TODAS AS MULHERES DO MUNDO

De 'esquerdomacho' a stalker: Web dá motivos para fugir de protagonista de série

REPRODUÇÃO/GLOBOPLAY

O ator Emilio Dantas apoiado em uma sacada durante uma festa em cena de Todas as Mulheres do Mundo

Emilio Dantas interpreta o protagonista Paulo na série Todas as Mulheres do Mundo

DANIEL FARAD - Publicado em 01/05/2020, às 05h03

À primeira vista, Paulo (Emilio Dantas) parece um dos homens mais interessantes do Rio de Janeiro em Todas as Mulheres do Mundo. O bonitão é intelectual, sensível e, de acordo com o relato de suas parceiras na série, ainda é bom de cama. Ele, porém, está longe de ser o sonho de consumo de qualquer mulher por ser um típico "esquerdomacho" --gíria para descrever homens machistas que se fazem de desconstruídos.

A produção original do Globoplay explora as conquistas amorosas do protagonista vivido por Emilio Dantas, sobretudo a sua relação de fascínio com Maria Alice (Sophie Charlotte). Em menor medida, a própria trama explora até que ponto o arquiteto mantém uma verdadeira obsessão pela bailarina.

A jovem chega a implorar para que o amigo de Cabral (Matheus Nachtergaele) o deixe em paz logo no início da história. A relação conturbada com a coreógrafa interpretada por Sophie Charlotte rendeu polêmica nas redes sociais, com direito a pessoas que viram uma espécie de relacionamento tóxico entre os dois.

O primeiro episódio, exibido pela Globo para fisgar o público para o seu serviço de streaming, deixou telespectadores incomodados com a "intensidade" de Paulo. O personagem foi estimulado a fazer terapia pela web, que não entendeu a sua obstinação em separar Maria Alice de seu noivo Leopoldo (Ricardo Gelli).

Outras formas de amar

Uma parte desse choque se explica pela narrativa ser adaptada do filme homônimo de Domingos de Oliveira, originalmente lançado em 1966. Considerada uma das principais obras do audiovisual brasileiro, a história parece ter chegado datada para os espectadores mais jovens na adaptação de Jorge Furtado e Janaína Fischer.

REPRODUÇÃO/GLOBOPLAY

Maria Alice (Sophie Charlotte) na série de Jorge Furtado: relação difícil com ex-namorado

Os parâmetros de amor livre que eram considerados inovadores ou revolucionários nas décadas de 1960 e 1970 hoje são alvo de inúmeras problematizações. O comportamento de Paulo de se envolver com diversas mulheres foi considerado como uma "irresponsabilidade afetiva", e não um gesto de liberdade.

A questão para os mais jovens não parece ser a poligamia, mas a forma como o rapaz se aproveita das fragilidades das mulheres à sua volta para se envolver com elas sem necessariamente firmar um laço que seja benéfico para as duas partes.

Apesar de alguns cancelamentos no chamado "tribunal da internet", Todas as Mulheres do Mundo recebeu elogios sobretudo pela atuação de Emilio Dantas e Sophie Charlotte. Alguns chegaram a reconhecer o comportamento de ex-parceiros em ambos os personagens, para o mal e para o bem. A trilha sonora também caiu no gosto popular.

Veja a repercussão no Twitter sobre Todas as Mulheres do Mundo:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual próxima reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook