Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

STREAMING

Símbolos da Netflix, House of Cards e Orange são ofuscados por Eleven e Crown

Imagens: Divulgação/Netflix

Uzo Aduba e Taylor Schilling, com Laura Prepon ao fundo, nos bastidores de Orange Is the New Black - Imagens: Divulgação/Netflix

Uzo Aduba e Taylor Schilling, com Laura Prepon ao fundo, nos bastidores de Orange Is the New Black

JOÃO DA PAZ

Publicado em 21/10/2018 - 4h25

Séries que colocaram a Netflix no mapa, House of Cards e Orange Is the New Black estão com os dias contados. O drama político chegará ao fim no mês que vem, na sexta temporada. Já as histórias das presidiárias serão contadas pela última vez em 2019. Lançadas há cinco anos, as produções abriram portas e serviram como cartões de visita da plataforma, mas terminam ofuscadas pelas recentes Stranger Things e The Crown.

House of Cards e Orange Is the New Black são importantes na história da Netflix, embora não tenham atingido seu objetivo principal: acumular muitos prêmios, um carimbo que valoriza a série, tanto para Hollywood quanto para o público.

Somadas, elas têm 11 temporadas exibidas e acumulam 11 Emmys (sete para House of Cards e quatro para Orange). Os prêmios mais importantes da trama política foram escolha de elenco e diretor (em 2013). Orange também tem uma estatueta pelo elenco (2014) e uma de atriz coadjuvante (Uzo Aduba, em 2015).

Com quatro temporadas combinadas, Stranger Things e The Crown têm juntas três Emmys a mais do que a dupla dinâmica da "velha escola" da Netflix. Elas já levaram estatuetas de elenco (Stranger Things em 2017, The Crown neste ano), e o drama sobre a monarquia abocanhou o troféu mais importante que a empresa já recebeu.

Claire Foy, intérprete da jovem rainha britânica, levou a estatueta de melhor atriz dramática na cerimônia realizada em setembro. É o único prêmio de protagonista de drama ou comédia vencido por uma série da Netflix no Emmy.

The Crown também tem outro feito inédito da gigante do streaming: é a única série com um Globo de Ouro de melhor drama, vencido no ano passado, feito que House of Cards não conseguiu nas duas oportunidades que teve. Orange também perdeu duas vezes na categoria de comédia; e pior, teve de ver a rival Amazon levar a melhor: com Transparent em 2015 e Mozart in the Jungle (2014-2018) em 2016.

Robin Wright e Kevin Spacey na quinta temporada de House of Cards; caminhos opostos

Marcadas na história
São inegáveis os méritos de House of Cards e Orange Is the New Black na Netflix. As duas atrações apresentaram o serviço de streaming para o grande público.

House of Cards já estava caminhando para seu fim. O escândalo de Kevin Spacey só acelerou o processo. Acusado de abusar de um menor de idade, o ator duas vezes vencedor do Oscar foi eliminado da sexta temporada, na qual já deveria ter menos espaço, com o protagonismo voltado para Robin Wright.

Ao aceitar embarcar em uma série feita por uma empresa até então conhecida por enviar DVDs em envelopes para a casa de seus clientes, Spacey assumiu um risco, similar ao que Elizabeth Olsen faz atualmente, ao atuar em uma série do Facebook. A aposta, de certa forma, foi benéfica para o veterano. Foram cinco indicações ao Emmy (nenhuma vitória) e duas ao Globo de Ouro (uma vitória, em 2015).

As loucuras do mundo político de House of Cards conquistaram uma base sólida de fãs, vidrados nos conchavos e trambiques das figuras que mexem os pauzinhos nos bastidores do governo norte-americano. Qualquer semelhança com a realidade não é necessariamente uma coincidência.

Orange atingiu um público maior. Mesmo ambientada em uma prisão, a série é bem-humorada, algo que acaba prejudicando a série, principalmente no Emmy. Há quem a trate como um drama, outros consideram a produção uma comédia.

A Netflix não divulga dados de audiência, mas as pesquisas feitas por institutos que medem as visualizações na plataforma sempre mostram Orange bem posicionada. A criticada atual sexta temporada, por exemplo, teve números similares a dramas de sucesso da TV aberta dos EUA, como Arquivo X e How to Get Away with Murder.

Em 2017, Orange Is the New Black foi uma das duas únicas séries originais da Netflix mais vistas na plataforma entre o público norte-americano. Mas precisou dividir esse posto com Stranger Things. A lista foi encabeçada por Grey's Anatomy.

Prêmio NTV Melhores do ano

Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Juan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?Vladimir Brichta contracena com a filha em Quanto Mais Vida, Melhor; veja outros casosConfinado em A Fazenda 13, Dynho não sabe que Mirella pediu divórcio; como fica o caso?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas