GUERRA DO STREAMING

Disney+ ignora Brasil na estreia e deixa fãs de Star Wars e Marvel a ver navios

François Duhamel/Lucasfilm

O ator Pedro Pascal com a roupa do personagem principal de The Mandalorian, série do universo Star Wars que estreou no Disney+

Pedro Pascal (ex-Game of Thrones) é o protagonista de The Mandalorian, série do universo Star Wars

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 12/11/2019, às 12h33

A guerra do streaming ganhou um novo capítulo, nesta terça-feira (12), com o lançamento do Disney+. Mas, por enquanto, o serviço da empresa do Mickey Mouse chegou apenas nos Estados Unidos, Canadá e Holanda. No Brasil, a estreia está marcada para novembro do ano que vem. Com isso, fãs brasileiros de franquias multimilionárias, como Star Wars e os heróis da Marvel, passarão um ano inteiro a ver navios.

Quem tem acesso ao Disney+ já pode conferir, a partir de hoje, o episódio de estreia de The Mandalorian, primeira série live action (com atores de carne e osso) do universo Star Wars (ou Guerra nas Estrelas, para o público mais antigo).

A atração, definida como um faroeste espacial, tem direção de Jon Favreau (Homem de Ferro) e um elenco liderado por Pedro Pascal (Game of Thrones) e a lutadora Gina Carano. Toda sexta, um novo capítulo será lançado --para desespero dos brasileiros, que ficarão de fora das conversas durante 12 meses.

Também já está disponível no serviço a comédia High School Musical: O Musical: A Série, uma espécie de continuação da trilogia infantojuvenil que virou um fenômeno na década passada e lançou a carreira de Zac Efron e Vanessa Hudgens.

O atraso na chegada do Disney+ em solo tupiniquim também privará os fanáticos por heróis de Marvel de acompanhar a estreia de Falcão e Soldado Invernal, marcada para agosto do ano que vem. A série, estrelada por Anthony Mackie e Sebastian Stan, será bastante conectada com os longas dos super-heróis --fãs já se questionam se a demora prejudicará a compreensão do filme Os Eternos, com Angelina Jolie.

A Disney não justificou sua estratégia de lançamento em etapas do serviço. A expectativa é que o Disney+ só esteja disponível no mundo todo no fim de 2021. A Apple, ao contrário, lançou seu streaming em mais de 100 países no dia 1º.

O preço que brasileiros terão de desembolsar para assinar o serviço ainda não foi divulgado. Nos EUA, o Disney+ custa US$ 6,99 (R$ 29,17) por mês. 

Acervo na Amazon

Um alento para os fãs da Disney é que, na ausência do streaming próprio, parte do acervo da empresa foi disponibilizado no Prime Video, o serviço da Amazon. A empresa do Mickey Mouse cedeu para o streaming Prime Video dezenas de produções, entre elas filmes da Marvel sucesso de bilheteria, como Vingadores: Ultimato (2019) e a franquia Piratas do Caribe. O acordo é válido até setembro.

Filmes e séries originais do Disney+, porém, ficarão indisponíveis para fãs brasileiros até a estreia oficial do serviço. Os americanos, canadenses e holandeses já podem conferir, entre outros, o remake de A Dama e o Vagabundo e a comédia natalina Noelle, estrelada por Anna Kendrick (Crepúsculo).

Tudo sobre

Marvel Netflix Star wars

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook