Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

OPINIÃO

Incesto, nudez e prostituição: Xuxa tinha razão de sumir com Amor Estranho Amor

REPRODUÇÃO/CINEARTE

A apresentadora Xuxa Meneghel olha séria como a personagem Tamara do filme Amor Estranho Amor, lançado em 1982

Xuxa Meneghel como a personagem Tamara de Amor Estranho Amor, de 1982: filme erótico além da conta

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 6/11/2020 - 7h00

Com o recente apelo de Xuxa Meneghel para que as pessoas assistam ao filme mais polêmico de sua carreira, o Notícias da TV decidiu conferir Amor Estranho Amor e constatou que, na verdade, a apresentadora tinha razão de querer sumir com o longa dos mercados brasileiros no passado. Erótica e dramática, a obra dirigida por Walter Hugo Khouri (1929-2003) mistura nudez, prostituição e incesto.

[Atenção: este texto não é recomendado para menores de 18 anos]

Nas duas horas de Amor Estranho Amor, o público acompanha um senhor de idade visitando uma mansão gigantesca e completamente vazia. Um pouco confuso, o filme vai mostrando aos poucos que o idoso está revisitando memórias antigas das experiências que viveu ali, quando o local era um prostíbulo de luxo e lar de sua mãe, Anna (Vera Fischer).

Com 12 anos, Hugo (Marcelo Ribeiro --que também tinha 12 anos na vida real) é largado na frente de um palacete por sua avó, mãe de Anna. A idosa decide devolver a criança para a sua genitora pois a garota de programa parou de enviar dinheiro para a família, residente em Santa Catarina.

Com as mãos atadas, a personagem de Vera Fischer é obrigada a arrumar uma cama no sótão do bordel para acomodar o filho, sem imaginar que todas as prostitutas começariam a desejá-lo graças à sua inocência e virgindade. "Aqui só vem gente horrível, uns velhos decrépitos. Aposto que você nunca fez, mas sei que vai gostar", diz uma das rameiras que tenta deflorá-lo.

Apesar do pano de fundo ser a iminência do golpe que instaurou a Ditatura Militar (1964-1985) no Brasil, o filme foca nas mulheres nuas que se exibem direta ou indiretamente para Hugo. Além disso, o protagonista também começa a descobrir um desejo sexual pela própria mãe.

reproduc'ão/cinearte

Vera Fischer e Tarcísio Meira em cena erótica

Em determinados momentos do longa, o garotinho aprecia assistir a Anna se banhando ou transando com Dr. Osmar (Tarcísio Meira), e o diretor ressalta mais uma vez sua vontade de evidenciar os corpos nus, exibindo cenas de sexo quase explícito.

Apesar de Xuxa argumentar na vida real que sua personagem, Tamara, seria uma adolescente de 15 anos que foi vendida pela família à cafetina Laura (Íris Bruzzi) em Amor Estranho Amor, o corpo da rainha dos baixinhos aparece como o de uma mulher adulta no filme --afinal, ela tinha 19 anos quando interpretou a jovem meretriz.

Na cena em que Tamara se esfrega em Hugo --motivo pelo qual a apresentadora foi tantas vezes associada à pedofilia--, o corpo da titular do extinto Xou da Xuxa (1986-1992) surge nu, e a câmera dá até close na genitália da personagem. Os dois só não consumam o ato porque Anna chega a tempo de interromper.

Outra questão é que, apesar de a ex-namorada de Pelé ter alegado que o filme fala sobre a exploração sexual infantil através de Tamara, a produção não problematiza isso em nenhum momento. Inclusive, a narrativa chega a glamourizar a falsa virgindade da ninfeta --usada como "presente" para um político poderoso, que pode usá-la como brinquedo sexual.

Amor Estranho Amor termina com Anna tendo uma noite de amor com Hugo. A sequência dá a entender que a prostituta decidiu tirar a virgindade do próprio filho antes de mandá-lo embora do bordel, despachando-o de volta para Santa Catarina.

Com tantas cenas e narrativas escandalosas, o filme de Walter Hugo Khouri poderia ser classificado não só como drama erótico, mas também como pornochanchada, e se faz lógico o motivo de Xuxa ter evitado a circulação de Amor Estranho Amor durante tantas décadas. Com incesto, nudez e prostituição, definitivamente não é um filme para a família, muito menos para os baixinhos.

Liberal em 2020

Apesar de ter passado anos tentando impedir a circulação do filme polêmico, Xuxa desistiu de censurar o longa em 2018. E, em 2020, a funcionária da Record pediu para as pessoas assistirem ao filme produzido por Aníbal Massaini Neto em dois momentos. 

O primeiro foi em julho deste ano, durante o programa OtaLab, do UOL; o segundo no último domingo (1º), em entrevista ao Fantástico, da Globo. Atualmente, Neto tenta recolocar o longa em circulação. Assista à fala da apresentadora abaixo:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?