Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

REPRESENTATIVIDADE

Sete meses após se assumir trans, Elliot Page concorre ao Emmy de melhor ator

Divulgação/Netflix e Reprodução/Instagram

Montagem com fotos de Elliot Page em cena de Umbrella Academy e com gorro e óculos que escondem boa parte de seu visual

Elliot Page na segunda temporada de Umbrella Academy e em foto publicada em seu Instagram

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 6/7/2021 - 6h15

O artista Elliot Page, que se declarou transexual em dezembro do ano passado, se inscreveu para o Emmy deste ano já na categoria de melhor ator por seu trabalho na série The Umbrella Academy, da Netflix. Em anos anteriores, quando ainda usava Ellen Page como nome artístico, ele havia concorrido em quesitos femininos --inclusive, chegou a ser indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro de melhor atriz em 2008 por sua atuação no filme Juno.

O fato de Elliot ter se inscrito no Emmy não significa que vá conquistar uma indicação. Qualquer ator que tenha aparecido em uma atração elegível para a premiação pode colocar seu nome na disputa, desde que pague a taxa de inscrição de US$ 100 (pouco mais de R$ 500).

Se for indicado, Elliot Page fará história por ser o primeiro ator a concorrer ao Emmy antes e depois de sua transição. Em 2016 e 2017, ele foi lembrado na categoria melhor programa de realidade sem estrutura fixa por Gaycation, reality no qual viajava o mundo para mostrar como diferentes países lidam com a comunidade LGBTQ+.

O programa, aliás, virou notícia no Brasil por causa do episódio em que Elliot visitou o país e entrevistou Jair Bolsonaro, então deputado. Ao questionar o político sobre uma declaração que ele havia dado em que dizia que conseguiria "tirar" a homossexualidade de uma criança com "porrada", o atual presidente respondeu que Elliot (na época Ellen) era uma mulher bonita e que, se o visse na rua, iria assobiar.

Às vésperas da eleição de 2018, Elliot compartilhou a hashtag #EleNão em suas redes sociais. "Eu entrevistei Jair Bolsonaro para o Gaycation. Ele é um homem perigoso, homofóbico, racista e misógino e que atualmente lidera a corrida presidencial no Brasil", escreveu ele em seu Instagram.

Mais trans na corrida do Emmy

Além de Elliot, pelo menos três atores trans também se inscreveram no Emmy deste ano: Josie Totah concorre como melhor atriz coadjuvante em série de comédia por seu trabalho no reboot de Galera do Barulho (ainda inédito no Brasil); Lachlan Watson, que se identifica com o gênero não-binário, precisou escolher a identidade masculina para entrar na disputa como melhor ator coadjuvante tanto em comédia (por Social Distance) quanto em drama (por O Mundo Sombrio de Sabrina).

E Laverne Cox concorre como atriz convidada de série de drama por seu trabalho em The Blacklist. A artista de 49 anos, aliás, é um exemplo para todos os outros inscritos: ela fez história em 2014 ao se tornar a primeira atriz trans a concorrer a um Emmy de atuação por seu trabalho em Orange Is the New Black (2013-2019), feito que repetiu em 2017, 2019 e 2020.


Leia também

Web Stories

+
Como Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de PantanalHarmonização facial e lente nos dentes: Veja antes e depois dos peões de A Fazenda 13

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?