Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Channing Dungey

Netflix cria cargo para maior executiva negra da história da TV americana

Divulgação/ABC

Channing Dungey durante painel da TCA; executiva entra para Netflix em um alto cargo na hierarquia - Divulgação/ABC

Channing Dungey durante painel da TCA; executiva entra para Netflix em um alto cargo na hierarquia

REDAÇÃO

Publicado em 17/12/2018 - 17h37

A fila do desemprego foi curta para Channing Dungey, maior executiva negra da história da TV americana. Pouco mais de um mês após pedir demissão da ABC, na qual era presidente de entretenimento, Channing assinou com a Netflix para um cargo que a gigante do streaming criou especialmente para ela. A executiva assumirá o novo posto em fevereiro.

Channing será a vice-presidente de conteúdo original da Netflix, um dos mais importantes cargos na hierarquia da empresa. Sua função será chefiar as principais produções originais da Netflix, cuidando das criações de produtores renomados como Shonda Rhimes (Grey's Anatomy), Jenji Kohan (Orange Is the New Black) e Chuck Lorre (The Kominsky Method). A executiva também tocará as atrações feitas pelo casal Barack e Michelle Obama.

Neste ano, Channing foi ovacionada pelo público e aplaudida pela crítica por cancelar Roseanne (1988-2018), um sucesso de audiência neste ano, sem hesitar. Isso depois de a protagonista Roseanne Barr publicar um tuíte racista, no qual comparou uma conselheira do ex-presidente Obama a um macaco.

Após a fusão da Fox com a Disney, grupo que controla a rede ABC, ela preferiu pedir as contas em vez de ter de responder a uma executiva vinda da Fox, Dana Walden, que será a supervisora de todas as atrações da ABC. Channing deixou a rede norte-americana antes mesmo de completar três anos no cargo que ostentava.

Na ABC, Channing promoveu vários hits, principalmente quando comandou o departamento de séries dramáticas. De lá nasceram Scandal (2012-2018) e How to Get Away with Murder, ambas feitas por Shonda Rhimes.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?