Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DO FASCÍNIO AO PRECONCEITO

Entre tapas e beijos: Quais são as cinco prostitutas favoritas da família brasileira?

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

A atriz Laura Cardoso como Caetana em cena de O Outro Lado do Paraíso, ela está com uma peruca ruiva e uma maquiagem pesada

Dona de um bordel, Caetana (Laura Cardoso) virou "santa" no final de O Outro Lado do Paraíso

DANIEL FARAD

vilela@noticiasdatv.com

Publicado em 2/6/2021 - 6h55

As garotas de programas até deixaram o interior dos orelhões, sempre lotados com anúncios e propostas indecentes antes de virarem peças de museu, mas nunca saíram do sofá da família tradicional brasileira. A profissão segue na boca do povo, nem que seja como um dos piores xingamentos, e ainda exerce uma espécie de fascínio sobre o telespectador --a ponto de se tornar praticamente um clichê de novela das nove. 

Capazes de despertar os piores preconceitos ou a mais genuína das curiosidades, as trabalhadoras do sexo também costumar fazer expediente mesmo nas tramas que são exibidas ainda com a luz do sol --do Vale a Pena Ver de Novo à faixa da seis em tempos saudosos (ou não) do horário do verão.

Os mais conservadores podem fazer sinal da cruz ao cruzar com uma delas na rua, mas até a Record já teve uma representante da classe como protagonista de seus folhetins. Poderosa (Day Mesquita) de Amor Sem Igual (2019), aliás, não foi a primeira a conquistar espaço na emissora do bispo Edir Macedo --já que a Bíblia faz uma série de menções à profissão mais antiga do mundo.

Em busca de tomar as rédeas das próprias narrativas, escapar dos chavões, das viradas rocambolescas e das redenções inexplicavelmente machistas, as prostitutas contam inclusive com o próprio dia, comemorado nesta quarta (2).

A data marca o protesto em que uma centena dessas profissionais ocuparam a igreja Saint-Nizier, em Lyon, na França, para chamar a atenção das autoridades para as condições precárias de vida. Elas entraram em greve, deixaram a cidade em polvorosa e entraram para a história.

Veja cinco prostitutas que caíram no gosto da família brasileira:

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Laura Cardoso em O Outro Lado do Paraíso

Caetana

Mesmo com uma vida inteira dedicada à esbórnia, Caetana (Laura Cardoso) provou que era tão santa quanto Mercedes (Fernanda Montenegro) em O Outro Lado do Paraíso (2017). A cafetina roubou a cena no último capítulo, quando ascendeu aos céus durante o próprio velório --que se viu transformado em um show de Pabllo Vittar.

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Giovanna Antonelli em Laços de Família

Capitu

Capitu (Giovanna Antonelli) foi capaz até de eclipsar Camila (Carolina Dieckmann) em Laços de Família (2000). A estudante de Direito se prostituía para pagar a faculdade, criar o filho e sustentar os pais, Pascoal (Leonardo Villar) e Ema (Walderez de Barros). E, para isso, engoliu muito desaforo de Orlando (Henri Pagnoncelli).

Em um das cenas mais clássicas, ela era desmascarada por Clara (Regiane Alves) bem no meio do casamento da protagonista interpretada por Carolina Dieckmann e Edu (Reynaldo Gianecchini). A recalcada avisou a todos os convidados que a "ilustre moradora do Leblon" era garota de programa.

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Luiza Tomé em Porto dos Milagres

Rosa Palmeirão

Rosa (Luiza Tomé) estava de casamento marcado com Otacílio (Eduardo Galvão) quando foi presa por vingar a morte da irmã Cecília (Luiza Curvo) em Porto dos Milagres (2001). Com fama de ter "fogo nas ventas", ela saiu do presídio e abriu um bordel ao mesmo tempo em que adotou a alcunha de "Palmeirão" --uma flora que Félix Guerreiro (Antonio Fagundes) conhecia bem.

REPRODUÇÃO/MANCHETE

Maitê Proença em Dona Beija

Dona Beija

Uma vingança fez Ana Jacinta (Maitê Proença) entrar na prostituição em Dona Beija (1986). Inspirada na figura homônima que escandalizou a sociedade de Araxá, no interior de Minas Gerais, ela foi raptada, estuprada e obrigada a servir Mota (Carlos Alberto) --e, na sua ausência, deitava-se com qualquer homem em troca de joias e ouro.

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Camila Pitanga em Paraíso Tropical

Bebel

Olavo (Wagner Moura) não se cansava de chamar Bebel (Camila Pitanga) de "cachorra" em Paraíso Tropical (2007). O empresário caiu de amores pela prostituta que batia ponto no calçadão de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, mas não tinha coragem para assumi-la. O público, no entanto, torcia para a jovem fisgar o milionário e se divertia com seus bordões --como "catiguria".

Enquete

Qual a prostituta com lugar cativo no sofá da família tradicional brasileira?

Caetana, que não à toa virou santa
20.83%
Capitu, que sofreu nas ruas do Leblon
19.51%
Rosa, porque mostrou o "palmeirão"
3.38%
Dona Beija, baseada em fatos reais
9.38%
Bebel, só para quem tem "catiguria"
46.90%


Leia também

Web Stories

+
A Fazenda 13: Sem barracos, Liziane frustra público e é eliminada; veja trajetóriaComo Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de Pantanal

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?