Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NOVOS RUMOS

Demitido da RedeTV!, Boris Casoy vira youtuber aos 79: 'Aposentadoria é a morte'

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Boris Casoy em seu Jornal do Boris na quarta-feira (28), no YouTube

Boris Casoy em seu Jornal do Boris na quarta-feira (28), no YouTube; jornalista virou youtuber aos 79 anos

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 29/10/2020 - 6h50

Boris Casoy já tinha planos de criar seu canal no YouTube quando foi demitido da RedeTV! em setembro último. A saída da emissora apenas o deixou mais livre para investir e se preparar para o projeto, que estreou em 20 de outubro. De segunda a sexta, às 8h, o jornalista de 79 anos agora comanda o seu Jornal do Boris ao vivo e diretamente de sua casa, em São Paulo. "Aposentadoria é a morte", diz o incansável veterano.

O ex-funcionário da RedeTV! investiu em sua nova empreitada. Seu jornalístico também é transmitido pelo Facebook, via áudio pelo aplicativo UBook e está disponível na AlphaChannel TV, canal a cabo de Alphaville, na Grande São Paulo.

"O principal disso é que eu sou o dono do meu nariz. Não tem nenhuma barreira. É uma experiência que estou desempenhando gostosamente. Só tem me dado prazer. A outra coisa da qual me orgulho é que tenho experiência na imprensa escrita, televisionada, rádio e agora estou entrando num novo ritmo. Esse plano de ser youtuber já era anterior à minha saída da TV", conta ele ao Notícias da TV.

"Eu já tinha comunicado à direção desde antes. Desde que fiz o contrato com a RedeTV! [em 2016], pedi para colocar especificamente [nas cláusulas] que eu podia fazer internet independentemente do jornal [RedeTV! News] ou da plataforma deles", relembra.

Boris Casoy em seu escritório: ambiente de trabalho virou cenário para o YouTube (Foto: Divulgação)

Do grupo de risco, Casoy estava trabalhando remotamente durante a pandemia e teve seu salário cortado pela metade por causa da crise gerada. De sua dispensa da empresa, ele não guarda mágoas. "Não teve briga, não teve nada. Falo sempre com o pessoal de lá. Não tenho problemas. Sai tranquilo e me despedi dos donos [Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho]. Acho só que deveria ter feito o que fiz na Band e no SBT: me despedir no ar. Mas na hora não pensei nisso. Agora ficou tarde", lamenta.

O período afastado dos estúdios fez Casoy repensar os planos para o futuro. Atuando no jornalismo desde 1974, quando começou a trabalhar na Folha de S.Paulo, e tendo passagens por TV Tupi, SBT, Record e Band, o comunicador admite que pensou, sim, em se aposentar. No entanto, tudo mudou quando se viu isolado em sua casa.

"Eu imaginava que ia me aposentar, viajar e ter uma vida sossegada. Eu tenho uma casa em Ubatuba [litoral norte de São Paulo]. Mas depois das férias e na pandemia, eu vi que não aguento (risos). Primeiro, sou movido a trabalho. E sou muito movido a desafio. Quero produzir. [O YouTube] Não é diversão, é profissional. E está me dando uma satisfação. Mais do que eu imaginava", admite.

Nova rotina como youtuber

O Jornal do Boris é uma homenagem ao programa O Trabuco (1962-1978), da Rádio Bandeirantes, comandado por Vicente Leporace (1912-1978), que lia as manchetes do dia. Em sua atração, o agora influenciador digital também comenta as principais notícias dos jornais (impressos e online). Para a nova função, ele precisou se adaptar a uma rotina diferente.

"Estou modificando meu modo de vida porque acordo às 6h da manhã. Vou dormir, mais ou menos, às 23h. Acordo e tomo café já lendo os jornais. Vou para meu escritório, que é a minha biblioteca, entro na internet, vejo os sites e dou uma aprofundada nos artigos. Depois, coloco uma camisa limpa e pronto. Vou para o ar", detalha.

A independência de trabalhar para si mesmo inclui até o fato de que Casoy se livrou do paletó e da gravata. "O que também é uma libertação", dispara. Ele entrega que não tem uma produtora por trás de sua vida de youtuber. Conta com um diretor e um assistente, ambos amigos pessoais. Por coincidência, sua cozinheira e funcionária de anos fez um curso de maquiagem e foi promovida.

"Quando eu saio do meu café, ela faz minha maquiagem e me penteia. Ela tem conceito estético, pois estudou. Eu tive sorte", analisa. Disposto a fazer valer, foi o próprio jornalista que comprou as duas câmeras que usa em seu canal. A profissão de youtuber, realmente, o conquistou.

"Uma câmera eu já estava comprando. No final, apressei [a compra]. É um aparelho para internet. Te diria que é da melhor qualidade, embora não seja a mais cara. Mas fui atrás de algo que tivesse eficiência. Tem que ser uma coisa boa também porque [o programa] é transmitido pela AlphaChannel TV", explica.

A preocupação com cada detalhe tem motivo. Seu histórico de âncora já começa a render frutos na esfera da internet, pois ele está sendo procurado por marcas que desejam publicidade em sua página. "Já tenho pretendentes a patrocínio. O meu ganho não virá através do YouTube. Virá através de patrocinadores. Não quis colocar [anúncios] antes de consolidar um pouco [o programa]. Talvez, na semana que vem já entre o primeiro [patrocínio]. Eu imagino que isso se comercialize", comemora.

Em 2020, e com uma nova adição ao seu extenso currículo, Casoy atualizou o sentido de seu famoso bordão. "Para quem não se inscrever no meu canal: eu vou entrar e poluir os sonhos da pessoa gritando 'isto é uma vergonha!' a noite toda (risos)", diverte-se.

Confira vídeos do canal de Boris Casoy no YouTube:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você espera ver na TV em 2021?