Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

RESOLVIDO

Scarlett Johansson e Disney fazem acordo extrajudicial por Viúva Negra no streaming

Divulgação/Marvel

Scarlett Johansson em cena do filme Viúva Negra

Scarlett Johansson em cena do filme Viúva Negra, alvo de processo resolvido fora dos tribunais

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 30/9/2021 - 21h41

Scarlett Johansson e a Disney acertaram suas diferenças em um acordo extrajudicial revelado nesta quinta-feira (30). A atriz processava o conglomerado de mídia por quebra de contrato ao fazer o lançamento de Viúva Negra no Disney+ --o acordo previa uma estreia exclusiva nos cinemas, o que teria feito ela deixar de ganhar US$ 50 milhões (R$ 272 milhões) em participação nos lucros. Os valores da negociação não foram revelados.

"Eu estou feliz de ter resolvido minhas diferenças com a Disney", disse Scarlett em comunicado divulgado nesta quinta. "Estou incrivelmente orgulhosa do trabalho que fizemos ao longo dos anos e valorizo muito minha relação criativa com toda a equipe. Estou ansiosa para continuar nossa colaboração no futuro."

O cachê pago a Scarlett pela aventura solo de Natasha Romanoff estava associado à bilheteria do filme no mundo todo. O lançamento simultâneo no Premier Access, serviço vendido à parte no Disney+, teria prejudicado esse faturamento e, consequentemente, os lucros da atriz. A Disney optou por colocar o longa no streaming por causa da pandemia de coronavírus.

"Por que a Disney renunciaria a centenas de milhões de dólares em receitas de bilheteria ao lançar o filme nos cinemas em um momento em que sabia que o mercado de cinema estava fraco, em vez de esperar alguns meses para que o mercado se recuperasse?", dizia um trecho do processo.

Na ação, os advogados da intérprete de Natasha Romanoff afirmam que alguns executivos que orquestraram a estratégia do lançamento híbrido se beneficiaram com a decisão. Bob Chapek, atual CEO da Disney, teria recebido 3,8 vezes o seu salário base de US$ 2,5 milhões (R$ 12,6 milhões), com a justificativa de um bônus com as estreias de produtos "diretos para os consumidores".

Antecessor de Chapek, Bob Iger também teria se beneficiado. Segundo o texto do processo, o agora ex-CEO teria recebido US$ 16,5 milhões na forma de concessões de ações, com o relatório anual da empresa citando o crescimento do Disney+.

"Em suma, a mensagem para --e da alta administração da Disney-- foi clara: aumente o número de assinantes Disney+, não importam suas promessas contratuais, e você será recompensado", continuava o texto do processo, divulgado inicialmente pelo The Wall Street Journal.

Viúva Negra pode voltar ao MCU?

Com o acerto entre Scarlett e a Disney, torna-se possível que a atriz retorne ao MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) na pele da espiã russa. Antes, parecia improvável que a empresa do Mickey Mouse contratasse uma artista com quem travava uma guerra nos tribunais.

Oficialmente, a Viúva Negra original já não existe mais no MCU. Natasha Romanoff morreu durante os eventos de Vingadores: Ultimato (2019), e o filme solo da heroína serviu como uma despedida para a personagem e como a passagem de bastão para Yelena Belova (Florence Pugh), que passa a fazer parte do futuro da Marvel nos cinemas e no streaming.

Natasha, no entanto, pode aparecer em alguma das várias linhas temporais abertas no Multiverso, que deve marcar a atual fase da Marvel no cinema e na TV. A personagem apareceu na animação What If...?, por exemplo, mas dublada por outra atriz.


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Após derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na GloboRenascer no Globoplay: Saiba por onde anda o elenco da novela 28 anos depois

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas