Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

THE CW

Coronavírus: TV dos EUA faz mudança radical na programação e adia séries

Imagens: Divulgação/The CW

Assustada, a atriz Candice Patton abraça Grant Gustin, que veste o uniforme vermelho de Flash em cena da série homônima

Candice Patton e Grant Gustin na sexta temporada de Flash; novos episódios da série foram adiados para janeiro

JOÃO DA PAZ

Publicado em 14/5/2020 - 17h00

O novo normal está em vigor na indústria americana de entretenimento. A rede The CW, lar de atrações como Flash e Riverdale, divulgou nesta quinta-feira (14) o calendário de lançamentos de novas temporadas de produções veteranas e estreantes. Devido à crise do novo coronavírus (Covid-19), 17 séries da programação foram adiadas para janeiro.

É uma mudança radical, pois abre mão do principal período de lançamentos de séries famosas e novatas na TV americana, a chamada fall season, entre setembro e novembro. "A CW vai começar sua nova temporada em janeiro de 2021, mês no qual será lançada nossa programação regular do horário nobre", disse Mark Pedowitz, diretor-executivo da rede, em comunicado à imprensa.

Com séries feitas pelos estúdios da Warner Bros. e CBS, a CW planeja a retomada das gravações somente em setembro, um hiato de seis meses desde as paralisações em Hollywood, iniciadas em meados de março. Adiar o lançamento de séries foi uma opção segura para a CW, para não acelerar os trabalhos neste ano.

Começando as gravações de setembro em diante, as séries da CW poderão entrar no ar com episódios inéditos em janeiro, sem problemas. Caso as condições para trabalho não sejam adequadas e seguras até lá, com uma extensão da quarentena nos Estados Unidos e Canadá, a rede comprará séries para preencher a programação, como fez agora para terminar o ano.

Os executivos da CW afirmaram que a quantidade de episódios não será afetada, mesmo com as temporadas iniciadas em janeiro --normalmente, a CW faz seus lançamentos em outubro, fugindo das estreias das quatro concorrentes da TV aberta americana. Se tudo ocorrer conforme traçado nesse plano inicial, a temporada 2021-2022 será iniciada tradicionalmente no décimo mês do ano que vem.

Na 15ª e última temporada, Supernatural está programada para continuar sua exibição neste ano. A cúpula da CW quer gravar os dois episódios pendentes do drama sobrenatural popular para finalizá-lo ainda no segundo semestre.

No caso de todas as outras séries, os episódios que foram interrompidos por causa do coronavírus serão de alguma forma ajustados nas novas temporadas.

As séries adiadas foram: All American (Netflix), Black Lightning (Netflix), Flash (Warner), Riverdale (Warner), Nancy Drew (Globoplay), Legacies (Warner), Batwoman (HBO) e Charmed (Globoplay). As novas séries são Superman & Lois e Walker.

Supergirl (Warner) ficou para o meio do próximo ano, assim como Dynasty (Netflix), Roswell: New Mexico (Globoplay), In the Dark e Legends of Tomorrow (Warner). As atrações que vão estrear nessa época são Kung Fu e The Republic of Sarah.

Essa alteração toda vai afetar o grande evento da CW, aguardado pelos fãs de séries de heróis: o crossover anual das atrações do Universo de Arrow. Na próxima temporada, o especial envolverá apenas duas séries, as mais novinhas: Batwoman e Superman & Lois.

Lucy Hale na primeira temporada de Katy Keene; filhote de Riverdale flopou na audiência


Nada de Katy Keene

O executivo Mark Pedowitz admitiu o flop que Katy Keene foi na temporada que se encerra neste mês. Ele chamou de "fraca" a audiência da atração que nasceu badalada, por ser filhote de Riverdale e protagonizada por Lucy Hale (ex-Pretty Little Liars), Katy Keene é somente a segunda pior audiência entre todas as séries exibidas pela TV aberta americana.

Porém, Pedowitz mostrou-se cauteloso em cancelar Katy Keene. Ele disse que vai aguardar os números que a atração consegue em plataformas sob demanda, e como será o desempenho dela no streaming HBO Max, nos EUA. É algo similar com o que a CW fez com o drama esportivo All American, fracasso na TV tradicional, mas sucesso na Netflix americana, o que manteve a série no ar.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?