Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ROBERTO FROTA

Ator do SBT que fez Amor de Mãe entrega bastidores das demissões na Globo

REPRODUÇÃO/SBT

Roberto Frota como José Ricardo em Chiquititas (2013), no SBT

Roberto Frota como José Ricardo em Chiquititas, no SBT; ator fez participação em Amor de Mãe, na Globo

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 18/10/2020 - 7h10

No ar como o vilão José Ricardo na reprise de Chiquititas (2013), no SBT, Roberto Frota fez uma participação recente em Amor de Mãe. Ao reencontrar amigos veteranos nos Estúdios Globo, o ator de 81 anos entrega que uma das conversas da turma era a onda de demissões na casa. "Era uma coisa que a gente estava prevendo", conta.

Em dezembro último, Frota fez uma participação especial na novela das nove e contracenou com Adriana Esteves (Thelma) e Chay Suede (Danilo). No enredo, ele deu vida a Onofre, um fornecedor de bacalhau do restaurante da família. De volta à Globo após Tempo de Amar (2017), ele conta que a atual política de corte de gastos é tema frequente entre os colegas da classe.

"Nós trocamos ideias. Estávamos prevendo que ia acontecer por conta de várias mudanças feitas estruturalmente, na renovação dos quadros de executivos e na nova filosofia de trabalho", entrega ele ao Notícias da TV

Adriana Esteves (Thelma) e Roberto Frota (Onofre) em cena de Amor de Mãe (Foto: Reprodução/TV Globo)

"É uma coisa no sentido oposto ao que o doutor Roberto Marinho [1904-2003] preconizava. Acho que é uma consequência natural, porque, na verdade, a Globo está dispensando, mas está dispensando de um vínculo contratual. Mas está contratando os mesmos atores e atrizes para outras obras", minimiza.

Com mais de 50 anos de carreira, o veterano confidencia que apesar das mudanças, ele e seus colegas têm um pensamento em comum: os trabalhos virão. "Uma coisa que eles [a Globo] jamais vão deixar de buscar é a qualidade. Tarcísio [Meira] e Glória [Menezes] têm qualidade e não vão ficar fora do mercado. O que vai figurar é isso: a qualidade", analisa.

Nos últimos meses, além de Tarcísio e Glória, a Globo dispensou outros nomes da sua lista de medalhões como Antonio Fagundes, Renato Aragão e Miguel Falabella. Aguinaldo Silva, Zeca Camargo, Vera Fischer e José de Abreu também foram cortados. Desses nomes, Fagundes deve negociar seu retorno à emissora para atuar em Pantanal.

Vilão maquiavélico de Chiquititas

Atualmente, Frota pode ser visto na reprise de Chiquititas (2013), no SBT. Na pele de José Ricardo, fundador do Orfanato Raio de Luz, ele é, na verdade, o grande vilão da história infantojuvenil.

No decorrer da trama, descobre-se que ele é o avô maldoso de Mili (Giovanna Grigio), criada como órfã a mando dele. A menina é fruto do amor proibido de Gabi (Naiumi Goldoni), filha do ricaço, e Miguel (Daniel Andrade). "É um vilão respeitável", aponta.

Hoje, ao rever o folhetim, ele entrega que a trama das meninas é assustadora. "É um sofrimento de cortar o coração. É maquiavélico e aterrorizante do ponto de vista de uma criança", considera.

"Mas eu vejo pela história da arte. William Shakespeare [1564-1616] também tinha tramas horrorosas de assassinatos, de matar o tio ou a mãe. Então, acho que faz parte (risos). O ser humano tem um componente que se sente atraído por isso desde criança (risos)", descreve.

Mesmo na pele do avô desalmado que separou mãe e filha, Frota faz sucesso entre o público infantil. O motivo, talvez, seja a redenção de seu personagem. Ao morrer, José Ricardo consegue o perdão do filho Junior (Guilherme Boury), e a cena de despedida amoleceu os coração com buraquinhos dos fãs da novelinha. Além disso, em testamento, ele deixa Carol (Manuela do Monte) reinar como diretora do orfanato, o que faz a alegria das internas.

"Recebo muitas mensagens [no Instagram]. De vez em quando gravo um vídeo ou outro porque tem muita mãe que pede. Incrível a extensão de uma novela como essa. É impressionante", comemora.

"Outro dia, tive uma experiência interessante. Estava em um shopping, no Rio de Janeiro, e uma menina veio andando com a mãe na minha direção, e a expressão do rosto dela foi se transformando porque ela não acreditava. Quando chegou perto de mim, falou: 'Meu Deus, você é gente'. Ela não me associava a um ser humano (risos)", diverte-se.

Durante a quarentena, Frota seguiu o isolamento social à risca por ser do grupo de risco. No entanto, não parou de trabalhar. Ele está à frente de dois projetos como ator e diretor. Nesta segunda-feira (19), estreia virtualmente a peça Só Acaba Quando Termina. Também neste mês, inicia os trabalhos como diretor do filme Rabo Preso. "Parado não estou. Eu não aguentaria (risos)", finaliza.

Confira cenas de Roberto Frota em Chiquititas:


Últimas de Chiquititas


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?