Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TÓXICA

Coach como a Helena de Um Lugar ao Sol é um erro para quem quer emagrecer

FOTOS: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Claudia Mauro está caracterizada como Helena em cena de Um Lugar ao Sol

Claudia Mauro interpreta a tóxica coach de emagrecimento Helena na novela Lugar ao Sol

LUANA BENEDITO

luanab@noticiasdatv.com

Publicado em 27/1/2022 - 6h45

Em Um Lugar ao Sol, a coach de emagrecimento interpretada por Claudia Mauro choca pelo seu método radical e falas gordofóbicas. Com a promessa de uma rápida perda de peso, Helena lembra alguns mentores fitness da vida real, com os seus desafios mirabolantes, jejuns de longa duração e dietas da moda. Para especialistas, quem deseja mudar os hábitos ou emagrecer deve passar bem longe de profissionais como a personagem.

Na novela das nove da Globo, a coach é apresentada ao público durante uma consulta de Nicole (Ana Baird). Ex-gorda, ela exibe orgulhosa o seu antes e depois, impressionando a nova cliente. Em seguida, a mentora fitness dispara um jargão de seu programa de emagrecimento: "Não perdi 50 kg, eu eliminei".

Convencida pelo persuasão e resultados a curtíssimo prazo, a personagem de Ana Baird contrata os serviços de Helena. Um pouco depois, ela já aparece em cena na sua dieta restritiva, com uma porção pequena de salada e reclamando da quantidade modesta de molho permitida na refeição. 

A nutricionista Vera Salvo explica que existem múltiplas causas para o excesso de peso e obesidade, não apenas um fator único, e alerta para os profissionais que prometem milagres, cada vez mais comuns na internet.

"Qualquer pessoa curiosa que queira ensinar a emagrecer não sendo um profissional de saúde pode estar desconsiderando vários aspectos importantes, que podem colocar em risco a saúde da pessoa que deseja emagrecer", aponta a conselheira do CRN-3 (Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região).

A especialista chama a atenção para o caráter restritivo dos desafios e dietas propostos por alguns coaches. "Quando a gente tem uma grande indústria por trás da obesidade, a cada momento, ano, verão, a gente tem dietas diferentes. Dietas que surgem em substituição, às vezes, a outras que já existiam e, muitas vezes, com características nutricionais muito semelhantes. Na proporção, por exemplo, dos macronutrientes, carboidrato, proteína e gordura. Elas são semelhantes, mas vão recebendo nomes mais atrativos", observa.

"Então, monta-se um cenário para, na verdade, vender a ideia de que é possível emagrecer de maneira muito rápida. É isso que todas essas dietas da moda prometem, e resultados rápidos", acrescenta Vera. 

A nutricionista destaca o caráter dicotômico das dietas e a demonização dos alimentos. Nas redes sociais, há coaches que criticam o consumo de frutas, cereais, grãos, alimentos integrais e muito mais, que em um passado recente eram considerados saudáveis. 

É bom ou é ruim? É permitido ou é proibido? Não tem um caminho do meio, não tem um equilíbrio. A demonização de alguns alimentos faz parte de um conceito que a gente chama de nutricionismo. Eu não enxergo que é comida, eu enxergo o nutriente. A pessoa fala que está comendo o carboidrato e não, por exemplo, o arroz. Ela fala que vai comer uma proteína, e não um pedaço de frango ou carne. Com isso, reduz o sentido do alimento e da nutrição.

Vera ainda completa que os alimentos têm outras propriedades. "Essa demonização de alguns faz com que um alimento que deveria ser fonte de saúde e prazer ao longo da nossa história se torne algo muito complexo e muito sofrido", analisa a conselheira, que recebe relatos em seu consultório de pacientes perdidos sobre o que devem comer diante dos tantos modismos.

"Cada hora é um problema, é glúten, gordura, sódio, açúcar... Como se um único alimento tivesse poderes mágicos pra resolver tudo, ou como se um único alimento pudesse estragar toda nossa vida", diz a nutricionista, que conclui: "Desconecta das reais necessidades do nosso corpo, já que cada um de nós responde de uma maneira um pouco distinta aos mesmos estímulos, ao mesmo alimento, e aí tem muita chance nessa restrição de encontrar um gatilho para o início de um transtorno alimentar".

Helena mostra o antes e depois para Bárbara e Nicole

Helena mostra antes e depois

Sem antes e depois 

O conselho da especialista é buscar profissionais qualificados da área de saúde para quem busca emagrecer e ter atenção aos que exibem antes e depois dos clientes como portfólio.

"Fere o código de ética do nutricionista. Justamente porque, enquanto profissional de saúde, ele tem responsabilidade sobre a saúde do indivíduo e deveria entender que a obesidade é multifatorial. Ao colocar o antes e o depois, ele [nutricionista] está reforçando a ideia de fracasso para quem não consegue. E não depende só de foco, força e fé."

A psicóloga Fabíola Luciano chama a atenção para os impactos negativos das dietas em relação à saúde mental e também refuta o "foco, força e fé".  "A gente tem como resultado disso uma superidealização de uma receita e uma fórmula fácil para emagrecer, e quem não consegue é um fracassado. Você não foi bom o suficiente", observa. 

"É quase uma conta, né? Tipo: 'Come x calorias, gasta Y e emagrece'. Se você não consegue resolver essa conta, então você é uma pessoa que não dá conta da sua vida. Quando, na verdade, é muito maior do que isso", acrescenta a psicóloga. No folhetim das nove, Nicole usou essa justificativa de que Paco (Otávio Müller) é fracassado apenas por ser gordo e terminou com ele.

Helena está sentada ao lado de Bárbara

Helena aterroriza ao falar sobre comer

Comer emoções?

Na trama de Lícia Manzo, Helena diz que emagreceu depois que parou de comer as próprias emoções. O discurso da coach tem sido usado também pelos aspirantes a mentores fitness na vida real, como se todo "comer a mais" fosse um transtorno. Alguns ainda elevam o radicalismo, como se o ato de se alimentar fosse somente um hábito. 

Fabíola pontua que alimentação pode e deve ser encarada como um momento positivo no dia a dia. "A gente come socialmente, a gente vai na casa da avó jantar no Natal, ou nas férias. Então, ela pode ser prazer e não tem nada errado nisso. Assim como, por exemplo, férias, viajar, estar com quem a gente gosta, ir ao cinema são prazeres que a vida tem."

A psicóloga frisa que compulsão alimentar é um transtorno sério e é diferente de comer demais num dia isolado em que está estressado. "Talvez o que esses profissionais tentem dizer é sobre aquele fracasso na dieta, sabe? Aquela 'jacada', esse tipo de coisa: 'Então o senhor está comendo emoção, você ficou estressado e comeu'. A gente não pode colocar tudo como como compulsão alimentar porque, além de banalizar, tira a seriedade."

Um Lugar ao Sol é uma novela escrita por Lícia Manzo. Por conta do novo surto da Covid-19, o folhetim ganhou mais duas semanas no ar e será esticado até 26 de março. A trama será substituída pelo remake de Pantanal em 28 de março.

Confira os resumos dos capítulos da novela das nove que o Notícias da TV publica diariamente.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações do que vai acontecer em Um Lugar ao Sol e outras novelas:


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.