Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FALA CONTROVERSA

Jovem Pan demite Constantino após comentarista relativizar estupro

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Imagem de Rodrigo Constantino durante live em seu canal no YouTube

Rodrigo Constantino durante live em seu canal no YouTbe; comentarista foi demitido da Jovem Pan

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 4/11/2020 - 18h29

A Jovem Pan decidiu demitir Rodrigo Constantino nesta quarta-feira (4). Pressionada, a rádio comunicou o desligamento do comentarista em razão das declarações sobre o caso de estupro envolvendo Mariana Ferrer. Mais cedo, ele relativizou o crime e causou revolta nas redes sociais.

Em transmissão virtual no seu canal no YouTube, Constantino criou uma situação hipotética para dizer que, se a sua filha fosse estuprada em circunstâncias que não aprovasse, ele não denunciaria os estupradores e ainda a colocaria de castigo. A fala gerou repercussão negativa na web, de internautas e jornalistas.

Sob pressão, a Jovem Pan optou pela demissão do profissional. Em comunicado, a rádio afirmou que não concorda com a opinião de Constantino sobre o assunto e reiterou que Mariana Ferrer não deve ser responsabilizada no caso em que denunciou ter sido estuprada pelo empresário André de Camargo Aranha durante uma festa em Florianópolis, em 2018.

"O Grupo Jovem Pan tem como premissa a liberdade de expressão e o amplo debate entre seus comentaristas. Diante do ocorrido nesta quarta-feira, 4, em uma live independente, promovida fora de nossas plataformas, por um de nossos comentaristas, a Jovem Pan esclarece que desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais pessoais e apresentado nessa live", iniciou a Jovem Pan.

"Reafirmamos que as opiniões de nossos comentaristas são independentes e necessariamente não representam a opinião do Grupo Jovem Pan. No caso de Mariana Ferrer, defendemos que a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor, apesar do respeito que todos nós devemos ter às decisões judiciais. Em consequência do episódio, na tarde desta quarta-feira, Rodrigo Constantino foi desligado de nosso quadro de comentaristas", completou a rádio.

No Twitter, Constantino, conhecido por sua posição conservadora e por ser um ferrenho defensor do presidente Jair Bolsonaro, considerou que a Jovem Pan não resistiu à pressão do público e negou ter feito apologia ao estupro. O escritor deixou agradecimentos à rádio pelo "espaço livre, pela confiança", e declarou que "foi um período de trabalho intenso, muitas conquistas e crescimento".

"Vocês venceram uma batalha, parabéns! A pressão foi tão grande sobre a Jovem Pan, distorcendo claramente a minha fala, que não resistiram. Não os culpo. É do jogo. Quem me conhece e quem viu de fato sabe que eu jamais faria apologia ao estupro", escreveu.

Vera Magalhães, ex-colega de Constantino na Jovem Pan, foi uma das jornalistas que cobraram a rádio para dispensar o profissional, argumentando que existe "um limite ético e civilizatório até o qual se pode chegar". Na sua visão, "apologia ao estupro ultrapassa em muito esses limites".

Os dois trocaram farpas no Twitter. A apresentadora do Roda Viva, da TV Cultura, afirmou que seu "maior orgulho e alegria são o fato de que esse indigente moral, intelectual e mental tenha me escolhido como sua antípoda. Ser o oposto dele é tranquilizador. Que nojo".

O youtuber a chamou de "mulher amarga, nojenta e mentirosa" e prometeu processá-la. "Quanto mais estivermos em lados opostos, melhor", respondeu ela.

Fala polêmica

Durante a live em seu canal realizada nesta quarta (4), ao comentar a sentença do Tribunal de Justiça de Santa Catarina a respeito do caso Mariana Ferrer, o jornalista defendeu que "dá boa educação para que isso não aconteça" com sua filha, e completou dizendo: "Se ela chegar em casa e disser: 'Fui estuprada', vou pedir para ela me dar as circunstâncias". Ele criou uma situação hipotética para tentar justificar sua opinião. 

"Fui em uma festinha, eu e três amigas, tinham 18 homens, bebemos muito e eu estava ficando com dois caras, e eu acabei dormindo lá e eu fui abusada. Ela vai ficar de castigo feio e eu não vou denunciar um cara desses pra polícia, eu vou dar esporro na minha filha", argumentou.

O comentarista ainda disse que, para ele, "existe mulher decente ou piranha" e fez mais um questionamento: "Não pode falar essas coisas mais hoje em dia. Homem que faz uma coisa dessas não é decente, mas não existe também a ideia de mulher decente?".

Além disso, o economista também chamou as feministas de "vadias" "mocreias", "recalcadas", "ressentidas" e afirmou que elas "odeiam homem, união estável e casamento".

Os comentários de Constantino provocaram uma enxurrada de críticas nas redes sociais. Depois de a demissão vir à tona, vários internautas comemoraram, incluindo celebridades, como Anitta, que ironizou a fala do agora ex-colaborador da Jovem Pan.

"Radio é coisa profana. Radio toca música do mundo, rádio toca Anitta, essa feminista vadia, mocreia etc etc... Melhor buscar trabalho num lugar mais decente. O senhor é um ser de nível mais elevado, vai achar rápido", ironizou a cantora.

O ex-BBB Marcelo Dourado disparou: "Não tem palavra nem sustenta as merdas que diz. Otario aqui é tu, achando que vou engolir esse papo torto de manipulação". Outros reprovaram a posição da Jovem Pan e questionaram o desligamento. Na avaliação desses seguidores, "quem perde é a Jovem Pan".

Veja os tuítes de Rodrigo Constantino: 

Confira algumas reações sobre a demissão de Constantino:


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
De vendedor de pastéis a diretor de cinema: Por onde anda o elenco de Malhação 2008?Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mama

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas