Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

AGRESSOR IDENTIFICADO

Homem que agrediu repórteres da Globo responde por lesão corporal e injúria

REPRODUÇÃO/GLOBO

Alan Severiano no estúdio do SP1; ele veste uma camisa branca, gravata azul e um terno cinza

Alan Severiano no SP1; o âncora deu detalhes sobre a agressão a jornalistas no início de março

VINÍCIUS LUCENA

Publicado em 22/3/2022 - 13h14

O homem que agrediu dois repórteres da Globo no início de março foi identificado e indiciado pela Polícia Civil. Adriano Ferreira de Queiroz, de 33 anos, vai responder pelos crimes de lesão corporal grave e injúria. O anúncio foi feito por Alan Severiano durante o SP1 desta terça-feira (22).

"No dia 2, ele segurava um cachorro amarrado a uma corrente, se aproximou e começou a xingar os repórteres Renato Biasi e Ronaldo de Souza que faziam imagens no local. Depois o homem partiu com a corrente para cima da equipe. Um golpe atingiu o repórter cinematográfico Ronaldo de Souza, que felizmente está bem, mas precisou fazer uma cirurgia", relembrou o âncora.

Na época, os funcionários da Globo estavam gravando uma reportagem sobre a situação da feirinha da madrugada, no Brás, quando o agressor disparou ataques contra a equipe da emissora. Segundo o anúncio, ainda não ficaram claras as motivações do agressor que tentou impedir o trabalho da imprensa.

"Ontem o homem foi localizado, levado à delegacia e interrogado. Ele vai responder a lesão corporal de natureza grave e também por injúria. As penas somadas por esses dois crimes podem chegar a seis anos de prisão", detalhou Severiano.

REPRODUÇÃO/GLOBO

imagens do agressor veiculadas pela Globo

Imagens do agressor veiculadas pelo SP1

Agressões a jornalistas da Globo

Durante a cobertura da pandemia, muitos repórteres chegaram a ser atacados por negacionistas. Recentemente, Anselmo Caparica foi interrompido durante uma transmissão ao vivo no SP1. O jornalista estava dando detalhes sobre a nova variante da Covid-19 quando começou a ser imitado. Na ocasião, Caparica teve que ser cortado ao vivo.

Em abril do ano passado, Renato Peters foi empurrado por uma apoiadora de Jair Bolsonaro, que gritou: "A Globo é um lixo e [Jair] Bolsonaro tem razão!".

Quatro dias depois, a jornalista Mariana Aldano também foi interrompida por dois homens que saíram de uma fila na porta de uma agência da Caixa Econômica Federal e começaram a gritar "Globo lixo".

No fim de outubro de 2021, o correspondente da Globo Leonardo Monteiro foi hostilizado pelo presidente Jair Bolsonaro e agredido por um segurança durante a cobertura da participação do político na cúpula do G20, em Roma, na Itália.

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.