Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

APÓS 19 ANOS

Dispensado pela Globo, Nelson Freitas desabafa: 'Estava ciente da nova política'

DIVULGAÇÃO/ALLE VIDAL

Nelson Freitas em ensaio fotográfico após fim de contrato com a Globo

Nelson Freitas investe no cinema após fim de contrato com a Globo; ator ficou 19 anos na emissora

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 27/10/2020 - 7h00

No auge da pandemia, quando o temor do vírus e o isolamento social assustaram a todos, Nelson Freitas se viu diante de um novo cenário profissional. O ator foi dispensado da Globo após 19 anos na emissora. "Eu estou sem contrato desde abril deste ano. Eu já estava ciente da nova política da empresa", entrega ele sobre os bastidores de sua saída.

Apesar da situação, o artista de 58 anos pondera que conseguiu vislumbrar um ponto positivo em meio ao caos. "Eu sabia que não renovaria, mas são tantas as transformações no audiovisual no planeta, novas oportunidades estão surgindo. Sair da zona de conforto me trouxe muito estímulo", diz ao Notícias da TV.

Hoje, meses após sua despedida e ao ver a onda de demissões que assolou a empresa, ele avalia como natural a atual política de corte de gastos. "Acho completamente normal. O mundo está mudando, e novas relações de trabalho estão sendo adaptadas. O fato é que a arte dramática é um dos grandes pilares das sociedades e vai continuar sendo. O importante é continuar produzindo", considera.

Nos últimos meses, a Globo dispensou nomes como Tarcísio Meira, Gloria Menezes, Antonio Fagundes, Renato Aragão e Miguel Falabella. Aguinaldo Silva, Zeca Camargo, Vera Fischer e José de Abreu também foram cortados.

Como funcionário da emissora, Freitas fez as recentes novelas Tempo de Amar (2017) e O Tempo Não Para (2018), e surpreendeu nos realitys Dança dos Famosos (2011) e no Show dos Famosos (2017). Porém, sua vertente humorística marcou uma geração do Zorra Total (1999-2015), onde ele ficou de 2001 a 2015. Depois, entre 2015 e 2017, ele também integrou o time do Zorra.

Recentemente, o colunista Mauricio Stycer, do UOL, antecipou que o humorístico, o Fora de Hora e a Escolinha não voltam para a grade da Globo em 2021. O artista, que mantém contato com os antigos colegas, entrega os bastidores da mudança. "Não tenho certeza se o programa vai mesmo acabar. O que soube é que vão diminuir o tamanho da temporada", diz.

"Penso que no formato do Zorra Total, apesar de o humor de bordão ser quase um patrimônio histórico cultural brasileiro, as transformações do modelo eram inevitáveis. O humor ficou mais ágil, e o Zorra atual começou com uma pegada mais moderna e dinâmica. Tanto que fomos indicados para o Emmy Internacional no primeiro ano. O Brasil é o país da piada pronta, o manancial é inesgotável", reflete.

De volta ao trabalho no cinema

Em nova fase e graças à flexibilização da quarentena, Freitas retomou parte dos projetos que foram prejudicados pela pandemia --ele cancelou shows e adiou espetáculos no teatro. Atualmente, ele filma o longa Tração, de André Luiz Camargo, que envolve corrupção e competições de motos.

"É um filme de ação, que fala sobre o universo das motocicletas. Vivo o vilão Fernando DiMelo e atuo ao lado de grandes atores, como Marcos Pasquim, André Ramiro, Bruna Altieri, Mauricio Meirelles, Fiuk, Paola Rodrigues e Duda Nagle. É um filme de muita ação e tenho certeza que vai agradar, principalmente aos amantes das duas rodas", adianta.

"Foi um grande desafio gravar no meio da pandemia, mas estamos respeitando todos os protocolos de segurança. A gente faz uma testagem antes, durante e depois de cada filmagem, usamos máscaras e álcool gel todo o tempo. As gravações estão acontecendo em várias cidades, tentando acompanhar os circuitos e competições que acontecem sem público", explica.

Suzy Rêgo e Nelson Freitas em cena do curta I'm Sorry Honey (Foto: Divulgação/Julio Marques)

Segundo ele, a classe artística agora precisa de adequar ao novo normal. "Geralmente, gravamos um longa durante dois meses, mas nesse momento, a gente vai para determinado lugar, fica uns cinco dias e volta. É complicado esse modelo, até porque tem a questão da continuidade. Está sendo uma odisseia, mas tudo em nome da arte e do nosso sagrado ofício", reflete.

Além de Tração, Freitas está em um bom momento com outro projeto cinematográfico. O curta I'm Sorry Honey, protagonizado por ele e Suzy Rêgo, está concorrendo a quatro prêmios na maior competição de curta-metragens do mundo, o My Rode Reel, da Austrália. Feito antes da pandemia e em inglês, a produção traz o ator como Rick, um alcoólatra e abusador. Para ele, a violência doméstica é um tema importante a ser abordado. 

"Às vezes, as pessoas tentam segurar a barra sozinhas, por vergonha da exposição, por insegurança ou por medo mesmo. É preciso conscientização, não apenas das mulheres que são abusadas, mas principalmente dos homens. Isso é um movimento que precisa acontecer e é urgente", alerta.

Tendo um bom retorno pelo trabalho no curta, partiu de Freitas a ideia de enviar I'm Sorry Honey na competição internacional. "Um dos idealizadores do curta, Gabriel Freitas, me falou sobre esse concurso. Resolvi inscrever o projeto, e estamos concorrendo em quatro categorias. A concorrência é gigante, são mais de 12 mil inscritos. Mas se conseguirmos alguma expressão na votação, seria um bom começo para prospectar ações mais efetivas sobre o tema", finaliza.

Confira o curta I'm Sorry Honey, com Suzy Rêgo e Nelson Freitas:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?