Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NITIDEZ CUSTA CARO

Para ver demos da TV Cultura em resolução 8K, é preciso investir R$ 7 mil

REPRODUÇÃO

Câmera 8K registrando imagens na praia

Nos testes, a câmera 8K revelou detalhes e texturas, como da espuma do mar, com total nitidez

EDUARDO BONJOCH

edubonjoch@gmail.com

Publicado em 31/5/2022 - 6h15

Duas demos com material captado em testes da TV Cultura utilizando a câmera de resolução 8K Cine Alta Venice 2, da Sony, já estão no ar no canal da emissora no YouTube. Único no Brasil, esse modelo oferece o novo sensor 8.6K Full Frame, capaz de registrar imagens com definição de até 8.640 por 5.760 pixels. Para ver o conteúdo com a máxima qualidade, é preciso investir a partir de R$ 7 mil em um dos 15 televisores desse tipo à venda nas lojas.

Durante 15 dias, entre os meses de março e abril, a equipe da TV Cultura, em parceria com a Sony, registrou imagens com a nova câmera em vários pontos de São Paulo, como Mercado Municipal, Museu do Futebol, avenida Paulista e as ruas do bairro da Liberdade. A performance da Venice 2 também foi testada em ensaios para o Carnaval, praias do litoral paulista e em estúdios, com novas opções de maquiagens para as futuras transmissões.

"O 8K permite ter outra percepção de contraste, volume e textura da água do mar ou de uma nuvem que se aproxima, quase em 3D", afirma a editora Laíze Câmara, da equipe que participou dos testes. "Dá para enxergar com nitidez até o que está no fundo da imagem, e ficaria desfocado em outras câmeras, exigindo um cuidado maior até mesmo na montagem e estética do material."

Como a TV Cultura ainda não tem monitores e TVs 8K em sua sede, todo o processo de edição e pós-produção foi realizado em telas com resolução 4K, o que também se tornou um desafio. "Quando conseguimos ver as imagens em um monitor 8K, tivemos a surpresa de visualizar detalhes de poeira que não apareciam na edição, por exemplo", revela ela.

Em visita à sede da emissora em São Paulo, o Notícias da TV teve a chance de ver as demos com a nova câmera 8K sendo exibidas em um televisor 4K de 65 polegadas e notou uma nitidez superior em relação à de conteúdos Ultra-HD vistos em outras ocasiões. A textura da espuma do mar, o contraste real e a profundidade das imagens no trânsito e no centro de São Paulo foram os pontos que mais chamaram a atenção.

"Uma imagem 8K exibida em um televisor compatível consegue ter mais cores do que o olho humano é capaz de ver", diz Nelson Faria, diretor técnico da TV Cultura. "Fizemos testes em estúdio com luz de velas, por exemplo, e chegamos em tons de azul que não são perceptíveis a olho nu."    

Toda a parte de edição foi realizada com arquivos de resolução menor, convertidos em 8K na última etapa do processo. Assim, o tempo gasto nessa etapa se manteve praticamente o mesmo em relação ao de outros conteúdos. Já a fase de finalização em 8K ficou mais lenta, levando um terço a mais de tempo, mesmo com máquinas e servidores de alto desempenho, preparados para suportar a maior resolução.

joão miguel júnior/tv globo

Irandhir Santos em Pantanal: capítulo em 8K

Globo e Cultura estão na frente

Da TV Cultura, a câmera Venice 2 foi para a Globo, mas, segundo Faria, deve retornar em breve. Entre os planos futuros, está a gravação em 8K de um concerto da orquestra Brasil Jazz Sinfônica, gerida pela emissora. A ideia é apresentar esse conteúdo na feira IBC (Internacional Broadcasting Convention), que será realizada em setembro na Holanda. No mesmo evento, a Globo irá exibir trechos do Carnaval, registrados com o mesmo equipamento.

Gravado em 8K, o primeiro capítulo de Pantanal pode ser visto com essa resolução pelos telespectadores que têm uma smart TVs Samsung, linhas 2020 ou 2021 (exceto modelo QN700A). Antes disso, a Globo e o fabricante já haviam firmado parceria para a exibição de conteúdo experimental nesse padrão pelo Globoplay durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Por enquanto, não há registro de experimentos similares em outras emissoras.

Sem saber ao certo se a nova TV digital, prevista para 2024, permitirá transmissões em 8K na TV aberta, o formato tende a crescer pela internet no futuro, por meio dos serviços de streaming. Hoje, a oferta ainda está muito restrita a poucos conteúdos no YouTube, que exigem uma banda larga acima de 100 Mbps para se ter uma experiência boa e com menos travamentos.

De acordo com Faria, a maior variedade de celulares que filmam com resolução 8K, de marcas como Samsung, Motorola e Xiaomi, também deve acelerar o avanço do formato. "Geram desejo e curiosidade nos consumidores e, com as novas lentes que estão surgindo no mercado internacional, esses aparelhos passam a ter condições de criar conteúdo de elevada qualidade técnica, podendo ser aproveitado até mesmo no meio profissional", declara.

Hoje, uma câmera 8K, como a Sony Venice 2, custa praticamente o dobro de um modelo 4K do mesmo fabricante, padrão que já vem sendo adotado em algumas produções da TV Cultura. Estrelada por Antonio Fagundes, a nova minissérie sobre os 200 anos da Independência do Brasil, uma das maiores apostas da TV Cultura, já será gravada em Ultra-HD.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.