Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

RESOLVIDO

Scarlett Johansson e Disney fazem acordo extrajudicial por Viúva Negra no streaming

Divulgação/Marvel

Scarlett Johansson em cena do filme Viúva Negra

Scarlett Johansson em cena do filme Viúva Negra, alvo de processo resolvido fora dos tribunais

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 30/9/2021 - 21h41

Scarlett Johansson e a Disney acertaram suas diferenças em um acordo extrajudicial revelado nesta quinta-feira (30). A atriz processava o conglomerado de mídia por quebra de contrato ao fazer o lançamento de Viúva Negra no Disney+ --o acordo previa uma estreia exclusiva nos cinemas, o que teria feito ela deixar de ganhar US$ 50 milhões (R$ 272 milhões) em participação nos lucros. Os valores da negociação não foram revelados.

"Eu estou feliz de ter resolvido minhas diferenças com a Disney", disse Scarlett em comunicado divulgado nesta quinta. "Estou incrivelmente orgulhosa do trabalho que fizemos ao longo dos anos e valorizo muito minha relação criativa com toda a equipe. Estou ansiosa para continuar nossa colaboração no futuro."

O cachê pago a Scarlett pela aventura solo de Natasha Romanoff estava associado à bilheteria do filme no mundo todo. O lançamento simultâneo no Premier Access, serviço vendido à parte no Disney+, teria prejudicado esse faturamento e, consequentemente, os lucros da atriz. A Disney optou por colocar o longa no streaming por causa da pandemia de coronavírus.

"Por que a Disney renunciaria a centenas de milhões de dólares em receitas de bilheteria ao lançar o filme nos cinemas em um momento em que sabia que o mercado de cinema estava fraco, em vez de esperar alguns meses para que o mercado se recuperasse?", dizia um trecho do processo.

Na ação, os advogados da intérprete de Natasha Romanoff afirmam que alguns executivos que orquestraram a estratégia do lançamento híbrido se beneficiaram com a decisão. Bob Chapek, atual CEO da Disney, teria recebido 3,8 vezes o seu salário base de US$ 2,5 milhões (R$ 12,6 milhões), com a justificativa de um bônus com as estreias de produtos "diretos para os consumidores".

Antecessor de Chapek, Bob Iger também teria se beneficiado. Segundo o texto do processo, o agora ex-CEO teria recebido US$ 16,5 milhões na forma de concessões de ações, com o relatório anual da empresa citando o crescimento do Disney+.

"Em suma, a mensagem para --e da alta administração da Disney-- foi clara: aumente o número de assinantes Disney+, não importam suas promessas contratuais, e você será recompensado", continuava o texto do processo, divulgado inicialmente pelo The Wall Street Journal.

Viúva Negra pode voltar ao MCU?

Com o acerto entre Scarlett e a Disney, torna-se possível que a atriz retorne ao MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) na pele da espiã russa. Antes, parecia improvável que a empresa do Mickey Mouse contratasse uma artista com quem travava uma guerra nos tribunais.

Oficialmente, a Viúva Negra original já não existe mais no MCU. Natasha Romanoff morreu durante os eventos de Vingadores: Ultimato (2019), e o filme solo da heroína serviu como uma despedida para a personagem e como a passagem de bastão para Yelena Belova (Florence Pugh), que passa a fazer parte do futuro da Marvel nos cinemas e no streaming.

Natasha, no entanto, pode aparecer em alguma das várias linhas temporais abertas no Multiverso, que deve marcar a atual fase da Marvel no cinema e na TV. A personagem apareceu na animação What If...?, por exemplo, mas dublada por outra atriz.


Leia também

Enquete

Com quem Irma merece ficar em Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.