Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

CONDENADO POR ESTUPRO

Advogada de Robinho bate boca ao vivo com apresentadores do Fox Sports

REPRODUÇÃO/FOX SPORTS

Benjamin Back entrevistando Marisa Alija, advogada de Robinho

Benjamin Back entrevistou Marisa Alija, advogada de Robinho, que bateu boca ao vivo no Fox Sports

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 13/10/2020 - 18h32

A edição desta terça-feira (13) do Fox Sports Rádio foi marcada por uma discussão quente. A advogada de Robinho, Marisa Alija, bateu boca ao vivo com os jornalistas Benjamin Back e Flavio Gomes. O motivo da briga foi o uso da palavra "condenado" para se referir ao jogador, que recebeu sentença condenatória em primeira instância na Justiça da Itália pelo crime de estupro coletivo, cometido em 2013.

"Ele [Robinho] não pode ser condenado. A palavra 'condenada' já está sendo usada de uma forma ilegal. Enquanto ele não for condenado em todas as instâncias, o que é que a imprensa quer, pelo visto, ele não pode ser considerado culpado e a imprensa não pode usar esse termo", começou a advogada.

"Eu não estou defendendo. Estou apenas dizendo o que vocês podem ou não falar", completou Marisa, antes de ser questionada por Flavio Gomes. "Qual palavra a senhora quer que a gente use em vez de 'condenado'?", perguntou o jornalista.

Ela se enrolou na resposta, mas repetiu o discurso. "Tecnicamente, ele foi condenado, é acusado, sofreu perda na primeira instância, mas tem pelo menos mais dois graus de recurso. Só pode ser condenado depois que não houver recurso cabível", respondeu para Flavio, que insistiu no questionamento.

"Mas ele foi condenado em primeira instância. Estou só querendo saber que palavra você quer que a gente use. Porque a senhora não pode entrar no mérito. Estamos todos dispostos a condenar o Robinho, estamos todos dispostos à lacração", ironizou o funcionário do Fox Sports. "Tecnicamente, ele foi condenado em primeira instância", acrescentou.

"Você tem que usar a palavra acusado. A legislação é bem clara", concluiu a advogada no programa ao vivo. O assunto foi muito repercutido nas redes sociais e se estendeu para o Twitter, onde a advogada se pronunciou para defender o seu posicionamento e negar que tenha proibido os jornalistas de usarem o termo condenado.

"Proibi não, fofo. Não tenho esse poder. Cada um fala o que quer e é responsável pelo que fala", disse ela em resposta a um internauta. Marisa foi muito criticada na internet também pelo fato de defender um atleta condenado por violência sexual contra uma mulher.

"Essa é a pior parte: mulher", observou a internauta Camila. "Que papelzinho ridículo dessa mulher", criticou a jornalista Bárbara Sacchitiello.

Marisa também foi alvo de mais críticas por sua incoerência por conta de um tuíte de novembro de 2019 em que ela se posiciona a favor da prisão em segunda instância, isto é, conduta diferente do que adotou hoje ao defender Robinho e dizer que o atacante só pode ser considerado culpado após se esgotarem todos os recusos cabíveis. 

Entenda o caso

Robinho virou um dos assuntos mais comentados do Twitter nos últimos dias após ser repatriado pelo Santos no último sábado (10). O que causou muita repercussão foi o fato de o clube ter ignorado a condenação do jogador pelo crime de estupro.

Ele foi sentenciado pela Justiça italiana em 2017, quando ainda jogava pelo Atlético-MG, e o ato criminoso ocorreu em 2013, em Milão, na Itália, época em que defendia o Milan. Segundo a sentença, o jogador participou de um estupro coletivo contra uma jovem de origem albanesa em uma boate. 

As redes sociais, de modo geral, repudiaram a volta do jogador, e alguns movimentos que defendem os direitos das mulheres fizeram o mesmo. O Santos não se pronunciou sobre o assunto. Apenas enalteceu o reforço, que retornou ao clube para sua quarta passagem.

Confira a entrevista da advogada de Robinho ao Fox Sports Rádio:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você já tem seu favorito em A Fazenda 12?