Fim do drama

Cinco personagens da TV que arrasariam na prisão de Orange Is the New Black

Divulgação/Fox

Taraji P. Henson em Empire; atriz venceu um Globo de Ouro por viver a desenfreada Cookie Lyon - Divulgação/Fox

Taraji P. Henson em Empire; atriz venceu um Globo de Ouro por viver a desenfreada Cookie Lyon

JOÃO DA PAZ - Publicado em 26/07/2019, às 04h49

Imagine como seria se a desenfreada Cookie Lyon (Taraji P. Henson), da série Empire, parasse na penitenciária de Litchfield, de Orange Is the New Black. Ou se uma das detentas fosse a calculista Annalise Keating (Viola Davis), de How to Get Away with Murder, pronta para livrar alguém de um assassinato. No dia da estreia da sétima e última temporada da série da Netflix, confira cinco personagens que arrasariam na prisão ficcional.

A lista, com nomes que já ficaram atrás das grades (ou fizeram por merecer) conta aubda com a egoísta Eleanor Shellstrop (Kristen Bell), de The Good Place, a extrovertida socialite Miriam "Midge" Maisel (Rachel Brosnahan), de The Marvelous Mrs. Maisel, e a intensa Renata Klein (Laura Dern), de Big Little Lies. Confira:

divulgação/abc

Annalise (Viola Davis) poderia ter uma passagem pela prisão mais suave do que em sua série


Annalise Keating, de How to Get Away with Murder

A advogada Annalise Keating conhece uma coisa ou outra sobre a vida criminal. Além de ser uma professora perita nas nuances do Direito, ela atua para livrar clientes (e seus alunos) de assassinatos. Em How to Get Away with Murder, Annalise já passou pela prisão e usou vermelho atrás das grades. 

Se vestisse laranja em Litchfield, Annalise ficaria bem na dela, no melhor estilo "não mexe com quem está quieto". Mas, quando provocada, rebateria na mesma moeda. E, claro, seria a pessoa de dentro da cadeia expert em como acobertar um crime. Na penitenciária de Orange, Annalise poderia ter uma rotina prisional amena, porque em How to Get Away with Murder ela já viveu maus bocados.

divulgação/nbc

Não se engane com essa cara meiga: egoísmo de Eleanor (Good Place) a levou para o Inferno


Eleanor Shellstrop, de The Good Place

Existe prisão pior do que o Inferno? Pois a egoísta Eleanor Shellstrop (The Good Place) foi parar lá após levar uma vida sem qualquer ética. Embora nunca tenha cometido um crime grave ou uma ofensa passível de cárcere, a existência regada a desonestidade e grosseira lhe rendeu um passaporte ao tormento eterno.

Será que em Orange ela também bolaria um plano para fugir do "lugar ruim"? De toda maneira, Eleanor causaria na cadeia com sua personalidade extrovertida. Por ser bissexual, poderia até emplacar um romance lá dentro. E, com seu desejo adormecido de melhorar como pessoa, talvez saísse de Litchfield com uma alma purificada, típica daquelas belas histórias de redenção.

divulgação/fox

Com cara de poucos amigos, Cookie (Taraji P. Henson) não abaixaria a cabeça para ninguém


Cookie Lyon, de Empire

Com a destreza necessária para aguentar a dura vida das ruas, Cookie Lyon (Empire) sobreviveu aos 17 anos que passou presa enquanto seu então ex-marido levava uma vida boa e livre. Parceiro de Cookie no tráfico, Lucious (Terrence Howard) virou um empresário musical de sucesso. Assim que saiu da cadeia, ela exigiu participação financeira na gravadora Empire, que tinha ajudado a fundar. 

Sem levar desaforo para casa, Cookie seria uma ótima personagem em Orange Is the New Black. Ela não abaixaria a cabeça para ninguém e ainda colocaria apelidos ótimos em suas colegas presidiárias.

divulgação/amazon

A dondoca Miriam "Midge" Maisel teria um espaço fixo no show de talentos em Litchfield


Miriam "Midge" Maisel, de The Marvelous Mrs. Maisel

Na imensidão de produções ambientadas em prisões, há personagens de todos os tipos, inclusive socialites. Essa cota poderia ser preenchida pela espirituosa Miriam "Midge" Maisel. A dondoca já foi presa por ato obsceno na série The Marvelous Mrs. Maisel, da Amazon, ambientada nos anos 1950. Durante uma apresentação de stand-up, ela disparou palavrões e mostrou os seios para a plateia.

Por ser extremamente controladora, Midge iria irritar sua colega de cela em Orange, sempre querendo as coisas de seu jeito. Mas bastaria uma companheira mais rígida para controlar esse autoritarismo. Obviamente, ela seria uma das atrações nos shows de talentos da prisão e provocaria risos em suas apresentações. E ainda iluminaria os pensamentos das encarceradas com sua visão feminista da sociedade.

Divulgação/HBO

Renata (Laura Dern) seria aquela que reagiria com um "bom dia por quê?" à saudação matinal


Renata Klein, de Big Little Lies

A toda poderosa Renata Klein (Laura Dern) fez questão de dizer, durante a segunda temporada de Big Little Lies, que "não ia deixar de ser rica" por causa das trapalhadas financeiras do marido que levaram o casal à falência. Ele foi parar na prisão. Mas ela também tem um pouco de culpa que poderia colocá-la no xilindró, pois mentiu para a polícia sobre um crime que testemunhou.

Essa postura arrogante de Renata não cairia bem na cadeia de Orange. Ela chegaria cheia de marra, mas tudo mudaria assim que alguém batesse de frente com a (ex-)ricaça e desse nela um choque de realidade. Seria curioso ver como a dondoca se comportaria sem as benesses de sua antiga vida, digna de ser destaque de uma reportagem sobre as mulheres mais poderosas do mundo.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve passar após Fina Estampa?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook