Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SENTENÇA NA ITÁLIA

Condenado por estupro, Robinho mostrou 'desprezo' por vítima, acusa juíza

IVAN STORTI/SANTOS FC

Robinho vestindo a camisa do Santos com os braços cruzados

Condenado em segunda instância por estupro, Robinho usou e humilhou a vítima, disse juíza em sentença

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 9/3/2021 - 17h20

O teor da sentença que condenou Robinho em segunda instância por estupro em dezembro do ano passado foi divulgado pelo Tribunal de Apelo de Milão, na Itália, nesta terça-feira (9). A juíza Francesca Vitale julgou que o jogador brasileiro humilhou e usou a vítima, uma mulher albanesa, que na época do episódio, em 2013, tinha 23 anos.

Segundo escreveu a magistrada no documento de mais de 20 páginas, Robinho e seu amigo Ricardo Falco, que também foi condenado pelo mesmo crime, mostraram "desprezo particular" pela vítima que foi "brutalmente humilhada".

Na sentença, ela escreveu que os dois "imediatamente tentaram desviar a investigação, oferecendo aos investigadores uma versão falsa e previamente combinada do fatos". Ambos foram condenados a nove anos de prisão.

De acordo com o procurador do caso, Cuno Tarfusser, "a sentença é correta e foi escrita de forma compreensível ao cidadão. Em vez de termos jurídicos, a corte usou a descrição das conversas interceptadas para dar clareza ao caso". 

No julgamento em segundo grau, a defesa de Robinho usou fotos de redes sociais para mostrar que a vítima costumava consumir bebidas alcóolicas e questionou suas condições psíquicas, mas os argumentos não foram considerados pela corte.

"O quadro probatório ilustrado demonstra de modo inequívoco o estado de total inconsciência da pessoa ofendida", diz trecho da sentença proferida pelo Tribunal de Apelo de Milão.

De acordo com as investigações, Robinho, Falco e mais três amigos (cujos nomes não foram revelados) levaram a mulher para o camarim de uma boate em Milão, onde ela comemorava seu aniversário e, aproveitando de seu estado, mantiveram "múltiplas e consecutivas relações sexuais com ela". Os outros suspeitos deixaram a Itália ao longo das investigações e, por isso, são investigados em outros processos.

Recurso na Corte de Cassação

O atleta permanece em liberdade, pois tem direito a recorrer à terceira e última instância da Justiça italiana, o que pode fazer a partir de agora, com a divulgação do teor da sentença. O Notícias da TV procurou a advogada de Robinho no Brasil, Marisa Alija, mas não obteve resposta até a publicação deste texto. A defesa sustenta que o jogador teve relações consensuais com a jovem e que o arrependimento dele foi ter sido infiel com sua mulher.

Os advogados do atacante têm 45 dias para entrar com recurso. No entanto, a Corte de Cassação, terceira e última instância da Justiça na Itália, equivalente ao STF (Supremo Tribunal Federal) no Brasil, pode considerar o caso não admissível e confirmar a condenação, encurtando o processo e declarando o atleta culpado. Ele, então, pode ser preso.

Em outubro, Robinho chegou a ser anunciado como reforço do Santos, mas após uma pressão forte da imprensa e de torcedores, o clube voltou atrás e desistiu de contratar o atleta de 36 anos. Ele não entra em campo há um ano e seu contrato com o Peixe se encerrou em fevereiro, dando fim à sua quarta e mais melancólica passagem pelo time da Vila Belmiro que o revelou para o futebol.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e confira o nosso boletim diário com os principais destaques do dia


Leia também

Enquete

Você gostou do primeiro mês de Um Lugar ao Sol?

Web Stories

+
Teste de fidelidade? A Fazenda 13 coloca relacionamento de peões em xequeTraída, enganada e desprezada: 7 vezes em que Bárbara quebrou a cara em Um Lugar ao SolMansão nova, presença VIP e publis: Saiba tudo sobre a carreira de Deolane BezerraÚltima temporada de La Casa de Papel: Após o fim, série já tem spin-off confirmadoFicção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotos

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas