Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Copa na TV

Em teatro mal ensaiado, Globo usa Copa para divulgar novelas e irrita o público

Reprodução/Globo

O narrador Cléber Machado e o comentarista Júnior falam sobre novelas nas transmissões da Copa - Reprodução/Globo

O narrador Cléber Machado e o comentarista Júnior falam sobre novelas nas transmissões da Copa

THELL DE CASTRO

Publicado em 20/6/2018 - 6h32

A Globo está aproveitando a boa audiência dos jogos da Copa do Mundo para divulgar suas novelas. Narradores e comentaristas estão interagindo sobre as tramas e, em alguns momentos, rolam até piadas sobre o tema. Mas nem todo mundo está gostando disso _tem muita gente reclamando nas redes sociais.

O maior problema é que algumas dessas promoções são claramente forçadas, como um teatrinho mal ensaiado. Os comentaristas aparentemente não fazem ideia do que estão falando, e tudo soa muito falso.

Na terça (19), na partida entre Japão e Colômbia, Luis Roberto bateu o recorde de citações de novelas. "Tem vilã em ação em Belíssima. Estamos falando do talento de atrizes como Fernanda Montenegro", anunciou, conversando com o ex-jogador Roger Flores.

No sábado (16), na transmissão de Argentina e Islândia, o mesmo Luis Roberto perguntou para Roger se ele era noveleiro. O comentarista disse: "Qual brasileiro não é? Lógico que a gente assiste às novelas. E Segundo Sol está bem, hein?.

Em seguida, o narrador informou que o capítulo do dia apresentaria "uma revelação importantíssima". Detalhe: Roger é ex-marido de Deborah Secco, que interpreta a vilã Karola, um dos principais papéis da trama.

Logo na estreia da Copa, entre Rússia e Arábia Saudita, na quinta-feira passada, Galvão Bueno falou várias vezes de Orgulho e Paixão e Deus Salve o Rei. "A vida do rei Augusto está em perigo. Não perca hoje o capítulo inédito de Deus Salve o Rei", disse o narrador durante a partida.

Na partida entre Brasil e Suíça, Galvão foi mais comedido. Fez o primeiro comercial aos 18 minutos do primeiro tempo. Ao comentar sobre a novela das nove, fez a tradicional pergunta: "Pode isso, Arnaldo". O comentarista de arbitragem resmungou qualquer coisa, numa demonstração de que não estava confortável para opinar sobre o assunto.

Os telespectadores certamente estavam esperando algum gancho para Galvão falar de Bruna Marquezine em Deus Salve o Rei, quem sabe um belo gol de Neymar. Mas, com o clima tenso, o narrador diminuiu os comentários sobre as tramas, especialmente no segundo tempo.

No Twitter, os telespectadores não perdoam. Muita gente reclama da quantidade de chamadas e promete mudar de canal. Outros se questionam se as novelas estão com audiência baixa, precisando de um empurrão ou até buscando um público novo. 

"Esses comentaristas da Globo obrigados a dizer que estão preocupados com a novela, em plena Copa do Mundo, é o marketing mais mentiroso que há", tuitou o perfil Impedimento. "A Globo tentando dar uma turbinada na audiência das novelas usando a Copa do Mundo e acabando virando piada. Os caras nem assistem novela e fazendo chamada, todos desengonçados", disse outro internauta.

O novato Gustavo Villani também não escapou. "Globo contratou o Gustavo Villani, um dos melhores narradores do país, pra fazer o cara ficar falando de novela durante a transmissão", esbravejou um torcedor.

Ainda no Twitter, o especialista em novelas e blogueiro do UOL, Nilson Xavier, deu a sua teoria. "Acho que esses chamadões de novelas têm a ver com a grade bagunçada por causa da Copa. Lembram da tragédia que foi em 2014", opinou.

Nem o padre Fábio de Melo perdoou. No domingo, em seu perfil no Twitter, ironizou: "Ao interromper a narração, num momento tenso do jogo, para falar dos conflitos da novela, Galvão experimenta o mesmo desconforto que Sonia Abrão experimenta sempre que precisa interromper um assunto pesado, difícil, para falar dos benefícios da plástica natural Heloísa Medina".

Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.