Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TE PREGO LÁ FORA

Porta dos Fundos 'pega carona' em hit do TikTok com Jesus vulgo malvadão

REPRODUÇÃO/PARAMOUNT+

Imagem de Jesus surpreso com outdoors no especial Te Prego Lá Fora

Jesus (Rafael Portugal) em Sodoma, bairro destinado ao entretenimento adulto no especial Te Prego Lá Fora

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 16/12/2021 - 6h35

Assim como os usuários do TikTok, Jesus também decidiu chamar pelo seu "vulgo malvadão". Pelo menos, essa é a versão do Messias apresentada no Te Prego Lá Fora, novo Especial de Natal do Porta dos Fundos, disponibilizado neste ano pelo Paramount+.

[Atenção: este texto contém spoilers]

Pela primeira vez em formato de animação, o especial narra a vida de Jesus (Rafael Portugal) em uma fase praticamente inexplorada na Bíblia: sua adolescência. O ponto de partida do projeto é a entrada do jovem na Escola Municipal Adão e Eva, ambiente inspirado nas unidades de ensino exibidas nas séries adolescentes dos Estados Unidos.

Jesus conta com a ajuda de Lázaro (Fábio de Luca), seu único amigo, para se adaptar ao novo ambiente. O messias também desenvolve um crush à primeira vista por Madalena (Nathalia Cruz), chefe das líderes de torcida da escola, e é alertado sobre as maldades cometidas por Barrabás (João Vicente de Castro) e pelo diretor Herodes (Fábio Porchat).

Por ser filho de Deus (Estevam Nabote), Jesus conta com poderes místicos e precisa esconder de todos o seu dom. Porém, a fofoca sobre a presença de um messias na escola chega aos ouvidos de Herodes, que decide iniciar uma caçada até descobrir a verdadeira identidade do profeta.

Sem saída, Jesus segue o conselho de Lázaro e decide virar um bad boy, com direito à visita em uma casa de entretenimento adulto, consumo de drogas, apostas em rinhas de galo e outras transgressões. O jovem assume o rótulo de malvadão, trai o melhor amigo e vira "parça" de Barrabás.

Sozinho, Lázaro tenta fazer o bem à sua maneira e é acusado de ser o messias pelos demais estudantes. Assim, o aluno acaba sendo morto por Herodes, o que revolta Jesus. O filho de Deus ressuscita o melhor amigo, mas tem um ataque de fúria e mata quase todos os estudantes do colégio.

O destino faz com que Barrabás seja preso por estes crimes. Enquanto isso, como punição, Deus manda seu descendente para um internato na Índia.

Bastidores

Para a imprensa, Porchat explica que o Porta dos Fundos sempre quis fazer um produto em forma de animação: "Mas não sabíamos o que seria, uma série ou filme. Sempre procuramos uma boa desculpa para fazer animação, mas acabou que, nesses dez anos do Porta, nunca entramos nesse caminho".

"Com a pandemia, isso acabou virando uma ótima solução. Da mesma forma que, no ano passado, fizemos depoimentos individuais para não haver tantas cenas com pessoas juntas por causa da Covid-19, animação é a mesma coisa. Não pega Covid, então achamos uma ótima solução, uniu o útil ao agradável, uma coisa que nunca fizemos para um projeto que sempre cuidamos muito, que é o especial de Natal", complementa o criador do projeto.

Geralmente, escrevo o especial com calma entre abril e junho para a gente gravar lá em setembro, aí a edição vem. Com animação, é totalmente diferente. Precisamos escrever muito antes, tive que deixar o roteiro quase pronto em abril, para a animação começar a construir os personagens e desenhá-los em cima das falas ali prontas.

"Inclusive, foi um pensamento meu: 'Já que íamos fazer animação, o que só funcionaria ou poderia ser feito em animação?'. Foi aí que pensei na ideia da adolescência de Jesus, pois podemos usar atores adolescentes, podemos falar uma série de barbaridades que, no fim das contas, a animação suaviza um pouco porque é desenho, é de mentira. Então, uma paródia do high school [ensino médio] americano me pareceu curiosa, diferente", pontua Porchat.

Te Prego Lá Fora já está disponível no Paramount+. Confira o trailer:


Leia também

Enquete

Com quem Irma merece ficar em Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.