Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MEMÓRIA DA TV

Odete Roitman traficante e Fátima assassina: A Vale Tudo que você não conhece

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Beatriz Segall caracterizada como Odete Roitman, da novela Vale Tudo

Beatriz Segall (1926-2018) interpretou em Vale Tudo (1988) Odete Roitman, a maior vilã da história das novelas

THELL DE CASTRO

Publicado em 19/7/2020 - 7h00

Considerada uma das maiores novelas da história da televisão brasileira, Vale Tudo, exibida pela Globo entre maio de 1988 e janeiro de 1989, poderia ter ido ao ar com uma trama bastante diferente daquela que conhecemos, com temas como tráfico de armas, suicídio e assassinato envolvendo os principais personagens. Conheça curiosidades dos bastidores do folhetim que estreia neste domingo no Globoplay.

Em entrevista ao jornal O Globo de 6 de março de 1988, Gilberto Braga, autor da novela ao lado de Aguinaldo Silva e Leonor Bassères (1926-2004), contou que até chegar à sinopse final que foi ao ar, foram criadas mais de 20 histórias. "Escolher o tema de uma novela é difícil, pois quase tudo já foi focalizado. Então, optamos pela corrupção, de que tanto ouvimos falar hoje em dia", justificou.

Mesmo depois da trama central definida, alguns fatos foram alterados. De acordo com reportagens da época, Raquel (Regina Duarte) venderia bronzeador na praia e, posteriormente, doces, não sanduíches; em vez de ter a companhia aérea TCA e outras empresas desse setor, o grupo de Odete Roitman (Beatriz Segall) venderia armas, inclusive ilegalmente, para ditadores como Muamar Kadafi (1942-2011), da Líbia.

No lugar de ajudar Raquel após ela ser assaltada por pivetes no início da novela, Ivan (Antonio Fagundes) conheceria sua futura amada na revista (não jornal) que seu pai trabalhava, após um desmaio da guia turística que foi para o Rio de Janeiro atrás da filha. Já Rubinho (Daniel Filho) levaria o dinheiro ilegal de Marco Aurélio (Reginaldo Faria) para Genebra, na Suíça, em vez de Nova York, nos Estados Unidos.

Agora prepare-se para conhecer as duas histórias mais chocantes que não se concretizaram: de acordo com o jornal O Globo de 27 de abril de 1988, Heleninha (Renata Sorrah) descobriria o caso de Raquel com Ivan durante a trama e se suicidaria.

Separada de Afonso (Cássio Gabus Mendes), Maria de Fátima (Gloria Pires) seduziria Marco Aurélio, reuniria provas contra ele e o mataria depois de uma discussão. Raquel assumiria o crime para salvar a filha da cadeia, e o único que acreditaria em sua inocência seria Ivan, que a salvaria no final.

O Jornal do Brasil de 28 de abril de 1988 publicou uma matéria dizendo que algumas pessoas que leram a sinopse de Vale Tudo acharam a trama muito semelhante à do filme Almas em Leilão, produzido em 1959.

"No cinema, Joan Crawford (1904-1977) interpretava uma mulher separada do marido, pobre, que vende doces para sobreviver e satisfazer os desejos da filha mimada. Vende tantos doces que acaba rica, proprietária de uma cadeia de restaurantes", destacou o JB. "No caso, só será mera coincidência a semelhança com pessoas ou fatos da vida real", completou o texto.

Inicialmente, os nomes dos personagens também seriam diferentes. Reportagens de março de 1988 indicavam que a protagonista vivida por Regina Duarte se chamaria Helena, enquanto sua filha, eternizada como Maria de Fátima, seria Laís. Rubinho, papel de Daniel Filho, seria Gérson; a Tia Celina de Nathalia Timberg deveria ser originalmente Aurélia; e Marco Aurélio seria Olivério.

Definição do elenco

Em abril de 1988, praticamente todo o elenco da novela já estava definido, e foi feita a primeira reunião com os artistas. Antonio Fagundes voltava ao vídeo depois de três anos se dedicando ao teatro --sua última trama havia sido Corpo a Corpo, também de Gilberto Braga. Já Carlos Alberto Riccelli não atuava na TV há quatro anos. Outros nomes, como Flávia Monteiro, foram escolhidos após se destacarem no teatro e no cinema.

Um mês antes da estreia da novela, dois importantes nomes ainda não estavam definidos. Matéria de 3 de abril publicada em O Globo informava que o diretor Dennis Carvalho queria Daniel Filho para o papel de Gérson (Rubinho) e Beatriz Segall (1926-2018) para viver Odete Roitman. As duas especulações foram confirmadas dias depois. Você consegue imaginar outra atriz vivendo a maior vilã da história da teledramaturgia nacional?


THELL DE CASTROé jornalista, editor do site TV História e autor do livro Dicionário da Televisão Brasileira. Siga no Twitter: @thelldecastro


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?