Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NOVOS TEMPOS

Nem Antonio Fagundes se salva do 'facão' da Globo: Ator fica sem contrato após 44 anos

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Antonio Fagundes interpretando Alberto, de Bom Sucesso

Antonio Fagundes interpretou Alberto na novela Bom Sucesso (2019), seu último papel na Globo

REDAÇÃO

Publicado em 15/9/2020 - 6h20
Atualizado em 15/9/2020 - 10h38

Após 44 anos de contrato com a Globo, Antonio Fagundes não faz mais parte do elenco fixo da emissora. O fim do vínculo de um dos atores mais icônicos do elenco de novelas é resultado da política de cortes de gastos que a empresa está implementando por conta da pandemia do coronavírus, que reduziu suas receitas publicitárias em cerca de 30%. O veterano de 71 fez sua estreia na Globo em Saramandaia (1976), de Dias Gomes.

As informações são do jornal Extra e foram confirmadas pelo Notícias da TV com a Globo. Apesar do fim do contrato, Fagundes poderá voltar ao ar já em 2021 no remake de Pantanal (1990). O ator seria o mais forte candidato a interpretar José Leôncio, papel que foi de Claudio Marzo na versão original da novela de Benedito Ruy Barbosa, exibida na Manchete.

"A Globo está adotando novas dinâmicas de relação com seus talentos. Assim, o contrato com o Fagundes foi encerrado e devemos negociar o retorno dele para Pantanal", diz a nota da Globo enviada à reportagem.

Fagundes agora passa a compor a lista de medalhões da Globo dispensados em 2020, como Tarcísio Meira e Glória MenezesRenato Aragão, que também tinha 44 anos de casa, e Miguel Falabella. Além de Aguinaldo Silva, Zeca Camargo, Vera Fischer e José de Abreu, que também foram cortados.

A última novela do ator foi Bom Sucesso (2019), de Rosane Svartman e Paulo Halm. Na pele do rabugento Alberto, Fagundes dividiu o protagonismo da trama com Grazi Massafera, e a dupla caiu no gosto do público.

Nos últimos 44 anos, Fagundes fez 26 novelas na Globo. Entre elas, grandes sucessos que se tornaram ícones da teledramaturgia, como Vale Tudo (1988), Rainha da Sucata (1990), A Viagem (1994) e O Rei do Gado (1996).

Demissões e lucro

Cortar na própria carne foi a solução encontrada pela Globo para driblar a crise, principalmente após ser forçada a paralisar as gravações de suas novelas e de boa parte dos programas de entretenimento por causa da pandemia do novo coronavírus. E funcionou.

emissora lucrou R$ 560 milhões no segundo trimestre de 2020, resultado surpreendente da redução nos custos de produção, pelo simples fato de não estar produzindo, e da política de demissões de figurões de seu elenco.

O lucro disparou 215% em relação ao mesmo período do ano passado. Entre abril e junho de 2019, sem coronavírus e com suas equipes a todo vapor, a Globo teve saldo positivo de "apenas" R$ 178 milhões. No ano passado inteiro, o lucro da Globo (incluindo Globosat e Som Livre) foi de R$ 753 milhões.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?

Vanessa Giácomo
21.13%
Lucy Alves
16.78%
Rafa Kalimann
12.63%
Isis Valverde
22.07%
Uma atriz desconhecida
27.40%