LEANDRO NARLOCH

Jornalista da CNN Brasil dá show de homofobia: 'Falou mais m... que o Bolsonaro'

FOTOS: Reprodução/CNN Brasil

O jornalista Leandro Narloch com expressão séria, terno azul e gravata roxa na Redação da CNN Brasil

O jornalista Leandro Narloch durante participação no Live CNN Brasil: comentário de tom homofóbico

REDAÇÃO - Publicado em 08/07/2020, às 14h27

Comentarista da CNN Brasil, Leandro Narloch deu um show de homofobia no programa Live CNN desta quarta (8). O jornalista afirmou ao vivo que a decisão do Supremo Tribunal Federal que libera que homossexuais doem sangue representava uma "mudança pequena" na sociedade e que "gays têm uma chance muito maior de ter Aids". Na internet, a fala foi criticada. "Falou mais merda que o Bolsonaro", apontou Oseias Alves.

"A mudança na verdade é pequena, ela vai restringir mais a conduta, e não o tipo de pessoa, a opção sexual (sic) do indivíduo. Toda essa polêmica começou porque, não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm uma chance muito maior de ter Aids, né? Em 2018, uma pesquisa mostrou que 25% dos gays de São Paulo eram portadores de HIV", começou Narloch, sem citar a fonte de tal pesquisa.

"Mesmo que esse número seja exagerado, e de fato ele parece mesmo exagerado, o fato é que é dezenas de vezes maior, maior a chance do que na população geral. A questão é que outros critérios para exclusão já restringem os gays que têm comportamento promíscuo, né?", continuou o jornalista.

"A regra como estava agora, ela estava muito injusta com os gays, por exemplo, que se cuidavam, que faziam sexo protegido ou então que tinham um parceiro só durante toda a vida. E se você simplesmente fizer uma regra, como já existem em vários hemocentros, que exclui as pessoas que têm muitos parceiros sexuais, ou sexo sem camisinha, você já retira todo o problema. Então aí é uma pequena mudança e, sim, muito boa", encerrou Narloch.

Marcela Rahal e Phelipe Siani ficaram sem reação diante da fala de Leandro Narloch na CNN

Apresentadores do Live CNN Brasil, Marcela Rahal e Phelipe Siani ficaram sem reação diante das frases ditas pelo comentarista. "Bom, é... A gente acabou de falar sobre essa mudança de protocolo. 2020 e só agora a gente teve retirado de fato esse impedimento de homossexuais fazendo doação de sangue", falou Siani.

"Gente", limitou-se a falar Marcela, mudando o tema do programa para o aniversário da derrota por 7 a 1 que o Brasil sofreu da Alemanha na Copa de 2014, há seis anos.

Confira o vídeo da fala controversa de Narloch e alguns comentários no Twitter:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook