Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Final feliz

Em O Outro Lado do Paraíso, Adnéia desiste de cura gay: 'Cido não é doente'

Reprodução/TV Globo

Adnéia (Ana Lucia Torre) admitirá que gosta de Cido (Rafael Zulu) em cena de O Outro Lado do Paraíso - Reprodução/TV Globo

Adnéia (Ana Lucia Torre) admitirá que gosta de Cido (Rafael Zulu) em cena de O Outro Lado do Paraíso

REDAÇÃO

Publicado em 5/5/2018 - 6h12

Adnéia (Ana Lucia Torre) vai desistir de atrapalhar o romance entre Samuel (Eriberto Leão) e Cido (Rafael Zulu) nos últimos capítulos de O Outro Lado do Paraíso. A mãe do médico assumirá que errou ao acreditar que existe cura gay e prometerá ser uma sogra maravilhosa para o ex-motorista de Sophia (Marieta Severo), que ameaçará ir embora.

Cido cansará da forma como a mãe do psiquiatra o trata em casa e decidirá deixar o apartamento. "Nunca fui respeitado. A Suzy [Ellen Rocche] e tua mãe sempre pisaram em mim. A tua mãe diz que aceita nosso relacionamento, mas por trás ela arma. Tou cheio de ser maltratado. Até bolo de café da manhã tive que tentar fazer. E você ficou do lado delas", reclamará ele.

Samuel dirá que aceitou dar regalias à enfermeira por causa da filha. "Eu pensei no bem-estar da Tigrinha. A Suzy sendo mãe da Tigrinha, pensei no bem-estar dela também", argumentará o psiquiatra.

"Deveria ter pensado no meu, no que eu significo pra você. Quando tua filha nasceu, Samuel, nem no quarto me deixaram entrar pra ver a bebê", retrucará o ex-motorista, magoado. "Você tem muitas qualidades, Cido. Mas é homem", interromperá Adnéia.

"Mãezinha, a senhora disse que aceitava quando eu contei que era gay", lembrará o médico. "Mas achei que, se pudesse mudar, ter uma família, seria melhor", afirmará a megera. "Mamãe, a família que eu quero é ele. O Cido", insistirá o personagem de Eriberto Leão.

O psiquiatra, então, dirá que não pretende ficar no apartamento se Cido for embora. "Não, não vá. Eu gosto de você, Cido. É apenas que eu achava que meu filho seria mais feliz tendo uma família tradicional", justificará a sogra, que prometerá mudar sua atitude dali em diante.

"Eu não quero que o Samuel vá embora, não quero ficar nesse apartamento sozinha. Pretendo ajudar a criar minha neta, que virá ficar conosco com frequência. Quero ter o meu filho por perto, sou tão apegada a ele. Eu gosto de você, Cido. Só não queria aceitar que gosto. Prometo ser uma sogra maravilhosa", falará ela.

Sozinha, a mãe do médico refletirá sobre suas convicções. "Vivendo e aprendendo. Definitivamente, não existe cura gay. Não existe cura porque não existe doença. O Cido não é doente. Muito menos, meu filho Samuel é doente. Simplesmente, eles se amam!", concluirá ela, na cena que irá ao ar na próxima terça-feira (8) em O Outro Lado do Paraíso.


Confira cinco reportagens especiais sobre O Outro Lado do Paraíso:

De mimada a 'bicha pão com ovo': os sete mais odiados de O Outro Lado
Clara rejeitada e prisão de pedófilo levaram fãs da novela à loucura
De mocinha sem sexo a pacto com a morte: o fantástico mundo de Walcyr Carrasco
'A primeira tesourada é inesquecível', diz atriz que interpretou vilã da trama
Chega de achincalhar: cinco vezes em que O Outro Lado arrasou

Últimas de O Outro Lado do Paraíso


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?