde de sexta e a manhã de segunda (8) certamente foi impactado por homenagens e cobertura intensa sobre o acidente que matou a principal cantora sertaneja do Brasil.

reprodução/TV Globo

Domingão foi de muito sofrimento

Os equívocos

No sábado de manhã, o É de Casa dedicou boa parte de suas horas no ar para repercutir o acidente e a morte de Marília Mendonça. Nem todas as tentativas do programa de entrar no assunto foram bem-sucedidas. Susana Vieira participou da atração e comentou sobre o machismo no sertanejo, mas logo deixou de focar nesse setor para falar de si mesma

A cantora Simaria Mendes, convidada do É de Casa, também foi criticada por seu suposto egocentrismo. "Eu nunca saí da minha casa sem orar, sem pedir a Deus que nos levasse em paz até os lugares. Eu ia dentro do avião escutando louvores, porque era a forma que me sentia segura. Todas as vezes que entro no avião faço esse pedido: que Deus coloque as mãos embaixo do avião", afirmou ela. A acusação soou de mau tom para os fãs.

Mas a homenagem que mais chamou a atenção do público foi a promovida por Luciano Huck no Domingão. Todo o programa foi dedicado a Marília Mendonça, e vários cantores que eram amigos dela foram convidados a comparecerem e cantarem músicas da rainha da sofrência.

A iniciativa pode ser considerada boa, mas claramente o fato ainda era muito recente, todos estavam muito abalados. Paula Fernandes, Luísa Sonza e Thierry choraram no palco, em cenas muito sofridas de se assistir.

Naiara Azevedo sorriu em alguns momentos e foi criticada por isso, por pessoas que acharam que ela não estava vivendo o luto propriamente --na realidade, cada ser humano lida com essas situações de forma única, não há certo ou errado que se possa julgar num caso como esse. 

Os grandes equívocos, no entanto vieram de Luciano Huck. Nas redes sociais, o público ressaltou certa falta de traquejo dele na situação. O apresentador chegou a falar que Luísa Sonza não devia mais chorar, ficou falando sobre seu próprio acidente de avião (um caso de final feliz, bem diferente do acidente de Marília) e conversou com um profissional em aviação sobre o que pode ter acontecido no avião e na tragédia com a cantora. 

Essa iniciativa, apesar de informativa, também se mostrou equivocada por ter sido feita num momento de muita emoção, muita tristeza e na frente dos amigos da sertaneja, que ainda estavam em profundo sofrimento. 

Houve ainda situações de gordofobia em relação à artista. Huck comentou que, quando Maiara, Maraisa e Marília estiveram em seu programa, em outubro, as três estavam magrinhas. Ana Maria Braga também foi detonada após comentar, no Mais Você de segunda, que Marília Mendonça havia morrido justo agora, quando havia enfim emagrecido.

"Ela fez tanto pra chegar nesse shape lindo, físico, né? Ela emagreceu, criando um caminho pra ela, que fazia sentido, com esse vozeirão. E, de repente, ironia do destino que morreria dali a quatro, cinco dias", disse a apresentadora, que foi chamada de "sem noção" por telespectadores. Os comentários sobre o visual da sertaneja mostraram que a ditadura da beleza e a patrulha sobre o corpo da mulher não cessam nem mesmo quando ela morre.

Reprodução/tv globo

Yasmin Santos cantou música de Marilia

Os acertos

Nem toda emoção precisa vir acompanhada de sensacionalismo e forçação de barra. O Fantástico apresentou muito conteúdo sobre o caso de maneira respeitosa e ao mesmo tempo oferecendo o que o público queria saber, por diferentes perspectivas.

Além de reprisar a entrevista mais recente de Marília, o jornalístico contou a trajetória de vida dela desde a infância, entrevistando desde as professoras de colégio, a criança que cantou com a artista em seu último show e até Murilo Huff, ex-namorado e pai do filho da cantora. Ele se emocionou bastante ao falar dela pela primeira vez desde a morte. Além disso, muitos artistas cantaram suas versões de sucessos de Marília, em belas homenagens.

Na segunda, houve choro no Mais Você. Ana Maria Braga reapresentou uma entrevista com a cantora de abril deste ano e falou sobre o legado dela com Zezé Di Camargo. Ambos não seguraram as lágrimas e demonstraram sentirem mesmo muita saudade da goiana. 

Por fim, no Encontro, Patrícia Poeta e Manoel Soares conduziram entrevistas com pessoas que tinham diferentes informações e perspectivas sobre a cantora, como um jornalista especializado em música sertaneja, uma integrante de um fã-clube e Yasmin Santos, cantora que tinha Marília como sua referência. Até Fátima Bernardes, que está de licença médica, apareceu para prestar homenagem. 

Os erros, tanto nos tributos quanto na cobertura jornalística, foram graves e não foram poucos. Mas fica claro que houve também um grande esforço, louvável, para celebrar a carreira e o legado de Marília Mendonça.


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.