Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

'CALA A BOCA, MAGDA'

'Tinha medo de não conseguir trabalhar', diz Marisa Orth após Sai de Baixo

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Marisa Orth no Saia Justa desta quarta-feira (26), no GNT;

Marisa Orth no Saia Justa desta quarta-feira (26), no GNT; atriz revelou medo de ficar desempregada

REDAÇÃO

Publicado em 26/8/2020 - 0h19

Marisa Orth, 56 anos, confessou que teve medo de ficar desempregada após o sucesso Sai de Baixo (1996-2002), na Globo. A intérprete de Magda no humorístico temia ficar marcada com sua personagem confusa e sensual. "Eu tinha muito medo de não conseguir mais trabalhar depois que ela acabasse. Mas isso não está ocorrendo. Tenho papel e estou fazendo minhas coisas", declarou nesta quarta-feira (26).

Em entrevista para o Saia Justa, do GNT, a atriz relembrou o sucesso da mulher de Caco Antibes (Miguel Falabella) na TV. "Magda mudou meu status como artista em termos de prestígio, de fama e de atingir mesmo todo mundo. Depois dela, isso mudou completamente. Isso é muito positivo", analisou.

A artista, que também foi apresentadora do programa da GNT em 2004, admitiu o temor, mas soube aproveitar a repercussão em sua carreira. "As pessoas falam: 'Você fica chateada de ficar marcada?'. Claro. Mas vou achar ruim ter feito sucesso? Não acho ruim fazer sucesso. Achei bem bom", divertiu-se.

Em 2019, o sitcom voltou aos holofotes por causa de Sai de Baixo - O Filme. Marisa pôde, mais uma vez, dar vida à sua musa inspiradora. "Acho ela [Magda] linda. Tenho inveja dela, às vezes. Ela é melhor do que eu, esse é o problema. Ela é mais feliz, ela goza mais, tem mais orgasmo, é mais bonita (risos)", considerou.

"Ela é gata, gostosa e feliz. Ela é sempre feliz. Eu sou um pouco triste, sou pessimista, uma pessoa negativa", entregou.

Formada em Psicologia, ela analisou o perfil de sua morena burra. "Como ela tem a inteligência rebaixada, o afeto e a sexualidade são levantados. A pessoa que tem um rebaixamento intelectual, da inteligência que a gente considera a primordial --que é medida pelo Q.I.-- geralmente tem uma capacidade afetiva maior", descreveu.

Marisa, que recentemente atuou em Bom Sucesso (2019), disse ter tirado uma lição depois de anos de "cala a boca, Magda". "Ela me ensinou muito. Foi um divisor de águas nesse sentido porque eu valorizava muito a inteligência. Achava que era, de longe, a função mais importante do ser humano. A Magda me ensinou que o coração é mais importante que o cérebro", finalizou.

Veja trecho da entrevista de Marisa Orth ao Saia Justa:

Prêmio NTV Melhores do ano

Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Juan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?Vladimir Brichta contracena com a filha em Quanto Mais Vida, Melhor; veja outros casosConfinado em A Fazenda 13, Dynho não sabe que Mirella pediu divórcio; como fica o caso?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas