Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

PEDAÇO DE MIM

Vilão em Renascer, Vladimir Brichta vive homem machista e egoísta na Netflix

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Em cena de Pedaço de Mim, Vladimir Brichta está com um papel nas mãos olhando para Juliana Paes, que está de costas

Vladimir Brichta em cena de Pedaço de Mim com Juliana Paes: personagem é machista e egoísta

CARLA BITTENCOURT, colunista

carla@noticiasdatv.com

Publicado em 24/6/2024 - 10h00

Vilão sem nenhum escrúpulo em Renascer, Vladimir Brichta aparecerá na pele de outro homem desprezível em Pedaço de Mim, série de melodrama da Netflix. Intérprete do coronel Egídio na novela das nove da Globo, o ator será Tomás, um homem machista e egoísta no novo projeto da plataforma de streaming, que estreia no dia 5.

Na história, Liana (Juliana Paes) descobre que seu marido, Tomás (Brichta), está vivendo um caso com uma outra mulher. Os dois se separam, e ela vai a uma boate com a melhor amiga.

Lá, Liana encontra Oscar (Felipe Abib), melhor amigo do irmão dela, que morreu 13 anos antes. O cara dopa a protagonista e se aproveita da vulnerabilidade dela. O bandido transa com ela praticamente desacordada e, para piorar, tira o preservativo sem o consentimento da mulher.

O resultado: ela tem uma superfecundação heteroparental, que consiste em uma gravidez de gêmeos de pais diferentes. Ao saber da situação, já com o casamento retomado, Tomás sugere que Liana aborte o filho que não é dele.

"Tomás é um personagem que eu rejeito. Acho ele um cara extremamente egoísta. É claro que, no primeiro momento, dói você saber que sua mulher está grávida. Mas aí depois você fica sabendo que aquilo é uma violência, e você tem dificuldade de acreditar que aquilo foi uma violência...", indignou-se Vladimir Brichta em papo com o Notícias da TV.

Para o ator, a grande dificuldade de Tomás é se colocar no lugar do outro: "Eu acho que, na vida, a gente melhora para exercer a empatia. Eu acho que a nossa trama é muito feliz, porque ela provoca o tempo inteiro o espectador a se colocar nesse lugar da outra pessoa".

Na trama, Liana fica em dúvida sobre levar as gestações adiante para entregar o bebê de Oscar para adoção ou abortar o filho indesejado. Tudo, claro, sem o apoio do marido.

"Há algumas tentativas dele de ser uma pessoa legal, correta. Ele parece que tem cura, que tem solução. Mas é um homem realmente egoísta, é um homem forjado nos privilégios todos que ele representa. Não dá pra defendê-lo, não. E ele vai se tornando, com o passar do tempo, mais ensimesmado", pontuou o marido de Adriana Esteves.

"Ele não tem capacidade de se colocar no lugar dele, de compreender que aquela mulher foi vítima de uma violência, que ela não tem culpa sobre isso, que ela não é responsável. E ele tem uma coisa de culpabilizar a mulher... O Tomás representa uma sociedade patriarcal e machista, que subjuga todo o restante, não só a mulher", finalizou Brichta na conversa.


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.