Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

A GAROTA INVISÍVEL

Sem beijo, Sophia Valverde dribla pandemia em filme rodado em seu quarto

DIVULGAÇÃO

Sophia Valverde em cena como Ariana no filme  A Garota Invisível

Sophia Valverde em cena como Ariana no filme A Garota Invisível; longa feito inteiramente na pandemia

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 22/12/2020 - 6h50

Com as gravações de Poliana Moça, no SBT, adiadas para 2021, Sophia Valverde ficou sem sua intensa agenda de trabalho. Então, no auge da pandemia, surgiu o convite para viver sua primeira protagonista no cinema. Em agosto, a atriz de 15 anos driblou a quarentena e rodou o filme A Garota Invisível dentro de seu quarto. Ela não contracenou com ninguém, pois tudo foi feito à distância, e o casal da história sequer gravou a cena do beijo. "Uma experiência diferente", entrega ela. 

No longa, Sophia interpreta Ariana, uma garota que nunca foi notada pelo garoto mais popular da escola, o galã Khaleb (Guilherme Brumatti). Atrapalhada, a estudante publica sem querer um vídeo em que se declara para o crush. Aí, o romance, finalmente, tem a chance de acontecer. Mas ela precisa da ajuda do amigo Téo (Matheus Ueta) para conquistar o menino dos sonhos. E também tem que encarar a ex-namorada do rapaz, a invejosa Diana (Mharessa Fernanda).

O romance teen que estreia nesta terça-feira (22) nas plataformas de streaming é dirigido por Maurício Eça e tem produção de Marcelo Braga, da Santa Rita Filmes. A história foi idealizada para ser feita durante a pandemia do coronavírus, usando os recursos da tecnologia. As leituras de texto e os ensaios foram todos online.

No enredo, o elenco contracena apenas em videoconferências, ligações de áudio e vídeo e mensagens de texto entre eles. Apesar disso, o vírus não é citado em nenhum momento. Na produção, estão todos apenas no período de férias, por isso, o uso da chamada de vídeo como forma de interação.

"Contamos muito com o talento deles, que ativaram a criatividade e a imaginação para interagir entre eles por mensagem ou por câmeras. O ator não estava com o outro ali, mas os dois estavam de alguma forma conectados", explica Eça.

O longa foi rodado em 15 dias entre o fim de agosto e o início de setembro. Para cumprir os protocolos de segurança contra a Covid-19, a maneira segura encontrada pela direção foi transformar o quarto de cada ator em um estúdio. Uma equipe de arte reformou os dormitórios dos talentos antes das filmagens. Nos dias de "ação", uma equipe reduzida entrava na casa dos atores. 

"Em um dia de filmagem, entrava o mínimo da equipe necessária. O diretor, muitas vezes, ficava online. No quarto só entrava a maquiagem, que era fundamental, o figurino, a produção de arte e a equipe de camera", detalha Braga.

Fazer um filme sem sair de casa foi algo inédito para todos, da direção ao elenco. "Foi uma experiência totalmente diferente na questão do coronavírus e da atuação. A gente tinha que usar muito da imaginação para fazer as cenas. A produção ajudou muito na hora de dar as falas [do colega]. Eu ficava em ligação com o Gui [Brumatti] para fazer algumas cenas e isso foi bom. Tivemos que testar nossa atuação", relembra Sophia.

"Tinha a questão do coronavírus, que todos estavam com medo. Mas todo mundo tomou os cuidados certinhos. Inclusive, nem parece que foi um filme gravado na pandemia. Acho que foi difícil, mas foi fácil ao mesmo tempo. Foi diferente porque a gente não estava tête-à-tête", acrescenta a protagonista para o Notícias da TV

Filme sem cena de beijo

Por causa da pandemia, a cena do primeiro beijo de Ariana e Khaleb não pôde ser filmada. Por isso, o público não vê o momento íntimo do casal. No entanto, a direção contou com outros recursos para fazer isso acontecer na história. Para o elenco, a não exibição do beijo não faz falta.

"O público desse filme é aquele que está descobrindo tudo isso. Não são adolescentes iguais a nós, de 15 anos para cima. O público que vai assistir está começando a entender o que é ficar e o que é o primeiro beijo", opina Ueta.

"A Ariana está passando por isso, está começando essa fase adolescente. Ela nunca beijou, e depois dá o primeiro beijo. Isso não acaba se mostrando [no filme], mas ela conta como foi. O pessoal não vai sentir falta. O público vai imaginar como foi o encontro. Tem o lance da imaginação de cada um, como quando lemos um livro", completa Sophia.

"Acho que também se quebra um pouco dessa regra de que se é romance tem que ter beijo ou passeio de mãos dadas. As pessoas vão entender que o amor nasce antes de um beijo, nasce antes de um toque. As pessoas terão um lance mais reflexivo", analisa Mharessa.

Além de levar a tecnologia dos adolescentes para o grande público, a história de Ariana tem também um outro ponto do mundo teen em que tudo é descoberta. Em uma reviravolta, a mocinha descobre que o príncipe, na verdade, era sapo. Ou melhor, na linguagem atual, o crush era boy lixo. O debate é válido para a geração atual e encerra a produção com uma mensagem positiva.

O elenco do romance teen também inclui Bia Jordão (Paty), Bianca Paiva (Jade), Kaik Pereira (Edu), Clarinha Jordão (Laurinha) e Marcelo Várzea (professor Chicão). A Garota Invisível está disponível a partir desta terça-feira nas plataformas Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes, Apple TV, Google Play e YouTube. 

Confira o trailer de A Garota Invisível:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você acompanhará após o fim do BBB21?