Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

ALAN OLIVEIRA

Após Buba em Renascer, Família É Tudo revira passado de Babbo antes de transição

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Alan Oliveira caracterizado como Babbo; ele está sério em cena de Família È Tudo

Babbo (Alan Oliveira) em cena de Família É Tudo; ator revelou passado obscuro de seu personagem

SABRINA CASTRO

sabrina@noticiasdatv.com

Publicado em 24/5/2024 - 10h00

Em seu segundo papel na TV, Alan Oliveira vê a chance de se aprofundar em temas que lhe são caros em Família É Tudo. O personagem dele, Babbo, terá de enfrentar feridas do passado e lutar novas batalhas pelo fato de ser um homem transexual --ou seja, alguém que nasceu com órgãos genitais femininos, mas se identifica com o gênero masculino. A trajetória é semelhante à enfrentada por Buba (Gabriela Medeiros) no remake de Renascer.

"O que eu sei e posso dizer é que o Babbo é um cara pobre, que veio da periferia, foi expulso de casa por assumir sua transição e, em algum momento, cometeu um crime 'leve' e acabou sendo preso", adianta o ator, em entrevista ao Notícias da TV.

"Mas ele não é uma pessoa ruim. Naquele momento, ele estava perdido, e pessoas perdidas acabam cometendo erros. Hoje, ele está estável, ajudando na Fundação. E conseguiu o emprego que tanto queria!", valoriza.

O público já sabia que ele havia sido preso após uma briga, quando um rival de Babbo fez questão de jogar seu período na cadeia para desmoralizá-lo perante Vênus (Nathalia Dill). A mocinha, contudo, não arredou o pé de sua defesa pelo funcionário. Para o intérprete, a protagonista é "como uma irmã para ele".

"Ela o acolheu e deu as oportunidades de que ele tanto precisava. Babbo é muito grato e sempre está a postos para ajudá-la. Acho muito linda essa parceria, pois é genuína, nenhum jamais precisou pedir nada em troca [para o outro]", arremata o ator.

Com o tempo, esse elo precisará provar ainda mais sua força. Afinal, Babbo vai passar por uma batalha jurídica: a retificação de seu nome na certidão de nascimento. Outras lutas também devem ser abordadas, embora o artista não possa dar mais detalhes.

O tema é caro para o ator pois ele próprio é um homem trans. Ele, inclusive, começou a fazer sucesso na Internet expondo seu processo de transição. O artista fala pouco sobre o assunto hoje em dia, mas não por ter problemas com isso. Ele sabe que ocupa "um lugar de representação e força" para outras pessoas trans e quer continuar as incentivando, mas teme ser resumido apenas à sua identidade de gênero. 

"Nós somos muitas coisas para além de pessoas trans, e acho importante nos tratarem com normalidade, como qualquer pessoa cis é tratada. Não deixe o trans vir antes do seu CPF, de tudo o que você também é", arremata.

Nova fase

Em suas redes sociais, o ator já compartilhou  que enfrentou um processo de depressão antes de transicionar, uma vez que esse era o seu "desconforto no mundo". As coisas melhoraram quando ele conquistou seus objetivos.

Depois da transição, Oliveira passou a trabalhar como motoboy. Paralelamente, produzia conteúdos sobre a transição. Até que decidiu fazer vídeos também sobre sua rotina com as entregas.

O boom foi instantâneo, e um de seus vídeos chegou a uma produtora de elenco da Globo. Ele, então, foi convidado para fazer um teste para o DJ Cidão, um dos membros de equipe de Lui Lorenzo (José Loreto) em Vai na Fé (2023). Foi seu primeiro trabalho na TV, e ele admite ter tomado um susto com os bastidores. 

"Era muita informação, aquele universo era muito novo para mim, e eu estava tentando assimilar tudo, só que foi mais fácil do que eu imaginava. Mas, por ser minha primeira novela, a cabeça era outra. Agora, estou mais maduro, e dessa vez [com Família É Tudo] foi bem mais tranquilo", diz.

Ele também precisou fazer um teste para viver Babbo, e, com isso, pôde aplicar parte do que vinha estudando após o término de sua novela anterior. "Saí de Vai na Fé com muita sede de aprendizado. Eu quero e preciso estudar muito sobre a profissão, e só dei um tempo nisso pois estou fazendo outra novela que exige tempo e estudo específico para o personagem", completa.

Foram as novelas, afinal, que transformaram a vida dele. "Hoje, eu sou visto por marcas e pessoas que jamais seria visto antes dos meus papéis. E eu procuro aproveitar cada oportunidade. Minha vida foi de zero a 100!"

De fato, a vida dele mudou, e não só no âmbito profissional. Recentemente, Oliveira se tornou pai de sua primeira filha, o que ele considera uma baita "virada de chave". O ator reviu suas prioridades, readaptou seus horários e mudou toda sua vida para receber Mariah Bella, atualmente com quatro meses, fruto do relacionamento com Kamyla.

Alan Oliveira com a filha, Mariah Bella

Alan Oliveira com a filha, Mariah Bella

"Sou pai de primeira viagem, então eu aprendo muito com minha filha todos os dias. É um trabalho cansativo e diário, mas que vale muito a pena sempre que vejo aquele sorrisinho banguela!", brinca ele. 

Agora, seu conteúdo traz bastante a visão de um pai. Claro, a quantidade de vídeos é bem menor do que antes da novela, mas ele tem planos de retomar a produção. 

"De vez em quanto, crio um vídeo ou outro, mas é raro, porque exige tempo para pensar, criar, editar, e não consigo conciliar tudo. Mas, assim que terminar as gravações, eu volto com um adicional: minha filha, que vai entrar comigo nessa", adianta.

Família É Tudo é escrita por Daniel Ortiz e dirigida por Fred Mayrink. O folhetim deve ser substituído por Mão Dupla (nome provisório), de Claudia Souto --a mesma autora de Pega Pega (2017) e Cara e Coragem (2022).  


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações do que vai acontecer em Família É Tudo e outras novelas.


Resumos Semanais

Resumo de Família É Tudo: Capítulos da semana da novela da Globo - 12 a 22/6

Quarta, 12/6
Não haverá exibição por causa do amistoso Brasil x Estados Unidos. Quinta, 13/6 (Capítulo 87)
Netuno/Léo se incomoda ao ver Vênus saindo com Tom. Leda discute com Júpiter. Electra fica intrigada com a reação de Murilo a seu ... Continue lendo

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.