Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

JOÃO GABRIEL VASCONCELLOS

Após ser inocentado de agressão, ator de Chiquititas processa ex-mulher

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Montagem de fotos com João Gabriel Vasconcellos e Jessica Aronis

João Gabriel Vasconcellos entrará com uma ação judicial por fraude; o alvo é a ex-mulher, Jessica Aronis

VINÍCIUS ANDRADE

vinicius@noticiasdatv.com

Publicado em 12/3/2021 - 15h11
Atualizado em 12/3/2021 - 19h35

Após ser inocentado de um processo de violência doméstica movido por Jessica Aronis, João Gabriel Vasconcellos vai entrar com uma ação judicial por fraude e denunciação caluniosa contra a ex-mulher. O ator, intérprete do personagem Armando em Chiquititas (2013), alega que a modelo adulterou provas e fez denúncias inverídicas; ela nega as acusações.

De acordo com a equipe de Vasconcellos, os advogados estão montando a petição para registrar a queixa na Justiça. A defesa do ator reuniu documentos, fotos e dados periciais que comprovariam que ele teria sido vítima de manipulações.

A defesa do ex-Chiquititas sustenta os seguintes argumentos na ação: que o exame de corpo de delito dela foi adulterado e que, por isso, a prova não foi aceita pelo promotor; que há um boletim de "nada consta" da Polícia Militar, que fez um atendimento no dia da discussão do casal; e que o laudo pericial comprova que Jessica "o gravava e editava os áudios de acordo com seus próprios interesses".

Além disso, foram anexadas imagens de circuito de segurança, que atestariam a ex-mulher o filmando ilegalmente para produção de provas ilícitas. Os vídeos ainda seriam a comprovação de que não há marcas de agressão no braço dela.

A ação contra Jessica foi antecipada pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia. O Notícias da TV teve acesso aos documentos anexados na petição dos advogados de João Gabriel Vasconcellos. A defesa usou imagens de câmera de segurança do estabelecimento que pertencia ao casal, feitas em 1º de março de 2018, na tentativa de comprovar que o braço de Jessica não estava machucado e que ele não estava "hostil".


Imagem de parte do braço de Jessica em 1º de março de 2018; foto será usada pela defesa de Vasconcellos em ação (Foto: Divulgação)

Segundo a versão da equipe de João, Jessica "estava o gravando sem autorização. Ela se levanta, vai embora e não há marcas em seu braço. A agressão teoricamente teria ocorrido entre o final de janeiro e início de fevereiro. Era, portanto, para a lesão aparecer no braço dela, nessa data em que estas imagens foram capturadas".

No processo judicial em que o ator terminou inocentado em dezembro, a modelo relatou um momento de descontrole dele durante uma reunião da empresa da qual eles eram sócios. João teria gritado com ela e a agarrado pelo braço. Ainda segundo a acusação, a situação só teria parado após um funcionário da empresa acionar a Polícia Militar.

Nos autos, o relato é de que a questão foi resolvida ali mesmo com ambas as partes. "O policial relatou ter atendido à ocorrência no estabelecimento comercial do réu e da vítima. Chegou ao local e conversou com ambos, que disseram que estava tudo bem. Nenhum dos dois apresentava lesão. Como disseram que havia sido apenas uma discussão, o declarante encerrou a ocorrência. Se a vítima estivesse com marcas de agressões, conduziriam o réu à delegacia. Ambos estavam tranquilos", detalha a ação.

Além disso, o caso trouxe à tona um áudio em que o artista ameaçava Jessica. Segundo Daniell Roriz, advogado de Vasconcellos, a gravação não configura delito. "Apesar de o casal ter tido um comportamento questionável, as ofensas mútuas não se traduzem em crime à luz da legislação brasileira. Moral e crime são condições diferentes", frisa.

O áudio, que vazou e circulou pela web em 2018, teria sido alterado, segundo peritos que a defesa de João contratou para a nova ação por fraude processual e denunciação caluniosa. Com isso, o ator quer provar que foi prejudicado e recuperar os trabalhos que perdeu desde que as denúncias vieram à tona.

Ele diz ser impossível mensurar o quanto o caso o afetou profissional e emocionalmente. "Não só a minha vida, como a da minha família, foi devastada. Qualquer um pode ser acusado injustamente. Para isso, serve a Justiça. Para investigar e julgar. Justiça foi feita. Eu consegui provar que sou inocente. Chegou a hora de mostrar a realidade dos fatos, a verdade", explica.

Outro lado

Ao Notícias da TV, Jessica Aronis negou qualquer tipo de fraude e afirmou que responderá possíveis ações contra ela se for acionada na Justiça. A modelo, que não cita o nome de João Gabriel e evita falar sobre o caso publicamente, emitiu uma nota:

"O meu intuito em trabalhar com empoderamento feminino e me engajar em projetos de acolhimento para vítimas de violência doméstica sempre foi usar minha história e a minha experiência de vida para ajudar outras pessoas, e é isso que eu venho fazendo há anos. Recebo milhares de mensagens por dia de pessoas pedindo socorro e conselhos. Meu objetivo nunca foi expor. Nunca falei o nome dele ou repostei qualquer reportagem, muito pelo contrário. Ele é indiferente. A minha causa virou algo muito maior do que ele".

Nos últimos anos, ela passou a atuar no combate à violência doméstica, com produção de conteúdos para as redes sociais, como o Tagarelando. Recentemente, lançou um manifesto e um projeto artístico contra agressões à mulher para mostrar os perigos de um relacionamento abusivo.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e confira o nosso boletim diário com os principais destaques do dia


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Elenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreram

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas