PANDEMIA NA FICÇÃO

Médicos alertaram Grey's Anatomy que seria 'irresponsável' ignorar novo coronavírus

DIVULGAÇÃO/ABC

Perto da recepção de um hospital, Camilla Luddington olha para Jesse WIlliams; ambos vestem jaleco de médicos em Grey's Anatomy

Os atores Camilla Luddington com Jesse Williams em episódio da 16ª temporada de Grey's Anatomy

JOÃO DA PAZ - Publicado em 01/08/2020, às 06h55

O que a principal série médica da atualidade deveria fazer com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), ignorá-la ou abordá-la? Para a showrunner Krista Vernoff, a chefe de Grey's Anatomy, a primeira opção seria ideal. Ela defendeu sua posição, mas médicos consultores da trama a alertaram que seria "irresponsável" não falar do assunto.

Em entrevista para o podcast TV's Top 5, da revista Hollywood Reporter, a produtora contou como foi convencida a mudar de opinião. No primeiro encontro com os roteiristas para definir os rumos da 17ª temporada, ela fez um discurso todo contra a inclusão da pandemia na série. "Para mim, era uma questão de fadiga. E pensei que as pessoas precisavam de um alívio no meio dessa crise sanitária", justificou.

Ao terminar sua fala, ela perguntou quem estaria disposto a convencê-la do contrário. Todos os roteiristas levantaram a mão, pedindo uma oportunidade para falar e defendendo a inserção da doença na nova leva de episódios. "Mas, nossos consultores médicos foram particularmente persuasivos. Eles me convenceram de que seria irresponsável ignorar, no principal drama hospitalar da TV, a maior crise sanitária dos últimos tempos."

Krista acatou as recomendações. Mas surgiu uma nova questão: como abordar essa pandemia tão brutal, cheia de fatalidades? O ponto de vista mais light da showrunner prevaleceu nessa discussão, pois Grey's Anatomy vai fugir do mórbido. É uma tentativa de falar do problema sem deixar de dar espaço aos romances e brincadeiras. Ou seja, oferecer ao público um escape durante os episódios.

O coronavírus será tratado com equilíbrio, segundo Krista. Não será o grande tema da temporada, mas também não aparecerá em mensagens subliminares. Os roteiristas estão trabalhando neste momento para mostrar todo tipo de narrativa, aquelas vividas por médicos reais na linha de frente desse surto que assola todo o mundo, mas principalmente os Estados Unidos.

"Dá para contar uma história leve sobre as pessoas que estão de quarentena, dentro de suas casas. Tem como também apresentar como é a vida dos médicos que não vão para seus lares para não expor sua família a um contágio, e assim se juntam para alugar uma casa e entram em uma nova rotina", explicou a produtora. "Há muita coisa para abordar situações relacionadas à Covid-19 que não sejam necessariamente sobre morte e desespero."

Ela também ressaltou uma curiosidade. Muitos cirurgiões que fazem operações eletivas (aquelas que não são urgentes) simplesmente não estão trabalhando ou diminuíram drasticamente a labuta nesse período, assim como algumas enfermeiras. Isso também será tratado no drama, provavelmente com Jackson Avery (Jesse Williams), o principal cirurgião plástico da série.

reprodução/abc

Krista Vernoff em participação em um programa especial de Grey's Anatomy; Covid-19 na tela


Beijo interrompido

Se por um lado Grey's Anatomy terá facilidade durantes as gravações nesse "novo normal", já que naturalmente médicos usam máscara e a série mostra bastante isso, uma dificuldade específica é o que fazer com as cenas românticas. Nos EUA, a série passou a ser exibida até mais tarde na temporada passada, às 21h, para poder ousar nesse quesito. Krista afirmou que eles vão dar um jeito.

A showrunner não vai fazer a série ficar mais centrada em casos médicos nem abandonar a pegação nas salas e closets do hospital Grey Sloan. "Há muito sexo em Grey's Anatomy, e não necessariamente rola um beijo. Tem maneiras sexies de tirar uma roupa ou ficar atrás de uma pessoa com aquele olhar sedutor", disse. Mas é impossível negar uma coisa. "Vai ter muito menos beijo", sacramentou.

A fórmula de fazer um romance dentro de um protocolo no qual os atores não podem trocar beijos nem ficar perto um do outro é um dos grandes desafios a serem superados para a próxima temporada, pontuou Krista. Como há vários pormenores, a decisão foi escrever as cenas amorosas normalmente e, na hora das gravações, vão ver o que dá para fazer, sempre obedecendo às recomendações de saúde.

Nesse processo, Krista aproveitou para falar sobre a possibilidade de não poder contar com um ator que se contamine com a Covid-19 durante os trabalhos. Os roteiristass estão montando várias versões de um episódio para que não haja perda significativa no andamento da trama caso um infortúnio desses venha a ocorrer.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?
Sinta-se em Casa, com Marcelo Adnet sempre criativo e afiado
10.15%
Diário de um Confinado, com retrato fiel do isolamento social
17.34%
Cada um no seu Quadrado, com suas dinâmicas divertidas
2.39%
Prefiro as reprises das novelas mesmo
70.12%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook