Novela das nove

O Outro Lado do Paraíso: Patrick descobre crime cometido por Fabiana no passado

Reprodução/TV Globo

Fernanda Rodrigues (Fabiana) em O Outro Lado do Paraíso; megera pagou para interditar tia - Reprodução/TV Globo

Fernanda Rodrigues (Fabiana) em O Outro Lado do Paraíso; megera pagou para interditar tia

REDAÇÃO - Publicado em 17/03/2018, às 06h17

Para livrar Clara (Bianca Bin) do processo movido por Fabiana (Fernanda Rodrigues), Patrick (Thiago Fragoso) iniciará uma investigação no hospício em que a mocinha foi internada e descobrirá um crime. O advogado de O Outro Lado do Paraíso saberá que sua prima pagou para que Beatriz (Nathalia Timberg) tivesse um falso diagnóstico para interdição de seus bens e ficasse isolada na clínica psiquiátrica.

Clara terá seus bens bloqueados por conta de uma ação movida por Fabiana, e Patrick resolverá bancar a amada, que a essa altura terá reatado com Gael (Sergio Guizé). A vilã irá morar em Palmas depois que se casar com Renato (Rafael Cardoso) e passará a infernizar a ex-empregada. Ela acusará Clara de roubo.

O advogado passará dias investigando a situação do hospício onde a mocinha vingativa conheceu Beatriz e descobrirá que uma denúncia gerou a prisão de seu diretor. Ele marcará uma reunião com a nova gestora do local e descobrirá que essa mulher era a psiquiatra responsável por sua tia.

No roteiro, a personagem é chamada de Hermínia (o nome da atriz não foi divulgado).

"Os últimos diretores eram corruptos. É cruel, mas este hospício era um depósito de gente. Nem todos eram doentes mentais, como se descobriu depois. Alguns pais internaram filhas até para impedir um casamento. Mas os diretores daqui mantinham os pacientes. À custa de dinheiro", revelará a psiquiatra.

Ela afirmará que fazia laudos, mas mesmo assim o antigo diretor mantinha os pacientes internados.

"Muitas vezes eram pessoas descontroladas. Ou que queriam viver a própria vida. Alguns pais internaram filhas até para impedir um casamento. Mas os diretores daqui mantinham os pacientes. Às custas de dinheiro. Eu era psiquiatra aqui, acompanhei vários casos. Fazia meus laudos, mas os pacientes continuavam internados. Até que houve uma denúncia", continuará a médica.

"Os pacientes foram libertados ou encaminhados a outras instituições. Depois do escândalo, o lugar não tinha condições de continuar recebendo novos pacientes. O Estado assumiu o controle. Hoje se tornou um manicômio judiciário", contará.

Patrick explicará que precisa saber sobre uma paciente que morreu na instuição, sua tia-avó Beatriz. "Eu estudei seu comportamento", comentará Hermínia. "Outros psiquiatras a examinaram. Todos que passaram por aqui, na verdade. Eu e outros médicos enviamos avaliações de sua tia para o antigo diretor. Todas estão arquivadas. Todas revogavam a interdição", revelará a médica.

"Por que ela foi mantida aqui?", indagará Patrick. "A neta dela, Fabiana, depositou muito dinheiro na conta do antigo diretor. Para dona Beatriz nunca sair daqui. O caso de dona Beatriz só não virou escândalo por si próprio porque a neta abafou. O antigo diretor está preso. O último faleceu. Eu assumi a direção porque...", falará ela, de forma reticente.

O advogado vai querer saber se foi ela quem fez a denúncia. Ela falará sobre a amizade que fez com Beatriz e da revolta que teve ao voltar de férias e descobrir sua morte.

"Aparentemente, outra interna, Clara Tavares, num gesto de desespero, entrou no caixão. E o caixão foi jogado ao mar. O corpo de sua tia estava escondido. Foi encontrado um tempo depois. Mas era tarde. Eu não pude suportar, uma mulher tão generosa, tão lúcida como dona Beatriz, morrer aqui, internada como louca. Não suportei saber que sua neta nem quis o corpo", dirá Hermínia.

Mais justiça
Ela confirmará que fez a denúncia diante de tanta monstruosidade e ficará feliz ao saber que Clara sobreviveu. "Era muito amiga de sua tia, a única entre as internas. Eu lamento não ter feito nada por ela", falará Hermínia. "Tudo tem sua hora certa. Agora pode fazer", avisará o criminalista.

Hermínia será a arma de Patrick contra Fabiana. Com o testemunho dela, o advogado lutará também para provar que Renato assassinou Beatriz e que Clara foi internada vítima de uma armação de Sophia (Marieta Severo) para ficar com as esmeraldas.

As cenas irão ao ar a partir de 13 de abril em O Outro Lado do Paraíso.


Confira cinco reportagens especiais sobre O Outro Lado do Paraíso:

De mimada a 'bicha pão com ovo': os sete mais odiados de O Outro Lado
Clara rejeitada e prisão de pedófilo levaram fãs da novela à loucura
De mocinha sem sexo a pacto com a morte: o fantástico mundo de Walcyr Carrasco
'A primeira tesourada é inesquecível', diz atriz que interpretou vilã da trama
Chega de achincalhar: cinco vezes em que O Outro Lado arrasou

Leia também

 

 

Últimas de O Outro Lado do Paraíso

Enquete

Afinal, como você avalia Bruna Marquezine em Deus Salve o Rei?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook