Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

ANIMAÇÃO, COMÉDIA E FANTASIA

Sessão nostalgia: Por que filmes de 2001 marcaram tanto uma geração?

DIVULGAÇÃO/DREAMWORKS

Fiona e Shrek em cena de Shrek

Fiona e Shrek em cena de Shrek; filme de animação chegou aos cinemas 20 atrás, em 2001

VICTOR CIERRO VIEIRA

victor@noticiasdatv.com

Publicado em 22/6/2021 - 6h15

Há 20 anos, chegavam aos cinemas novos clássicos como Shrek, Monstros S.A., Harry Potter e a Pedra Filosofal, Atlantis - O Reino Perdido, O Diário de Bridget Jones, Legalmente Loira e O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel. Nessas duas décadas, os efeitos visuais evoluíram drasticamente e a gama de produções aumentou, assim como a representatividade nos elencos. Então, por que os longas de 2001 impactaram tanto uma geração?

De adaptações de livros fantasiosos até animações da Disney e Pixar, os filmes de 2001 deixaram sua marca no público por uma série de motivos distintos --seja por causa da trilha sonora, do roteiro inovador ou dos personagens cativantes.

Essas histórias continuam vivas e rendendo frutos. Monstros S.A. vai ganhar uma série animada no Disney+. O universo de O Senhor dos Anéis vai continuar a ser explorado em uma produção bilionária do Prime Video. E o público conhece mais sobre o mundo mágico de Harry Potter na franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam.

Para celebrar 20 anos desses lançamentos, o Notícias da TV explica por que os sete filmes marcaram uma geração:

Shrek

Shrek, um ogro solitário, tem sua vida interrompida quando vários personagens de contos de fadas aparecem em seu pântano. Todos foram expulsos de suas casas pelo maligno lorde Farquaad. Incomodado com tanta gente em sua propriedade, Shrek exige que o monarca aceite todos de volta, mas o lorde dá uma condição para realizar seu desejo: ele precisa resgatar a princesa Fiona e trazê-la ao governante.

Shrek parte em sua jornada acompanhado do Burro Falante. Eles conseguem salvar a princesa, que é prisioneira de um dragão. Mas, para a surpresa da dupla, os problemas só estão começando.

A animação estava fora do padrão da época --a qualidade da imagem revolucionou os filmes do gênero, e os dubladores originais eram de alto calibre (Mike Myers, Eddie Murphy e Cameron Diaz).

As qualidades do filme não pararam por aí. A trilha sonora tinha destaque na produção e, por conta de Shrek, as músicas I'm a Believer e All Star, da banda Smash Mouth, ficaram eternizadas nos ouvidos do público.

Shrek também fugiu da fórmula das histórias de príncipes e princesas, apesar de usar elementos dos contos de fada. As personagens femininas saíam do estereótipo da época, e Fiona não era uma donzela em perigo. Inclusive, as cenas de lutas eram muitas vezes protagonizadas pela princesa.

Atlantis - O Reino Perdido

Nesta animação, o explorador Milo recebe um mapa que indica exatamente a localização da cidade perdida de Atlantis. Junto com o capitão Rourke e sua tripulação, ele parte em busca da lenda a bordo de um submarino. Bancada por um excêntrico magnata, a expedição passa por alguns problemas. Para achar a cidade perdida, a tripulação precisa enfrentar diversos obstáculos.

O filme da Disney é a primeira animação sci-fi de sucesso da companhia. A empresa do Mickey Mouse também fugiu da fórmula das suas produções e fez um longa para todas as idades. Além dos aspectos infantis de uma animação, o filme trata de tópicos pesados, como genocídio e a exclusão de uma cultura inteira.

O Diário de Bridget Jones

A comédia romântica conta a história de Bridget Jones (Renée Zellweger), que em pleno Ano-Novo, decide mudar o rumo de sua vida e passar a ter mais controle sobre o que faz. Com isso, ela começa a escrever um diário. A protagonista dá sua opinião sobre os diversos assuntos de sua vida no que passa a ser o mais provocativo e erótico livro que já esteve na cabeceira de sua cama.

A atuação de Renée rouba a atenção do filme. O papel em Bridget Jones lhe rendeu uma nomeação ao Oscar, na categoria de melhor atriz --algo pouco comum para atores de comédias românticas. Sua personagem é imponente e serve de inspiração para muitos até hoje.

O Diário de Bridget Jones é considerado uma referência no mundo das comédias românticas. Além dos motivos listados previamente, a presença dos atores Colin Firth e Hugh Grant elevou a produção com uma mudança no já batido formato do triângulo amoroso.

Legalmente Loira

Elle Woods (Reese Witherspoon) é a presidente da sororidade de onde estuda e está no calendário do campus como Miss Junho. Ela também namora Warren (Matthew Davis), o garoto mais bonito da escola. Ou seja: a patricinha tem tudo o que quer.

Porém, quando o jovem vai estudar Direito na Universidade de Harvard, ele rompe com Elle, porque acha a garota fútil. Mas Elle não vai deixar a situação assim. Para provar sua inteligência e acabar com estereótipos, a garota decide estudar para entrar no curso de Direito também.

A comédia desafia os estereótipos atrasados da época, Elle serve de inspiração para seguir seus sonhos, além de provar que não é possível julgar o livro apenas pela capa. A personagem interpretada por Reese representa bem os gostos e as tendências do início dos anos 2000, o que pode promover nostalgia para muitos que continuam a assistir esta clássica produção.

Além disso, Elle tem uma evolução clara durante a história. O que faz o público ter mais empatia pela personagem, torcer por ela durante a trama e ficar realizado com a conclusão do filme --que ganhou uma continuação dois anos depois.

Monstros S.A.

Nesta animação, uma fábrica de sustos utiliza portas que funcionam como portais para dentro do quarto de crianças. Os monstros, então, precisam assustar os pequenos, pois os gritos de meninas e meninos servem como fonte de energia para a cidade e para a própria empresa.

Dentre os monstros da fábrica, o melhor rankeado é James P. Sullivan, o Sulley. Apesar de grande e intimidador, um dos grandes motivos pelo seu sucesso é Mike Wazowski, seu assistente e melhor amigo.

Durante um dia de trabalho, a humana Boo vai parar na fábrica, e os protagonistas ficam em pânico ao encontrá-la. É que as crianças são consideradas tóxicas pelos monstros, que acreditam que qualquer toque infantil pode ser fatal.

Monstros S.A. é um fenômeno até hoje. Em 2013, a Disney lançou Universidade Monstros, filme que conta como Mike e Sulley se conheceram e começaram a trabalhar na empresa.

E, 20 anos depois da estreia, o público ainda quer saber o que acontece depois com a dupla icônica. Por isso, o Disney+ vai lançar uma série que continua a história de Mike e Sulley, agora como diretores da Monstros S.A.

Harry Potter e a Pedra Filosofal

O filme baseado na saga homônima de J. K. Rowling conta a história de Harry Potter (Daniel Radcliffe), um garoto órfão que vive infeliz com seus tios. Sua vida é mudada quando ele recebe uma carta para ingressar na escola de Hogwarts, um colégio especializado em formar jovens bruxos.

Apesar de ser inicialmente barrado por seu tio, Harry consegue ir para a escola com a ajuda do guarda-caça do colégio, Hagrid (Robbie Coltrane). O protagonista, então, é introduzido ao mundo mágico. Ainda na fase de aprendizado, o jovem entra em diversas aventuras e confusões com seus novos amigos, Hermione (Emma Watson) e Rony (Rupert Grint).

O primeiro de oito filmes da franquia marca a introdução a este mundo mágico e fantasioso. A produção dá vida à imaginação dos fãs dos livros e apresenta uma história cativante para o resto do público.

O sucesso foi tão grande que os outros seis livros ganharam adaptações nos cinemas. E não parou por aí. Após a conclusão da história original, o mundo do Harry Potter continuou vivo nas telonas com a franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam. 

O universo mágico chegou também ao teatro. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada se passa 19 anos após o fim do último livro e mostra a história do filho do personagem de Daniel Radcliffe ao ingressar em Hogwarts. Também há atrações inspiradas no universo do bruxo nos parques de diversão da Universal espalhados pelo mundo.

O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel

Lançado em janeiro de 2002 no Brasil, o filme estreou internacionalmente em 2001. Na trama, que se passa na Terra-Média, Frodo Bolseiro (Elijah Woods) recebe um anel mágico e maligno de seu tio. Para o objeto não cair em mãos erradas, o protagonista precisa enfrentar um caminho perigoso para destruí-lo.

Para isso, ele conta com a ajuda de outros hobbits, dois humanos, um anão, um elfo e um mago -- que formam a Sociedade do Anel do título.

Dirigido por Peter Jackson, o filme adapta o primeiro volume de uma série de livros. O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel somou 13 indicações ao Oscar, e venceu em quatro categorias: maquiagem, efeitos visuais, fotografia e trilha sonora.

O Prime Video desenvolve uma série que antecipa os acontecimentos da trilogia. A produção tem um investimento inédito: só para a primeira temporada foram investidos US$ 465 milhões (R$ 2,3 bilhões).


Leia também

Web Stories

+
A Fazenda 13: Sem barracos, Liziane frustra público e é eliminada; veja trajetóriaComo Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de Pantanal

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?