Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

GRANDE ESTREIA

Com Zendaya em seu auge, Malcolm & Marie é nova prova de evolução da Netflix

Divulgação/Netflix

Zendaya e John David Washington sentados lado a lado em cena do filme Malcolm & Marie

Zendaya e John David Washington protagonizam Malcolm & Marie, filme que estreia nesta sexta (5) na Netflix

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 5/2/2021 - 6h50

A Netflix estreia nesta sexta-feira (5) o drama Malcolm & Marie (2021), filme estrelado por Zendaya e John David Washington e cercado de expectativas do público. Depois de brilhar (e levar um Emmy) por Euphoria, a atriz de 24 anos demonstra mais uma vez estar no auge da carreira e ajuda o serviço de streaming a provar sua evolução no mercado.

Por muito tempo, a Netflix ganhou destaque na indústria por produzir filmes demais com qualidade de menos. Isso vem mudando há alguns anos, com a tentativa da plataforma de agregar mais valor ao seu catálogo com títulos dignos de integrarem as grandes premiações do cinema e da TV.

Um caminho que teve início com a parceira com cineastas consagrados e colocou Roma (2018), dirigido pelo vencedor do Oscar Alfonso Cuarón, na mira da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, e que parece não ter volta. Só no ano passado, a Netflix emplacou dois títulos entre os candidatos a melhor filme: O Irlandês (2019) e História de um Casamento (2019).

Para 2021, a tendência é a presença da plataforma no Oscar aumentar ainda mais. Filmes como Os 7 de Chicago (2020) e A Voz Suprema do Blues (2020), ambos produções originais do serviço, surgem com força nas primeiras listas divulgadas das grandes premiações. Deixado de lado, Malcolm & Marie pode não ser um dos representantes, mas ainda serve como um bom exemplo dessa virada história da Netflix na busca pelo troféu dourado.

O longa foi filmado em duas semanas, em um local remoto e com uma equipe reduzida durante a quarentena causada pela Covid-19, tornando-se um dos únicos projetos de Hollywood a iniciar e concluir sua produção nos primeiros meses do surto do vírus.

Se o filme seria digno de aparecer entre os candidatos a prêmios como o Globo de Ouro (que o esnobou), grande parte dessa responsabilidade recai sobre os ombros de Zendaya --também esnobada.

Dirigido por Sam Levinson, criador de Euphoria, Malcolm & Marie reúne atriz e diretor em um conto épico sobre a noite de um casal que retorna para casa após a estreia de um longa comandado pelo rapaz, vivido por Washington.

Divulgação/Netflix

Momento de paz entre o casal protagonista

Ele, um cineasta ainda jovem e buscando o respeito na indústria, volta para casa com o sentimento de ter criado sua obra-prima. Ela, uma ex-modelo e dependente química que o acompanha em sua jornada depois de desistir de sua tentativa de seguir carreira como atriz.

Apesar da felicidade de Malcolm pela boa recepção de seu filme, o clima entre os dois logo começa a se deteriorar com a cara fechada de Marie por causa de seu namorado, que teoricamente a usou como musa para escrever o roteiro e se esqueceu de agradecê-la.

O que deveria ser uma noite de felicidade e celebração transforma-se em uma atraente e inesgotável DR recheada de acusações, declarações, xingamentos e revelações --a maneira mais tangível de um relacionamento tóxico ser reproduzido em um filme.

Extremamente revoltados um com o outro, os dois competem para ver quem consegue machucar mais. Malcolm é egocêntrico e um tanto machista, e Marie se mostra firme apesar de tanto sofrimento em sua vida. Conforme a discussão avança e os pudores vão ficando para trás, fica impossível dizer quem ultrapassou o limite primeiro --ou até mesmo quem tem a razão.

Quando tudo parece entrar novamente nos eixos, uma colocação ou um comentário mal feito (ou interpretado) destrava novamente as emoções dos dois. Nada ali é novo, tendo em vista que o casal está junto há anos. Nas entrelinhas, o longa é uma viagem pela intimidade dos personagens e a visão que ambos têm de cada um e do mundo.

É possível descrever as discussões entre Malcolm e Marie como uma dança perfeitamente coreografada por seus representantes. Mesmo que o filme tenha apenas os dois em cena, Washington e Zendaya engradecem o longa e tomam todo o espaço da solitária casa usada para as filmagens, tamanha a qualidade de suas atuações.

Por mais desconfortável que seja assistir à briga do casal, há algo incrivelmente comovente em ver os dois se enfrentando. A sinceridade no texto de Levinson mostra, como ele mesmo confessou em entrevista recente, que o filme não teria existido sem a contribuição dos atores. Sem Washington e Zendaya, todo esse sentimento não seria capaz de vir à tona.

Ainda há tempo até a Academia revelar quais serão os filmes na lista do Oscar 2021. Mesmo que a premiação também decida ignorar o longa, diretor e atores podem dormir tranquilos, assim como Malcolm: desta vez, o trio realmente atingiu o ápice de suas carreiras.

Confira o trailer legendado de Malcolm & Marie:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você acompanhará após o fim do BBB21?