Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DAVI SANTOS

Power Ranger brasileiro encara lockdown para estrelar série médica nos EUA

Reprodução/Nickelodeon

Davi Santos caracterizado como o ranger dourado de Power Rangers Dino Charge, mas sem o capacete

Davi Santos com seu traje de Power Ranger na série Dino Charge; ele está no elenco de Good Sam

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 27/8/2021 - 6h35

Aos 31 anos, Davi Santos é celebrado pelos fãs brasileiros como um dos três atores nascidos no país a fazerem parte da franquia Power Rangers. O guerreiro do traje dourado da temporada Dino Charge (2015-2016) agora se prepara para um novo desafio: atuar na série médica Good Sam, que estreia nos Estados Unidos no início do ano que vem. Para gravar o drama, o carioca teve de enfrentar um lockdown, muitos testes de Covid-19 e uma espera interminável.

"Era um projeto que eu estava pronto para fazer no início de 2020, mas foi pausado [por causa da pandemia] e só fomos retomar em janeiro deste ano. Nós gravamos em Toronto [no Canadá], que estava toda em lockdown, né?", conta o ator em entrevista exclusiva ao Notícias da TV. "A equipe [de protocolo de higiene] ficava no estúdio e falava: 'Você não pode beber água aqui, tem que ser lá', 'não pode comer aqui'..."

Estamos vendo a indústria do audiovisual reabrir, com muitas restrições, fazendo teste de Covid todo dia, aquela loucura. Mas é importante seguir isso para proteger todo mundo, e também para completar o projeto. Tem produções em Los Angeles que precisaram pausar até cinco vezes por causa da pandemia. E aí tem que parar tudo, fazer testes para todo mundo... Mas cada vez mais projetos estão acontecendo, o que é ótimo.

Depois de finalizar o piloto (o primeiro capítulo, que é apresentado aos executivos das redes para eles decidirem quais séries entrarão na grade), Good Sam teve sua primeira temporada encomendada pela CBS, e o elenco vai voltar ao Canadá em breve para gravar os episódios restantes entre outubro e março do ano que vem.

Davi (sorrindo) com Sophia Bush, Omar Maskati, Michael Stahl-David, Jason Isaacs e Skye P. Marshall nos bastidores de Good Sam (Reprodução/Instagram)

A atração contará a história de Samantha (Sophia Bush, de One Tree Hill e Chicago PD), uma cirurgiã que tem de assumir um cargo de chefia no hospital após seu pai (Jason Isaacs, de Harry Potter) entrar em coma. Quando ele acorda, porém, sua filha precisa não só supervisionar o trabalho dele como se provar diante de um homem que nunca reconheceu seus talentos. Davi Santos dá vida a Joey Costa, um dos jovens médicos do Lakeshore Sentinel Hospital.

Good Sam será o terceiro grande projeto do brasileiro na TV americana depois de Power Rangers: ele também atuou em Law & Order True Crime (2017) e em Tell Me a Story (2018-2019), série que pegava contos de fada e os atualizava para os dias de hoje --com muito sangue, sexo e violência.

A mudança de rota de ir para uma série infantojuvenil em que ele combatia vilões com a ajuda de dinossauros e robôs para um projeto adulto, em que logo na primeira cena o ator aparecia limpando o sangue de seu corpo, não foi algo que ocorreu por acaso para o brasileiro.

"Eu gosto de experiências chocantes, é uma coisa que me inspira e faz com que eu me sinta vivo. Era um prazer enorme estar lá, fazer a minha morfagem, 'eu sou um super-herói', e depois ir para o outro lado, correr, descobrir meu colega de quarto coberto de sangue dentro da banheira. Era outro mundo! É muito importante para mim fazer trabalhos diferentes", resume. 

Para ter mais experiências diferentes na hora de trabalhar, Santos montou a própria produtora, a Densely Hollow Films, pela qual roteiriza, dirige e estrela seus projetos.

Eu sempre gostei de prestar atenção aos créditos dos filmes, ver quem era o compositor, quem cuidava da cinematografia. Quando você começa a trabalhar nos bastidores, amplia seu escopo, você decide a maneira de contar a sua história. Acho que me ajuda a ser um ator melhor e a amar ainda mais a indústria e a nossa arte.

Brasileiro ou americano?

Apesar de ter nascido no Rio de Janeiro, Davi se mudou para os Estados Unidos quando tinha apenas nove meses, e só foi visitar seu país de origem novamente aos 21 anos. O seu português vem com um sotaque carregado --como é possível perceber no vídeo abaixo--, mas a paixão pela cultura brasileira falou mais alto do que a distância.

"Eu adoro bossa nova, acompanho desde cedo. De vez em quando aparece um funk que eu acho interessante, mas eu gosto mais da coisa clássica, sabe? Daquele Rio de Janeiro de antigamente, eu gosto muito da História do Brasil", valoriza ele, que também é fã de Fernanda Montenegro, a quem chama de a Meryl Streep tupiniquim, e de Sonia Braga.

"Eu assisto aos filmes, prefiro filmes do que séries, mas também tenho muito respeito pelas novelas do Brasil. Meus pais assistem direto, então eu vejo com eles de vez em quando. A cinematografia, como ela é gravada, tudo é muito bonito, artístico, muitas vezes melhor do que as coisas daqui (risos)", ressalta.

Santos, inclusive, não esconde sua vontade de poder trabalhar no Brasil. "Seria um sonho. Eu não tenho muitos itens na minha lista de coisas para fazer antes de morrer, mas essa seria uma delas. Qualquer desculpa para morar no Brasil durante um tempo maior, eu aceito. Trabalhar no Brasil, no cinema, na televisão... E os teatros de São Paulo e do Rio de Janeiro parecem o Palais Garnier, na França. Já vi muitas peças em Nova York, na Broadway, e posso dizer que a cena teatral do Rio de Janeiro é da mais alta qualidade", conta.

Confira a entrevista exclusiva com Davi Santos:  


Leia também

Enquete

Você gostou de Tadeu Schmidt no comando do BBB22?

Web Stories

+
BBB 22: Luciano sabota sonho da fama e se frustra com número de seguidoresFinal de Malhação na Globo tem sequestro, incêndio e final feliz; saiba tudoPor que Ludmilla e Anitta brigaram? Entenda a treta que respingou no BBB 22BBB22: Cinco vezes em que Naiara Azevedo atraiu o ranço do público na primeira semanaFaustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca Record

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas