Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LANÇOU LIVRO

Fernando Rocha revela como superou demissão da Globo: 'Demorei um ano'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

De braços abertos e sentado em passarela de madeira, Fernando Rocha sorri para a câmera

Fernando Rocha em foto publicada no Instagram; jornalista precisou se reinventar após sair da Globo

VINÍCIUS ANDRADE

vinicius@noticiasdatv.com

Publicado em 7/11/2020 - 7h15

Fernando Rocha foi avisado de sua demissão da Globo em fevereiro de 2019. Na ocasião, ele era apresentador do Bem Estar. Desde então, o jornalista entrou em um processo de reinvenção e precisou de um ano para "curar as feridas" deixadas pela saída da emissora onde havia trabalhado nos últimos 26 anos.

Ao Notícias da TV, o apresentador diz que superou o turbilhão de sentimentos com os quais conviveu após a demissão, a ponto de escrever um livro, Como Ser Leve em um Mundo Pesado, para compartilhar essa experiência de vida com outras pessoas.

"Demorei um ano pra entender, pra olhar, pra limpar essas feridas, pra curar essas feridas, perceber que sentimentos eram esses que estavam comigo e onde esse caminho poderia me levar. Não são esses sentimentos que a gente enaltece, como alegria ou felicidade. Estou falando de medo, de incerteza, de tristeza, de saudade, de melancolia. Todos eles foram compondo uma luz, uma lente pra que eu pudesse enxergar", revela Rocha.

O jornalista de 53 anos admite que sentiu a sensação de cair de um caminhão de mudança quando foi informado que o seu contrato não seria renovado. No primeiro ano fora da antiga empresa, ele começou a experimentar outros trabalhos, como fazer podcasts e criar programas para plataformas online.

No livro, lançado no último mês, ele cita cinco elementos que o ajudaram nesse processo: "Foram quase 30 anos trabalhando na mesma empresa. Eu usei cinco elementos pra me levantar, que fazem parte da reestruturação de uma vida no mundo corporativo, de um relacionamento que se desfaz e tem que ser repensado, de uma vida familiar e de uma vida pessoal".

Perceber os sinais, ter iniciativa, rir de si mesmo, ser resiliente e conhecer as próprias emoções são os cinco aprendizados compartilhados por Fernando Rocha, que procura ajudar o seu leitor a pensar além do "plano B".

O livro começa com o infame episódio da despedida da clara e da gema do ovo e seu reencontro dentro do bolo, que virou meme em 2018 e ficou marcado como um dos motivos no desgaste da relação entre Fernando Rocha e a Globo. O jornalista admite que fez a brincadeira com o doutor Roberto Kalil Filho, que reprovou a piada ao vivo, em um dia inapropriado.

"Eu não entendi como a comunicação chegou. Eu contei uma piada para um médico, que estava vindo de um atendimento da madrugada inteira, no qual o paciente dele tinha morrido. Eu não quis ouvir o que estava acontecendo. É uma lição pra mim nesse sentido, de trabalhar com comunicação, de estar em uma emissora de televisão e não perceber como é importante a nossa comunicação com o outro no dia a dia", confessa.

Assista ao vídeo que virou meme abaixo:

Um ano depois do episódio, já fora da Globo, Fernando Rocha recebeu Roberto Kalil Filho em sua casa e os dois comemoraram o "aniversário do meme", uma forma de demonstrar que eles seguiram amigos e que é importante saber rir de si mesmo. Confira o encontro abaixo:


O ex-apresentador do Bem Estar não aponta o meme como o motivo decisivo para a sua saída, por considerar que o programa passaria por um processo de reformulação de qualquer maneira --Mariana Ferrão, sua companheira no comando do matinal, também foi demitida. A atração virou um quadro do Encontro e do É de Casa.

"Estava claro que alguma coisa iria mudar, e ainda bem que mudou, isso faz parte da minha história e da minha transformação. É normal do mundo corporativo fazer isso: mudar programa, começar programa, demitir pessoas, contratar pessoas", aponta ele.

"O que eu discuto é só a forma como individualmente a gente pode se reerguer depois de um tombo ou como a gente pode tornar o ambiente de trabalho. Não precisa ser demitido e passar por isso de forma tão radical, pode transformar a vida num lugar mais legal. O mundo num lugar mais legal", opina.

Volta à TV?

Feliz com o atual momento de vida e com o lançamento do livro, Fernando Rocha tem feito palestras e publicidade e está à frente de diferentes trabalhos na web. "O Instagram, o Facebook e o Twitter, redes em que eu tenho 1,5 milhão de seguidores somando tudo, faço que sejam trampolins pra essa marca que sou eu."

"Eu tenho um podcast chamado Na Medida do Possível, em que eu falo sobre saúde e qualidade de vida de um jeito dentro da medida de cada um. Tenho um programa no Yahoo, o É Normal, e tenho um outro podcast, que é o Macho Detox. É gratificante fazer esse trabalho", aponta o jornalista.

Rocha também participa de diferentes trabalhos sociais, que continuaram durante a pandemia. Mesmo com essa quantidade de projetos, que só são possíveis na rotina de quem não tem um programa diário, conforme ele mesmo destaca, o desejo de voltar à TV existe.

"Tenho muita saudade da TV. Eu sou bicho de televisão, eu sou daquele ambiente. O meu DNA combina com o da televisão, é algo que faz parte da minha essência. Eu tenho certeza que eu vou voltar, só que tem um tempo [para isso acontecer]", espera o comunicador.

"Eu ainda quero viver uma experiência de volta ao rádio. Alguns planos estavam bem perto de concretizar antes da pandemia, mas aí tudo parou. Acredito que em 2021, se Deus quiser, volto primeiro para o rádio e depois para a televisão. É só uma questão de tempo, porque o que a gente quer tem muita força", ressalta.


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Outubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco original

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas