Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

PARAÍSO PERDIDO

Em meio a vírus mortal, Gênesis do século 17 inventou o 'pandemônio' antes do Brasil

FOTOS: REPRODUÇÃO/RECORD

Os atores Juliana Boller (Eva) e Carlo Porto (Adão) em cena no Jardim do Éden de Gênesis

Os atores Juliana Boller (Eva) e Carlo Porto (Adão) em cena no Jardim do Éden de Gênesis

DANIEL FARAD

vilela@noticiasdatv.com

Publicado em 7/6/2021 - 7h00

Alguns ainda acreditam que a Terra é plana, mas é inegável que o mundo dá voltas. O planeta gira tanto sobre o próprio eixo que, às vezes, o telespectador de Gênesis não está tão distante assim de um morador de Londres no século 17. Com um vírus mortal à solta, e o Reino Unido de cabeça para baixo, os britânicos também precisavam esquecer a realidade com a sua versão "pop" da Bíblia Cristã --o poema épico Paraíso Perdido.

O calhamaço de John Milton (1608-1674) é conhecido por ter inventado a palavra "pandemônio", um termo que cairia anos depois como uma luva para o Brasil no meio da pandemia de Covid-19. Coincidentemente (ou não), uma outra ameaça invisível estava à espreita naquela época e deixava mortos dos dois lados do Atlântico: o vírus da varíola.

Em meio às erupções na pele e a uma febre escaldante, para os quais a cloroquina também não funcionava, um eventual leitor de Milton se depararia com a expulsão de Lúcifer do céu, a guerra entre os anjos caídos e Deus e também a criação do homem. Um roteiro não muito inovador, mas que também não escondia qualquer fruto proibido azul entre as suas quase mil páginas.

O escritor fazia lá as suas licenças poéticas, assim como os autores Camilo Pellegrini, Stephanie Ribeiro e Raphaela Castro, que também efetuaram mudanças pontuais que não agradam aos mais apegados ao texto bíblico. 

A ausência de Igor Rickli, que só passou a existir a partir de 1983, como grande vilão, não foi um grande problema para o imaginário dos ingleses. Em vez do marido de Aline Wirley, o demônio da Idade Moderna tinha três caras --ilustradas ao longo da História por John Baptist Medina (1659-1710), William Blake (1757-1827) e Gustave Doré (1832-1885).

Com bem menos efeitos especiais, e sem Sula Miranda no elenco, Milton ainda enfrentou uma situação política tensa para concluir a obra. Em algum capricho do destino, a Inglaterra também penou sob os excessos de tirania de Carlos 1º (1600-1669), que não chegou a ver um de seus quatro filhos homens sucedê-lo no final do reinado.

O rei foi decapitado, a República foi instaurada no Reino Unido já quase no final daquele século, e Edward Jenner (1749-1823) logo inventaria a vacina para varíola. A doença foi definitivamente erradicada, mas o imunizante causou polêmica ao chegar ao Brasil só em 1904. 

Em vez de chip ou do medo de se transformar em um jacaré, o povo se revoltou por achar que as injeções eram uma desculpa para o governo colocar a mão em suas poupanças --as de carne e osso, vale ressaltar.


Saiba tudo sobre os próximos capítulos das novelas com o podcast Noveleiros

Ouça "#62 - Téo sofre novo ataque em Salve-se Quem Puder" no Spreaker.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações do que vai acontecer em Gênesis e outras novelas.


Últimas de Gênesis


Resumos Semanais

Resumo da novela Gênesis: Capítulo de 22 de novembro

Segunda, 22/11 (Capítulo 220) 
Lúcifer é impedido de invadir festa de Israel. Herit anuncia gravidez a Shereder. Judá se redime por ter vendido José. Asenate chora de felicidade ao lado do governador-geral do Egito. Deus surge em discurso final. Abumani surpreende ... Continue lendo

Leia também

Enquete

Com quem Irma merece ficar em Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.