Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

LEANDRO NARLOCH

Jovem Pan contrata jornalista demitido pela CNN Brasil por comentário homofóbico

REPRODUÇÃO/CNN BRASIL

O jornalista e comentarista Leandro Narloch no estúdio do jornal Live CNN Brasil, em maio deste ano

Leandro Narloch no Live CNN Brasil, em maio deste ano; jornalista demitido agora é funcionário da Jovem Pan

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 12/8/2020 - 10h57

Demitido da CNN Brasil por ter feito comentários homofóbicos ao vivo, o jornalista Leandro Narloch foi contratado pela Jovem Pan para apresentar um programa de variedades ao lado do economista Samy Dana. O De Tudo um Pouco tem previsão de estreia em 15 de setembro. As informações foram confirmadas pela rádio ao Notícias da TV.

Fontes próximas à diretoria do grupo Jovem Pan afirmam que Narloch também fará participações no Jornal da Manhã e que há um outro projeto para que o ex-CNN trabalhe, desta vez ao lado de Augusto Nunes.

A Jovem Pan vem investindo pesado em seu canal no YouTube e na plataforma de streaming Panflix, que oferece conteúdo exclusivo para assinantes. A rádio pretende lançar vários novos programas em setembro.

Em 20 de julho, pouco após ser demitido da CNN Brasil, Leandro Narloch foi convidado do programa Pânico, apresentado por Emílio Surita, na Jovem Pan. Na ocasião, ele disse que o canal de notícias poderia ter dado uma oportunidade para que ele explicasse seus comentários.

"Os diretores são bombeiros que ficam apagando incêndio o dia todo, essa minha crise foi só uma no meio de tantas outras. O problema foi a pressão do movimento gay, da comunidade [LGBTQ+], e na televisão a empresa acaba cedendo a pressões, né?", lamentou o jornalista.  

reprodução/jovem pan

Daniel Zuckerman (esq.), Leandro Narloch e Samy Dana no programa Pânico, da Jovem Pan


Demissão da CNN Brasil

No dia 8 de julho, durante uma participação no jornal Live CNN Brasil, Leandro Narloch afirmou ao vivo que a decisão do Supremo Tribunal Federal que libera que homossexuais doem sangue representava uma "mudança pequena" na sociedade e que "gays têm uma chance muito maior de ter Aids". A fala foi criticada na web.

"A mudança na verdade é pequena, ela vai restringir mais a conduta, e não o tipo de pessoa, a opção sexual (sic) do indivíduo. Toda essa polêmica começou porque, não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm uma chance muito maior de ter Aids, né? Em 2018, uma pesquisa mostrou que 25% dos gays de São Paulo eram portadores de HIV", começou Narloch no programa, sem citar a fonte da pesquisa.

"Mesmo que esse número seja exagerado, e de fato ele parece mesmo exagerado, o fato é que é dezenas de vezes maior, maior a chance do que na população geral. A questão é que outros critérios para exclusão já restringem os gays que têm comportamento promíscuo, né?", continuou o jornalista.

Apresentadores do Live CNN Brasil, Marcela Rahal e Phelipe Siani ficaram sem reação diante das frases ditas pelo comentarista. Dois dias após as falas controversas, Narloch foi demiditido.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?