Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

VOTO DE CASTIDADE

Virgem em Gênesis, Sula Miranda não faz sexo desde 2007: 'Quero compromisso'

REPRODUÇÃO/RECORD

Sula Miranda em cena como Quirá em Gênesis, da Record

Sula Miranda como Quirá em Gênesis, da Record; é a estreia da cantora como atriz em novelas

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 2/6/2021 - 7h10

Intérprete de Quirá em Gênesis, Sula Miranda faz sua estreia em novelas como uma sacerdotisa virgem no harém do reino de Gerar. Na vida real, a artista de 57 anos está sem fazer sexo desde 2007. Evangélica, ela acredita que o correto é manter relações íntimas apenas durante o matrimônio. "Eu quero compromisso e, hoje em dia, ninguém quer. As pessoas só querem ficar", declara.

"A Quirá tem o compromisso com a fé dela, e é o mesmo que eu tenho com a minha fé. No caso dela, ela não vai se casar nunca porque já é casada com o Deus dela. Eu não, porque o dia que Deus me mandar um abençoado, eu caso (risos). A diferença é só essa (risos)", diverte-se a cantora em entrevista para o Notícias da TV.

Em Gênesis, Quirá é a principal clériga no culto ao deus Dagon, meio humano e meio peixe, que concede fertilidade às nobres filisteias. Ela é sábia conselheira de Abimeleque (Leonardo Franco) e confidente da rainha Najla (Virginia Cavendish).

Sula ganhará mais destaque nas cenas que serão exibidas a partir de quinta-feira (3), quando se revelará que sua personagem tem uma paixão por Ficol (Joelson Medeiros), general do reino. Porém, apesar dos sentimentos que sente pelo homem, ela precisa manter a virgindade a qualquer custo.

Sula Miranda (Quirá) e Virginia Cavendish (Najla) em Gênesis (Foto: Reprodução/Record)

"O casamento dela é com o sacerdócio. E é um desafio porque tem esse Ficol que quer ficar com ela. Ela tem que resistir, pois no fundo gosta dele. Mas o bacana é isso: essa fidelidade e compromisso dela com o sacerdócio. Isso está acima do que ela sente; ou seja, ela é temperança, razão e sabedoria", analisa.

"Mas esse Ficol não é fácil. Sempre que pode, ele dá uma olhadinha, uma cutucadinha nela. Está no meu encalço (risos)", observa. Sula se identifica com a lealdade de sua sacerdotisa para com a religião. Afinal, a rainha dos caminhoneiros decidiu se guardar para o casamento. Por isso, emprestou para a personagem a força para "não ceder e resistir" gerada pela fé.

Sula está há 14 anos sem relações íntimas e faz até graça ao falar da própria abstinência. "Eu parei de contar (risos)", dispara. No passado, ela revelou que namoros são permitidos, mas com suas regras: sem sexo. Solteira, ela segue firme em seu propósito à espera de um homem que queira algo sério. "Não é com qualquer um", frisa.

E, se no folhetim da Record Quirá precisa desviar da tentação, na vida real a atriz entrega que também é preciso abrir os olhos para a perdição. "É complicado. Às vezes, aparece algum Ficol aí no meio do meu caminho. Sempre tem um que ser ficante. Então, a Quirá me empresta essa força dela", compara, aos risos.

Eu quero compromisso. Essa coisa de 'dorme na minha casa, depois durmo na sua'... Estou fora! Para mim, tem que ser à moda antiga. Acho que tenho que casar com o Ficol mesmo, o de 4 mil anos atrás, porque neste mundo [atual] está difícil de achar (risos).

Estreia como atriz em Gênesis

Gênesis marca a estreia de Sula Miranda como atriz de novelas. Ela até fez participações em produções como A História de Ana Raio e Zé Trovão (1990), mas como ela mesma. "Poder atuar e ter um papel, uma personagem, é a primeira vez", comemora.

A decisão de se aventurar na dramaturgia partiu da artista, que fez o caminho das pedras para conquistar uma vaga no elenco. "Eu queria muito fazer novela bíblica. Quando assisti a Jesus [2019], eu olhava aquilo tudo e pensava que queria fazer isso um dia. Então, procurei uma oportunidade", relembra.

Sula mandou um e-mail para a Record pedindo uma chance como atriz. Seu pedido chegou à alta cúpula da emissora, e ela foi chamada para um teste em 2019.

"Eu fui atrás. Não falei diretamente com ninguém. Gosto muito desse perfil da Record. Já trabalhei lá, e eles são justos nisso. Se você é capacitado, você faz. Não é porque você é famoso ou amigo de alguém que vai ter uma oportunidade", elogia.

Após ser aprovada no teste, Sula entrou no elenco do folhetim para dar vida à Helda. Com a pandemia e a pausa nas gravações, o enredo se modificou. A atriz Izabella Bicalho assumiu a personagem que seria da cantora, que ficou com Quirá. "Como marinheira de primeira viagem, a gente fica assustada com tudo e acha que a culpa é nossa, mas eu não sabia que era assim que as coisas funcionam", conta.

"Outros atores também trocaram de personagem e aprendi mais essa (risos). E que bom que mudou porque amei a Quirá. Foi um presente! No primeiro papel, você fica muito preocupada e tem aquela expectativa. Mas todos os diretores, graças a Deus, vieram me elogiar mesmo sabendo da minha inexperiência. Estou feliz com o resultado, esse papel é do tamanho que eu precisava para esse aprendizado todo", destaca

A artista encerrou as gravações de Gênesis na segunda-feira (31). Para se despedir dos colegas de elenco e da direção, levou chocolates para agradecer a parceria e toda a ajuda que recebeu na empreitada. "Agora, literalmente, sou atriz. Tenho DRT e estou capacitada", finaliza, à espera de mais oportunidades.

Veja publicações de Sula Miranda sobre Gênesis:


Últimas de Gênesis


Resumos Semanais

Resumo da novela Gênesis: Capítulos de 2 a 6 de agosto

Segunda, 2/8 (Capítulo 140)
Éder tenta aconselhar Jacó. Esaú perde a paciência com Reuel. Jacó age com frieza diante de Lia. Jacó se casa com Raquel. Ele fica entusiasmado com a notícia dada por Lia.   Terça, 3/8 (Capítulo 141) ...Continue lendo


Outras Novelas

Leia também

Web Stories

+
Vômito, narrador ridículo e ‘xerecada’: Cinco momentos engraçados das OlimpíadasBárbara, Kelvin e Medina: Atletas brasileiros se envolvem em tretas nas OlimpíadasAna ou Manuela? Saiba quem fica com Rodrigo no final de A Vida da GenteComo Rayssa Leal e Douglas Souza: Cinco atletas das Olimpíadas que você deve seguirTraição de Pyong Lee e treta de Nadja Pessoa: Ilha Record promete estreia acalorada

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual a melhor cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio?