Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

FUNCIONÁRIOS INSATISFEITOS

RedeTV! prorroga redução de salários para seis meses e 'abusa' de dinheiro público

DIVULGAÇÃO/REDETV!

Amilcare Dallevo fala ao microfone ao lado Marcelo de Carvalho, eles são donos da RedeTV!

Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho, donos da RedeTV!: emissora é alvo de reclamações de sindicatos

DANIEL CASTRO e VINÍCIUS ANDRADE

dcastro@noticiasdatv.com

Publicado em 27/8/2020 - 15h16

Nesta semana, a RedeTV! convocou seus funcionários para assinar uma nova prorrogação na redução de 25% dos salários em mais 60 dias, totalizando seis meses de corte. Nove sindicatos ligados ao setor de radiodifusão assinaram uma nota conjunta reclamando que os profissionais da emissora foram coagidos a concordar com a medida, sob pena de demissão, além de denunciarem um suposto abuso do dinheiro do governo federal.

O Notícias da TV teve acesso ao documento, além de um ofício de 12 páginas enviado pelo Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo para a RedeTV! na quarta-feira (26). Em nota, a emissora diz que "continuará a adotar todas as medidas necessárias à manutenção de suas atividades".

A reclamação dos funcionários é de que a RedeTV! é a única grande rede de televisão que continua prorrogando nacionalmente o corte de 25% dos salários e da jornada de trabalho, como uma tentativa de "aumentar ainda mais os rendimentos".

"Os empregados da emissora têm sido chamados para assinar, de maneira
constrangedora, contratos individuais de redução de rendimentos, sob pena de serem demitidos. Os poucos funcionários que resistiram foram imediatamente desligados da empresa", alega a nota dos sindicatos.

No documento assinado pelos profissionais, consta que a redução "decorre de expressa manifestação de vontade do empregado".

A Medida Provisória 936 autorizou que as empresas cortassem 25% dos salários de funcionários, como forma de reduzir as perdas e as demissões durante a quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus. Para quem recebe até três salários mínimos, a renda foi preservada, com parte do rendimento pago pela empresa e o complemento bancado pelo governo.

Para o sindicato, não há motivo para o corte salarial dos funcionários na RedeTV! continuar, visto que a emissora está investindo. Como exemplos, são citadas a contratação de Luís Ernesto Lacombe, que assinou na quarta-feira (26), e a recente renovação do contrato de Sikêra Júnior.

"No dia 26 de agosto, mesmo dia em que a maioria dos funcionários recebeu o novo contrato com a redução de salário, Lacombe assinou com a emissora e participou do programa de Sikêra. Mas não foi só isso que causou indignação geral. Durante o programa, não faltou piada sobre o 'salário' do novo contratado", ressaltam os sindicatos na nota.

O apresentador do Alerta Nacional renovou seu contrato com a RedeTV! pelo período de sete anos. Fontes do Notícias da TV afirmaram que os ganhos do apresentador, entre salário e participações em merchandising, são de R$ 500 mil por mês. Nos 84 meses em que trabalhará na emissora, ele receberá em torno de R$ 42 milhões.

O que os funcionários não aceitam é que os sócios Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho tomem decisões tão desproporcionais como essa. Reduzir em 25% os salários de todos os profissionais de carteira assinada e promover, em plena pandemia, a renovação de um contrato milionário, como foi o caso de Sikêra, provocaram revolta geral.

Investimentos na RedeTV!

O documento dos sindicatos cita órgãos ligados ao governo de Jair Bolsonaro que anunciam na emissora, além dos sorteios do RedeTV! Plus, campanhas do setor privado, horários locados para igrejas e rendimentos do portal da emissora como possíveis provas de que a situação financeira não é ruim.

Os funcionários ainda destacam que, recentemente, a RedeTV! se mostrou disposta a fazer uma proposta pelos direitos de transmissão da Copa Libertadores da América, conforme antecipou o UOL Esporte.

No ofício enviado à emissora, o Sindicato dos Jornalistas pede que a emissora volte atrás na decisão e ameaça ir à Justiça: "Por fim, aguardaremos um posicionamento formal da empresa em tempo oportuno, no sentido de revogar essa nova prorrogação da redução de jornada e salário, sob pena de serem tomadas as medidas jurídicas e sindicais cabíveis à espécie".

Procurada pela reportagem, a RedeTV! enviou a seguinte nota: "A RedeTV!, assim como a maioria das empresas, está adotando e continuará a adotar todas as medidas necessárias à manutenção de suas atividades face à grave crise econômica ocasionada pela pandemia".


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?