Coronavírus

De Arquivo X a Grey's Anatomy: Dez séries para ultramaratonar na quarentena

Divulgação/ABC

Esparrramada em um sofá, Kelly McCreary encosta a cabeça no ombro esquerdo de Caterina Scorsone em cena de Grey's Anatomy

As atrizes Caterina Scorsone e Kelly McCreary em cena do drama hospitalar Grey's Anatomy; série para ultramaratonar

JOÃO DA PAZ - Publicado em 25/03/2020, às 05h41

Agora não tem mais desculpa. Devido ao isolamento social que impera no mundo, uma estratégia para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), vai sobrar tempo livre dentro de casa para ver desde o começo aquelas séries longas, com dez temporadas ou mais, casos de dramas consagrados como Arquivo X (1993-2002; 2016-2018) e Grey's Anatomy.

Dentro de uma rotina normal, realmente é complicado encarar atrações que passam dos 200 episódios. Mas com a campanha #FiqueEmCasa a todo vapor, não poderia haver melhor momento para se distrair de toda a tensão que assola a sociedade brasileira com séries do nível de Supernatural e Two and a Half Men (2003-2015), disponíveis nos streamings Netflix, Prime Video (da Amazon) e Globoplay.

Nessas três plataformas, há dez séries perfeitas para ultramaratonar. Confira:

Arquivo X (11 temporadas e 218 episódios; no Globoplay)

A rede americana Fox entrou na onda de ressuscitar séries populares de um passado nem tão distante, uma prática muito comum nesta década. Um dos dramas mais cultuados dos últimos tempos, Arquivo X retornou em 2016, dando sequência às nove temporadas exibidas até então. Os atores David Duchovny e Gillian Anderson reviveram seus personagens clássicos, os agentes do FBI Mulder e Scully, que trabalhavam em casos sobrenaturais (e em alguns nem tanto).

Friends (dez temporadas e 236 episódios; na Netflix)

Alguns fãs de Friends (1994-2004) clamam por uma continuação da comédia, nos moldes de Arquivo X, mas não vai rolar. No máximo, o sexteto que protagonizou a série vai se encontrar em um especial para divulgar o novo streaming da Warner. Com tempo para gastar em casa, o assinante da Netflix que está por fora das aventuras dos seis amigos jovens e solteiros em Nova York pode aproveitar a oportunidade para assistir à atração e entender por que ela é um fenômeno.

Grey's Anatomy (15 temporadas e 342 episódios, na Netflix)

A Netflix tem uma participação no sucesso que Grey's Anatomy faz mesmo depois de 15 anos no ar. O público mais jovem conheceu a série médica na plataforma e passou a ficar obcecado pelos dramas e romances que ocorrem no hospital Grey Sloan Memorial (como o local se chama atualmente). Com episódios fáceis de entender e boas atuações do elenco, Grey's Anatomy tem o poder do grude, fisga o público recém-chegado pelo coração.

divulgação/Fox

Politicamente incorreta, Married with... Children foi protagonizada por Katey Segal e Ed O'Neill 


Married with... Children (11 temporadas e 259 episódios; na Amazon)

Uma dica de uma série mais antiga. Married with Children (1987-1997), ou Um Amor de Família, foi uma comédia popular há 30 anos, inclusive no Brasil, onde foi exibida em tudo que é vitrine na TV, da HBO à Band. É aquela sitcom em um formato tradicional, que mostra as peripécias de uma família problemática. Mas ela tem um ingrediente a mais: um arsenal de piadas politicamente incorretas --que nos dias de hoje certamente não seriam bem aceitas pela patrulha da internet.

Modern Family (dez temporadas e 232 episódios; no Globoplay)

Comédia cinco vezes vencedora do Emmy, Modern Family tem seu lugar cativo na história da TV americana não apenas por esse desempenho, mas também por ser um exemplo de diversidade no mundo das séries, com um casal gay em uma relação estável e uma latina (Sofia Vergara) entre os protagonistas. Tudo para fazer valer o que diz o título da atração, mostrar a rotina de uma família moderna.

Smallville (dez temporadas e 217 episódios, no Globoplay e na Amazon)

Muitos brasileiros fãs de Smallville (2001-2011) são crias do SBT, de um tempo no qual a emissora do Silvio Santos exibia séries americanas em horários convidativos, como no horário nobre durante a semana ou nas tardes de domingo. A série acompanhou os primeiros passos de Clark Kent (interpretado por Tom Welling), no interior dos Estados Unidos, em sua jornada para virar o herói Superman.

Supernatural (14 temporadas e 307 episódios; na Amazon)

Série que narra as aventuras de dois irmãos à caça de todo tipo de entidade sobrenatural, Supernatural percorreu no Brasil uma jornada similar à de Smallville, desfrutando de sucesso no SBT, emissora que ainda exibe o drama pelas madrugadas de sábado adentro. Conhecida em todo o mundo, a atração é uma ótima pedida para quem curte suspense e histórias de assombração de leve, sem aquela carga exageradamente aterrorizante. Supernatural também está disponível no Globoplay, mas com uma temporada a menos: estão lá as 13 primeiras.

divulgação/CBS

Mayim Bialik e Jim Parsons na série The Big Bang Theory, disponível completa no Globoplay


The Big Bang Theory (12 temporadas e 279 episódios; no Globoplay)

Sem nenhuma estatueta de melhor comédia no Emmy para chamar de sua, The Big Bang Theory chegou ao fim no ano passado de cabeça erguida, mesmo sem ter conquistado o principal prêmio da TV dos Estados Unidos. Criação de Chuck Lorre, o rei das sitcoms, a série cumpriu o seu papel de quebrar estereótipos em relação aos nerds e geeks, propagandeados aos montes por Hollywood. Na atração, o CDF ganhou novos ares e os protagonistas tiveram romances e trabalhos importantes.

Two and a Half Men (12 temporadas e 262 episódios; na Amazon)

Filhote de Lorre, Two and a Half Men (2003-2015) está naquele grupo de séries polarizadoras, como Married With... Children. O humor ácido e politicamente incorreto pode ser datado e sem graça para alguns, enquanto outros não conseguem parar de rir com os casos românticos do namoradeiro Charlie Harper (Charlie Sheen) e do seu irmão, o desengonçado Alan (Jon Cryer). Vista com um olhar mais inocente, a comédia rende boas risadas durante horas e horas.

Will & Grace (dez temporadas e 228 episódios, no Globoplay)

A rede NBC escolheu Will & Grace para ser seu sucesso do passado a ser ressuscitado. O revival da série em 2017 foi bem logo de cara. Porém, a audiência foi caindo aos poucos e a atual 11ª temporada, no ar nos EUA, será a derradeira. Vencedora do Emmy de melhor comédia no ano 2000, a atração conta a história de um quarteto de amigos, entre eles o advogado gay Will (Erick McCormack) e a arquiteta hetoressexual Grace (Debra Messing).

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook