Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

Motorista de aplicativo expulsa apresentador da Record por ser contra a Universal

Reprodução/Instagram

O jornalista Fábio Ramalho, de barba, indignado gravando vídeo de denúncia a motorista da Uber

Fábio Ramalho, da Record, disse que foi vítima de intolerância religiosa por um motorista de aplicativo

MARÍLIA BARBOSA

marilia@noticiasdatv.com

Publicado em 19/9/2020 - 10h59

Fábio Ramalho, apresentador da Record no Rio de Janeiro, usou seu perfil no Instagram para relatar que foi vítima de intolerância religiosa, na última sexta-feira (18), por parte de um motorista de aplicativo. O jornalista contou que solicitou a corrida da sua casa em direção à emissora dos bispos, mas foi expulso pelo homem aos gritos de "vai embora, Universal".

Ele contou que após o motorista chegar ao local para buscá-lo, solicitou que aguardasse alguns minutos para que ele pudesse pegar uma encomenda. Ramalho não entendeu o pedido do rapaz, pois já tinha entrado no veículo, mas mesmo assim aguardou.

Depois de cinco minutos, o apresentador pediu para o motorista cancelar a corrida, pois ia pedir outro carro que não tivesse uma suposta encomenda para pegar. "Eu falei: 'Amigo, cancela que eu vou pedir outro'. O cara me botou para fora do Uber me chamando sabe do quê? 'Vai, seu evangélico de merda! Vai embora, Universal!' Vocês acreditam nisso?", disse ele, inconformado.

Ramalho destacou que o episódio configura discriminação pelo fato de o motorista saber que o jornalista estava indo para a Record, pois recebe o destino da corrida antes de pegar o passageiro.

"O que a minha religião tem a ver com isso? Preferi não discutir mais, pois vi que era um cara alterado e preconceituoso, pois ele nem sabe se eu sou, de fato, evangélico --apesar de ser. Ele foi contra uma instituição, a Universal, sem nem saber se eu sou da Universal", desabafou.

O apresentador afirmou ainda que abriu um boletim de ocorrência contra o motorista e a empresa Uber, e fez um alerta aos seguidores: "Já fiz ocorrência na Polícia, já mandei mensagem para a Uber, e gostaria de falar para você que está me assistindo que intolerância religiosa também é crime. Assim como destratar uma pessoa por orientação sexual ou raça. Não fiquem calados".

Veja abaixo o posicionamento da Uber Brasil sobre o caso na íntegra

"A Uber lamenta que essa situação tenha acontecido dentro da nossa plataforma. Levamos esse tipo de denúncia muito a sério e não toleramos qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo.

O motorista foi desativado do aplicativo assim que recebemos a denúncia. A Uber defende o respeito à diversidade e reafirma o seu compromisso de promover o respeito, igualdade e inclusão para todas as pessoas que utilizam o nosso app."

Assista ao vídeo abaixo:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do início do BBB21?