Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

CASTOR DE ANDRADE

Agnaldo Timóteo elogiou bicheiro em série lançada pouco antes de sua morte

Reprodução/Globoplay

Agnaldo Timóteo usa camisa verde e branca com colar de cruz em sua casa em entrevista à série Doutor Castor, do Globoplay

Agnaldo Timóteo em cena de Douto Castor (2021); cantor morreu neste sábado (3), vítima da Covid-19

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 3/4/2021 - 18h15

Agnaldo Timóteo (1936-2021) morreu neste sábado (3) após passar as últimas semanas internado com Covid-19. Conhecido por suas declarações polêmicas, seja no mundo artístico ou em suas passagens pela política, o cantor foi um dos entrevistados da série Doutor Castor (2021), que aborda a vida de Castor de Andrade (1926-1997), e fez questão de enaltecer o bicheiro carioca.

"Uma vez apareceu meu nome na 'lista do Castor' e a imprensa, principalmente a de São Paulo, me bateu muito. Poucos tiveram coragem de dizer isso, mas eu faço questão de dizer: Você [Castor de Andrade] nunca me deu dinheiro. Eu sempre pedi dinheiro para você. Muito obrigado, Castor", afirmou Timóteo em trecho do último episódio da produção do Globoplay, Todo Carnaval Tem Seu Fim.

A série ainda traz um registro do momento em que Agnaldo Timóteo canta a música Ave Maria no velório do bicheiro, em 1997. "É bom lembrar as pessoas que a gente amou tanto, agradecer a Deus por ter tido esse privilégio, de algumas pessoas terem marcado a nossa vida", enfatizou ele.

O cantor ainda destacou o auxílio financeiro do contraventor quando disputou suas primeiras eleições: "Certa vez, liguei para o Castor de Andrade. Falei: 'Preciso melhorar minha campanha e estou completamente descoberto'. Ele falou: 'Dá um pulinho amanhã no nosso escritório'. Quando cheguei lá, ele abriu uma sacola de mercado e jogou US$ 25 mil. 'Se precisar de algo mais, fala comigo'".

Assista ao trailer da série Doutor Castor abaixo:

Acidente transmitido na TV em 1987

Em 1987, Agnaldo Timóteo esteve presente em um momento inusitado e perigoso no quadro Sonho Maluco do programa Viva a Noite (1982-1992), do SBT, apresentado por Gugu Liberato (1959-2019), em que artistas realizavam pedidos bizarros de fãs na TV.

Foi atendendo ao sonho de uma telespectadora que Agnaldo Timóteo se envolveu num acidente de carro, acompanhado por um piloto profissional, quando atravessou um outdoor após subir uma rampa em alta velocidade. O veículo aterrissou com as rodas dianteiras e, momentos depois, o cantor foi mostrado sangrando dentro do carro.

Atendido por médicos de prontidão, ele quebrou alguns dentes e a quarta vértebra da espinha dorsal, e também precisou tratar cortes e escoriações. Assista a um vídeo com o registro do acidente de Agnaldo Timóteo no Viva a Noite em 1987:

A morte de Agnaldo Timóteo

Agnaldo Timóteo morreu em 3 de abril de 2021, aos 84 anos, vítima da Covid-19. Ele estava internado desde 17 de março na UTI de um hospital no Rio de Janeiro. O compositor teve uma piora no quadro de saúde e não resistiu. 

O artista tinha sido intubado em 27 de março por conta do estado grave da doença. Um dia antes, ele estava lúcido, apesar do quadro instável.

Agnaldo Timóteo já havia recebido as duas doses da vacina contra a Covid-19, a última delas aplicada em 15 de março, dois dias antes de dar entrada no hospital. Os médicos acreditam que ele tenha se contaminado no intervalo entre a aplicação da primeira e a segunda dose.

Timóteo havia sido hospitalizado pela última vez em 2019, quando sofreu um AVC (acidente vascular cerebral). Na ocasião, ele ficou dois meses internado, precisou respirar com a ajuda de aparelhos, mas se recuperou.

Natural de Caratinga, interior de Minas Gerais, Agnaldo Timóteo Pereira começou a carreira cantando em programas de calouro nas rádios de Governador Valadares e Belo Horizonte. Nesta época, ganhou o apelido de Cauby mineiro.

Após receber um conselho de Angela Maria (1929-2018), que conheceu durante um show que ela fez em Belo Horizonte, Timóteo se mudou para o Rio de Janeiro para conquistar melhores oportunidades. O cantor ficou amigo de Roberto Carlos, com quem ia até as Rádios Nacional e Mayrink Veiga em busca de uma chance.

Enquanto tentava emplacar como cantor, Agnaldo Timóteo trabalhou como motorista de Angela Maria. Em 1961, indicado pela cantora, ele gravou seu primeiro disco com as canções Sábado no Morro e Cruel Solidão.

Em 1967, tornou-se conhecido nacionalmente pela sua voz ao gravar a música Meu Grito, de Roberto Carlos. Depois vieram sucessos românticos como Ave-Maria, Mamãe e Os Verdes Campos De Minha Terra.

Agnaldo Timóteo gravou mais de 50 discos durante sua carreira. O cantor deixa três filhos.

Agnaldo Timóteo e a política

Agnaldo Timóteo elegeu-se deputado federal no Rio de Janeiro pelo PDT (Partido Democrático Trabalhista) em 1982. Em 1986, concorreu ao governo carioca pelo PDS (Partido Democrático Social), mas não ganhou a disputa.

Elegeu-se deputado novamente, em 1994, pelo PPR (Partido Progressista Reformador), mas renunciou ao mandato para assumir uma cadeira na Câmara do Rio. Timóteo tentou a reeleição em 2000, mas não conseguiu. Após quatro anos, assumiu o cargo de vereador de de São Paulo pelo PP (Partido Progressista), e foi reeleito.

Chegou a concorrer a deputado federal pelo PR em 2010, mas não se elegeu. Também não foi eleito quando tentou uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo em 2012, o cargo de deputado federal pelo Rio de Janeiro em 2014 e de vereador em 2016.


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
De vendedor de pastéis a diretor de cinema: Por onde anda o elenco de Malhação 2008?Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mama

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas