Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DÓLAR ALTO

Mesmo com arrecadação bilionária, Globo assume prejuízo com Copa do Catar

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Galvão Bueno com uma blusa azul e calça marrom, no estúdio da Globo na Copa da Rússia de 2018

Galvão Bueno: Globo admite que terá prejuízo com a operação e transmissão da Copa no Catar

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 9/6/2022 - 6h50

Prevista para começar em novembro, a Copa do Mundo do Catar vai ter boa arrecadação na Globo, mas não dará lucro para a empresa. Quem admite isso é Manuel Belmar, diretor de Finanças, Jurídico e Infraestrutura do conglomerado de mídia. Ele falou sobre o assunto em uma live para funcionários na última segunda-feira (6), O dólar alto, na casa dos R$ 5, é o principal vilão.

O Notícias da TV teve acesso a trechos da fala do executivo. Ele comemorou o resultado financeiro da empresa no primeiro trimestre, com crescimento em todas as frentes. No entanto, ele advertiu que a Globo terá um rombo considerado certo por causa dos custos que a emissora terá nos três últimos meses do ano com a cobertura do Mundial.

A Globo já vendeu quatro cotas de patrocínio na TV aberta para a Copa: Itaú, Claro, Ambev e Magazine Luiza; para o SporTV foram: Ambev, Claro, Betfair e Nubank. A arrecadação já passou de R$ 1 bilhão, mas somente para a Fifa (Federação Internacional de Futebol) a Globo pagará neste ano US$ 90 milhões (R$ 440 milhões na cotação atual) pelo contrato do evento.

Além disso, ainda existe o valor da renegociação da dívida de uma parcela não paga pela Globo para a entidade em 2020, feita após uma briga judicial no auge da pandemia. Esse valor está na casa dos US$ 30 milhões (R$ 146 milhões na cotação atual). Ou seja, só de custos com direitos, serão R$ 586 milhões.

Outra questão é que está mais caro montar a logística de envio dos profissionais. Um passagem para o Catar não custa menos de R$ 10 mil reais. Ao todo, serão 80 profissionais enviados. Considerando o custo para alimentação, transporte, hospedagem, entre outros, o investimento para a cobertura fica salgado.

Para cortar custos e também ainda como forma de segurança por causa dos casos de Covid, a Globo não montará um estúdio grandioso no país-sede da Copa, como aconteceu em 2018. A cobertura será nos moldes da feita nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021, com uma estrutura especial produzida nos Estúdios Globo.

Mesmo com o prejuízo certo, Belmar prometeu um Copa de resultados altos e com boa entrega para o público. A expectativa é alta, já que a emissora tem a exclusividade na TV aberta e paga. A Globo vai fazer 56 jogos dos 64 disputados ao vivo. Nas duas primeiras semanas, a emissora terá quatro jogos por dia, das 7h às 18h. A Copa marcará o último trabalho de Galvão Bueno na casa.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.