Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

LUTO

Ex-jurado carrasco do Ídolos, Arnaldo Saccomani morre aos 71 anos

REPRODUÇÃO/SBT

Arnaldo Saccomani no programa do Ratinho com um microfone na mão

Arnaldo Saccomani no quadro de calouros do programa do Ratinho; produtor musical morreu nesta madrugada

REDAÇÃO

Publicado em 27/8/2020 - 6h10
Atualizado em 27/8/2020 - 11h15

O produtor musical Arnaldo Saccomani morreu na madrugada desta quinta-feira (27) aos 71 anos. Conhecido do grande público como o jurado carrasco dos programas Ídolos, exibido entre 2006 e 2007 pelo SBT, e Qual É Seu Talento (2009-2012), ele sofria de um problema renal raro, que o fez necessitar de hemodiálise. Sua filha Thais prestou homenagem no Instagram com uma foto em que aparece de mão dada com o pai. "Sempre estaremos juntos", escreveu ela.

Seu amigo pessoal e colega de profissão Rick Bonadio também prestou homenagem em suas redes sociais. "É com uma profunda tristeza que dedico esse espaço ao grande amigo, mestre e pessoa que me deu as primeiras oportunidades e incentivos na minha carreira na música", escreveu ele.

"O Arnaldo é um dos maiores produtores musicais desse país se não o maior. Talentoso, carismático e o rei dos comentários inesperados mas profundamente pertinentes. Obrigado por todos os ensinamentos mestre Lindaço, te conheci por um equívoco do destino e graças a você pude fazer o que mais amo na vida. Descanse em paz", encerrou Bonadio.

Thais homenageou o pai em sua rede social

De acordo com informações do jornalista Felipeh Campos publicadas no Instagram, Saccomani estava acompanhado de familiares em sua casa na cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo. Há dois meses, o produtor realizava sessões diárias de hemodiálise. O velório será às 10h desta quinta no Parque Memorial Paulista, em Embu das Artes.

Em maio de 2019, ele precisou ser internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por causa de uma uremia, quando os rins não conseguem trabalhar adequadamente e a quantidade de uréia se eleva na corrente sanguínea.

Fim do contrato com o SBT

Em janeiro deste ano, Arnaldo Saccomani encerrou seu contrato com o SBT. Contratado em 2006 para ser jurado do Ídolos, ele ocupava o cargo de diretor musical da novela As Aventuras de Poliana (2018). Thomas Roth, que também integrou o júri dos extintos realities musicais produzidos pela emissora de Silvio Santos na década passada, entrou em seu lugar.

Mesmo sem contrato com o SBT, ele seguiu aparecendo na emissora no júri do Dez ou Mil, concurso de calouros do Programa do Ratinho. Mas sem contrato fixo, apenas recebendo cachê por suas participações.

Saccomani ganhou espaço na TV por conta de seu elogiado e premiado trabalho como produtor musical, iniciado nos anos 1960. Ao longo de sua carreira, produziu artistas nacionais e internacionais importantes, como Tim Maia (1942-1998), Rita Lee, Ronnie Von, Fábio Júnior e o mexicano Luis Miguel.

Em 2006, foi contratado para integrar o júri do Ídolos, que teve apenas duas temporadas no SBT. Quando a emissora perdeu o direito do formato, criou o Astros e, em seguida, o Qual É o Seu Talento?. Saccomani atuou no júri de ambos.

Foi nesses programas que perpetuou seu estilo imprevisível nas avaliações. Havia dias em que ele estava bem-humorado e tecia elogios superlativos aos concorrentes. Mas nos momentos de pouca inspiração, não poupava críticas aos aspirantes a famosos que passavam por sua frente.

No show de calouros do Programa do Ratinho, ele manteve seu estilo, mas passou a ser mais econômico em suas palavras. Seu último trabalho como produtor foi no álbum Além do Tempo, de Larissa Manoela, no início de 2019.

Veja a homenagem de Rick Bonadio a Arnaldo Saccomani:


SBT lamenta morte

Na manhã desta quinta-feira (27), o SBT emitiu uma nota de pesar e lamentou profundamente a morte de Arnaldo Saccomani, que participava semanalmente do Programa do Ratinho. O jurado do quadro Dez ou Mil estava afastado como medida de segurança contra o novo coronavírus. 

"Além de produtor e compositor, Saccomani atuou como jurado de realities nos últimos anos, tendo feito parte, no SBT, dos programas Ídolos, Astros e Qual é o Seu Talento?, onde se destacou com as críticas contundentes, que o levou a fazer parte do quadro Dez ou Mil, do Programa do Ratinho, onde participava semanalmente, mas estava afastado por conta do risco da Covid-19", relembrou a emissora.

"O compositor deixa a esposa Vera e duas filhas. O SBT presta solidariedade e deseja que Deus conforte sua família", finalizou a empresa de Silvio Santos. 

Confira a nota de pesar do SBT na íntegra: 

É com profundo pesar que o SBT lamenta o falecimento do produtor musical e jurado Arnaldo Saccomani, de 71 anos, vítima de insuficiência renal. Saccomani estava em seu sítio, na cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo.

Com uma carreira vitoriosa de mais de 50 anos na indústria fonográfica, Arnaldo Saccomani foi responsável pela trajetória musical de grandes cantores, bandas e conjuntos musicais como Ronnie Von, Tim Maia, Os Mutantes, Fábio Jr e Os Travessos. Estabeleceu a carreira de Tiririca, intermediou o contrato de Mamonas Assassinas com a gravadora EMI, e foi responsável pelos grandes sucessos musicais de Mara Maravilha.

Além de produtor e compositor, Saccomani atuou como jurado de realities nos últimos anos, tendo feito parte, no SBT, dos programas Ídolos, Astros e Qual é o Seu Talento?, onde se destacou com as críticas contundentes, que o levou a fazer parte do quadro Dez ou Mil, do Programa do Ratinho, onde participava semanalmente, mas estava afastado por conta do risco da Covid-19.

Arnaldo Saccomani também foi diretor musical da teledramaturgia do SBT, tendo participado ativamente da trilha sonora das novelas Carrossel, Chiquititas, Cúmplices de Um Resgate, Carinha de Anjo e As Aventuras de Poliana.

O compositor deixa a esposa Vera e duas filhas. O SBT presta solidariedade e deseja que Deus conforte sua família. O velório acontece até o meio-dia no Cemitério Memorial Parque Paulista em Embu das Artes.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?