Em 2022

Continuação de Verdades Secretas entra na fila das novelas das onze da Globo

DIVULGAÇÃO/EMMY

O autor Walcyr Carrasco (centro) comemora com o elenco o Emmy Internacional de Verdades Secretas - DIVULGAÇÃO/EMMY

O autor Walcyr Carrasco (centro) comemora com o elenco o Emmy Internacional de Verdades Secretas

REDAÇÃO - Publicado em 06/12/2018, às 13h31

A continuação da novela Verdades Secretas (2015), de Walcyr Carrasco, entrou na fila da faixa das 23h da Globo. Pela ordem programada pela emissora, a trama deve estrear em 2022, após O Selvagem da Ópera, de Maria Adelaide Amaral (prevista para 2020), e de Um Defeito de Cor, de Maria Camargo, na agenda para 2021.

Em agosto, Carrasco havia confirmado que pensava em uma sequência. Nas redes sociais, escreveu que seria "um sonho" poder escrever Verdades Secretas 2, para alegria dos fãs. O deslocamento do autor para a faixa das 21h (ele escreve a substituta de O Sétimo Guardião), no entanto, fez a Globo adiar a continuação em alguns anos.

Verdades Secretas foi um sucesso de audiência e um marco na carreira de Carrasco, com tramas ousadas que envolviam um triângulo amoroso entre mãe, filha e padrasto, uma agência de modelos que servia como fachada para o agenciamento prostitutas e Grazi Massafera no papel de uma viciada em crack. Com muita nudez e sexo, a novela levou o Emmy Internacional em novembro de 2016.

O episódio final, exibido em setembro de 2015, conseguiu a maior audiência desde a final da Libertadores vencida pelo Corinthians em 2012 e bateu recorde de consumo digital no país, com 190 milhões de plays de trechos ou íntegras de capítulos.

No ano que vem, pela primeira vez desde 2011, a Gobo ficará sem uma novela na faixa das onze, conforme o Notícias da TV publicou. Em 2019, o horário será ocupado por Assédio, que estreou na Globoplay, e Se Eu Fechar os Olhos Agora, já disponibilizada para locação no Now.

Irmãos de Sangue, de Euclydes Marinho, que era considerada para o horário em 2019, foi engavetada pela emissora. Foi o segundo projeto do autor que acabou rejeitado. Antes, a Globo já havia desistido de Sem Limite, que unia obras do dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980), entre elas Toda Nudez Será Castigada e Bonitinha, Mas Ordinária, mas ele também não agradou.

O cancelamento de Sem Limite fez a emissora decidir antecipar a produção de O Selvagem da Ópera, de Maria Adelaide Amaral, sobre a vida do maestro Carlos Gomes (1836-1896). No entanto, como a produção exige gravações na Itália, encenações de ópera e figurinos sofisticados, não haveria tempo hábil para colocá-la no ar em abril do ano que vem.

A estreia de O Selvagem da Ópera foi adiada para 2020. Já Um Defeito de Cor é a adaptação de um romance de Ana Maria Gonçalves sobre uma africana idosa que viaja da África para o Brasil em busca do filho perdido. A versão está a cargo de Maria Camargo, autora de Assédio.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que é mais bizarro em O Tempo Não Para?
Duas mulheres com mais de 60 anos dizendo estar grávidas.
23.60%
Ninguém mandar nenhuma das 'grávidas' fazer teste em laboratório.
11.04%
Vilões que matam pessoas e continuam impunes.
11.55%
De uma novela que descongelou pessoas do século 19 se espera qualquer coisa.
53.81%

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook