Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

HÁ 33 ANOS

Em Sassaricando, estrelismo de atores fez Miguel Falabella desistir de ser diretor

Divulgação/TV Globo

Miguel Falabella de terno e camisa, com leve sorriso, em entrevista no Conversa com Bial em 2019

Miguel Falabella no Conversa com Bial em 2019; experiência dele com direção não foi das melhores

FERNANDA LOPES

Publicado em 5/9/2020 - 7h10

Sassaricando (1987) foi a primeira e última novela que Miguel Falabella dirigiu na Globo. O folhetim de Silvio de Abreu, cuja reprise estreia no canal Viva nesta terça (8), tinha atores consagrados no elenco principal, enquanto Falabella ainda estava no início de sua trajetória na emissora. Ele teve dificuldade de lidar com estrelas e abdicou da direção na TV.

Naquela época, há 33 anos, Falabella havia trabalhado como ator em cinco novelas e na série Armação Ilimitada (1985-1988). Mas ele sempre foi um artista multitalentoso e também já dirigia peças de teatro.

A oportunidade como diretor em Sassaricando foi um desafio para Falabella, na época com 31 anos. Ele teve de lidar diretamente com dois protagonistas que já eram muito famosos nacionalmente: Paulo Autran (1922-2007), um dos atores mais consagrados do Brasil, e Tônia Carrero (1922-2018), também muito reconhecida como atriz e mãe de Cecil Thiré, que foi outro diretor de Sassaricando.

Para Falabella, o contato com Autran e Tônia foi tão traumático que ele decidiu não dirigir mais novela alguma. "Não foi uma experiência muito agradável, por isso não repeti. A novela era bárbara, o texto do Silvio, delicioso e ágil. Mas tanto Paulo Autran quanto Tônia Carrero eram pessoas difíceis. E eu estava começando, sem experiência", revelou em depoimento ao livro Autores, Histórias da Teledramaturgia.

Em entrevista ao Vídeo Show em 2016, ele também comentou sobre esse período de sua carreira: "Tinha um cenário que tinha Tônia Carrero, Eva Wilma e Irene Ravache. Era pra botar as três dentro de um saco e jogar no vão central, que o bicho pegava".

Falabella nem permaneceu até o final do trabalho, deixou o cargo pouco antes de Sassaricando terminar. Nos anos seguintes, sua presença na Globo foi restrita à atuação e à autoria de novelas e séries. Ele participou de A Viagem (1994), Sai de Baixo (1996-2002) e Toma Lá Dá Cá (2007-2009), por exemplo, e escreveu novelas como A Lua Me Disse (2005) e Negócio da China (2008).

Fora da Globo

Falabella só voltou a dirigir quando fez projetos próprios no cinema: os filmes Polaroides Urbanas (2008) e Veneza (2019).

Em junho deste ano, Falabella foi dispensado da Globo, após quase quatro décadas na emissora. No entanto, ele afirmou que foi muito feliz na empresa, muito bem tratado, que só guardava boas lembranças e sentia muita gratidão.

A Globo emitiu comunicado em que deixou claro que o artista tem portas abertas para apresentar novos projetos à emissora. Dias depois, Fausto Silva já convidou Falabella para voltar à Globo em 2021, na próxima edição do Show dos Famosos dentro do Domingão do Faustão.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?