Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

INEXPLICÁVEL

De canibalismo a quase morte: Série mostra casos chocantes de sobrevivência

REPRODUÇÃO/HISTORY

Cena de IneXplicável América Latina, do History Channel, com sobreviventes de desastre aéreo de 1972

Cena de IneXplicável América Latina, do History Channel, com sobreviventes de desastre aéreo de 1972

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 12/6/2021 - 6h05

A série IneXplicável América Latina, apresentada por John Leguizamo no canal History, vai mostrar casos chocantes no episódio deste sábado (12), que tem como tema Predestinados. O capítulo conta com relatos de sobreviventes do desastre aéreo na Cordilheira dos Andes, em 1972, que tiveram de comer carne humana para não morrer, e de uma atriz colombiana desenganada pelos médicos, que voltou de uma experiência de quase morte quando estavam prestes a desligar os aparelhos que a mantinham viva.

Predestinados ganhou ampla divulgação na América Latina por ter conseguido reunir parte dos sobreviventes da catástrofe aérea de 13 de outubro de 1972. Na ocasião, a equipe de rúgbi do Uruguai estava a caminho do Chile para uma partida em um voo fretado, com 45 passageiros ao todo. Uma forte tormenta os atingiu e causou a história conhecida mundialmente como "milagre dos Andes".

Dados como mortos, eles aguardaram o resgate durante 72 dias após uma trajetória surpreendente de luta pela vida em temperaturas de até -30°C. Eles encararam uma avalanche, viram os feridos morrerem aos poucos, enfrentaram a falta de água e uma sucessão de situações limite.

 reprodução/history

Foto real dos sobreviventes dos Andes

Diante do impossível, os jogadores usaram a fuselagem destroçada do avião para construir um abrigo e consertaram um rádio para ouvir o noticiário. Foi através do aparelho que eles ouviram que as buscas na cordilheira tinham sido encerradas. Eles foram considerados mortos dez dias após o acidente.

Desolados e em desespero, os jovens se uniram e tomaram decisões difíceis. A primeira delas foi comer carne humana pela sobrevivência. Eles passaram a se alimentar dos mortos, e quem estava vivo doou o corpo para a prática do canibalismo. A segunda resolução foi partir em busca de ajuda. Após dois meses na neve, três deles saíram em uma expedição na esperança de encontrar algum povoado. A caminhada durou dez dias.

Em 1993, o resgate do time uruguaio virou o filme Vivos, com direção de Frank Marshall e estrelado por nomes como Ethan Hawke, Josh Hamilton, Bruce Ramsay e David Kriegel. Para Carlos Páez, de 67 anos, um dos sobreviventes, a história do grupo é uma forte lição de como o ser humano pode "evoluir, se transformar e seguir adiante".

"Chamam de milagre dos Andes. Creio que o fenômeno foi o homem ter se adaptado a essas situações. O jornal El Mercurio, do Chile, escreveu no dia em que fomos resgatados: 'Deus era o copiloto'. Deus foi parte da história, mas não a resolveu", declarou em coletiva de imprensa realizada na última semana.

reprodução/history

Carlos Páez, Gustavo Zerbino e Roberto Canessa: sobreviventes dos Andes

"Milagre teria sido se os 45 tivessem aparecido vivos depois de 70 dias. Milagre foi o homem ser capaz, com os recursos que Deus deu, de seguir em frente. Deus foi, sim, o copiloto dessa história. É como eu vejo. Mas, para mim, milagre é o homem", considerou Páez. 

Roberto Canessa, 68 anos, foi um dos homens que caminhou pela neve em busca de ajuda. Ele analisa que a união dos atletas e os ensinamentos que o esporte trouxe para eles, como a importância de trabalhar em equipe, foram cruciais nos dois meses que passaram nas montanhas.

"A nossa interação nos levou a ter um bom resultado. Foi o que nos permitiu seguir adiante, cada um teve uma função em diferentes momentos. Foi todo um processo em uma experiência de comportamento humano, em que cada um teve um papel e um valor em algo real e inimaginável", explicou. 

Anos após a tragédia, os ex-jogadores superaram seus traumas. Entre eles, não há mais o medo de entrar em uma aeronave. Sobre o ato extremo de canibalismo também não há arrependimentos. É o que testemunha Gustavo Zerbino, atualmente com 67 anos. "Nossa vida é viajar de avião. Enfrentamos o medo constantemente. Viajo preparado para o pior, mas esperando sempre o melhor", disse para o Notícias da TV.

"Em relação à carne que comemos, não tenho trauma. Só gratidão, porque tivemos que fazer. Fizemos um pacto e oferecemos nossos corpos em caso de morte. Foi o que tivemos que fazer, e não me arrependo. Se eu caísse amanhã de um avião no mesmo lugar, em vez de esperar dez dias, começaria [a procurar ajuda] em seguida para ter mais força. De repente, mais pessoas sobreviveriam", destacou Zerbino. 

Atriz voltou do além

Um outro caso narrado no episódio de IneXplicável América Latina é o da atriz colombiana Fabiola Posada, de 57 anos. Em fevereiro de 2018, a comediante sofreu três infartos seguidos e chegou ao hospital agonizando.

Em estado grave, a humorista recebeu um diagnóstico severo de desnutrição oculta. Ela ficou 23 dias em coma até que os médicos consideraram o quadro irreversível. Quando a família concordou em desligar os aparelhos, ela despertou repentinamente. Sem sequelas, passou a narrar uma história angustiante de sua passagem pelo inferno.

"Eu me vi em uma caverna, não vi fogo. Caminhei perdida na escuridão e encontrei seres abomináveis. Eles riam de mim e me torturavam psicologicamente. Eu tentava ver os olhos deles, mas era tudo preto. Riam de mim e diziam: 'Para que serve o dinheiro, a popularidade e a fama?'", detalhou.

reprodução/history

Fabiola Posada em IneXplicável, do History

Em uma descrição impressionante, a atriz conta que foi torturada fisicamente. No abismo das trevas, viu cenas de sua vida sendo cobrada por suas más atitudes --até aquelas que ela nem imaginava que eram incorretas.

O martírio só teve fim quando ela foi levada para o que define como céu, com seres divinos e sublimes. Esse foi o momento em que ela acordou do coma. Fabiola se considera um milagre e, após a viagem pelo vale da morte, relata que voltou do além com a missão de contar seu testemunho.

"Fui primeiro ao inferno e depois ao céu. Me levaram para o inferno, e é lá que mostram a sua conta e te cobram por todas as suas ações. É aí que você percebe que só o que te salva é uma questão chamada fé, o amor da tua família e a vontade de voltar e mudar as coisas", refletiu para a reportagem. 

"Não sei se há interesse ou se acreditam [no testemunho]. Mas o que eu sei é que, sim, cometemos más ações e muitas delas são involuntárias e, um dia, nos cobram por tudo isso", finalizou. 

IneXplicável América Latina com John Leguizamo: Predestinados também contará os casos do milagre de Madre Teresa no Brasil, a história de um colombiano que esteve morto por cerca de uma hora e os relatos de passageiros que sobreviveram à queda e ao incêndio de um avião no México. A exibição é neste sábado, às 22h10, no History.

Veja propaganda de Inexplicável: Predestinados:


Leia também

Web Stories

+
Vômito, narrador ridículo e ‘xerecada’: Cinco momentos engraçados das OlimpíadasBárbara, Kelvin e Medina: Atletas brasileiros se envolvem em tretas nas OlimpíadasAna ou Manuela? Saiba quem fica com Rodrigo no final de A Vida da GenteComo Rayssa Leal e Douglas Souza: Cinco atletas das Olimpíadas que você deve seguirTraição de Pyong Lee e treta de Nadja Pessoa: Ilha Record promete estreia acalorada

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual a melhor cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio?