Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NOVA TEMPORADA

De Gretchen a plateia virtual, como foi gravar A Culpa É da Carlota na pandemia

REPRODUÇÃO/COMEDY CENTRAL

A apresentadora Cris Wersom no primeiro capítulo do programa A Culpa É da Carlota, do Comedy Central

Cris Wersom no primeiro capítulo do programa gravado durante a pandemia; equipe se esforçou

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 1/11/2020 - 6h45

Com a missão de fazer humor em meio à pandemia da Covid-19, a segunda temporada do A Culpa É da Carlota tenta divertir o público do Comedy Central usando convidados sem papas na língua, como Gretchen e Kelly Key, mas mantendo a segurança com plateia virtual e bastante álcool em gel.

Ao Notícias da TV, as comediantes Dadá Coelho, Bruna Louise, Carol Zoccoli, Arianna Nutt e Cris Wersom contam como foi a experiência de gravar a segunda temporada do humorístico apesar de todos os riscos envolvidos na produção. Ninguém foi infectado durante o projeto.

Sobre a ausência de plateia presencial, o elenco acredita que foi um fator bom para o conjunto da obra, que acabou se tornando mais natural. "Eu achei que fosse achar ruim, mas achei ótimo, a gente teve uma interação muito maior por não ter essa obrigação de animar alguém da plateia", defende Arianna.

Na primeira metade do capítulo de estreia da temporada inédita, é possível sentir um pouco do desconforto das comediantes, claramente preocupadas com a responsabilidade de fazer piada em um período tão conturbado como 2020, que vem testando a sanidade da população mundial graças ao novo coronavírus.


"Como não tinha aquela plateia de 400 pessoas no teatro Gazeta --onde a gente gravava--, acho que virou um papo de boteco, de mesa de bar mesmo. Era [para ser] um projeto totalmente diferente, sobretudo na pandemia. E eu acho que a gente estava com resquício de saúde mental, eu digo que chique é você ter saúde mental", explica Dadá.

Mediadora da atração, Cris relata ter sentido uma aproximação intensa com a plateia virtual, com as colegas e a equipe nos bastidores. Tudo graças à tensão provocada pela preocupação. 

"Acho que estava todo mundo num clima --tanto a plateia, a equipe, a gente-- de que a gente está passando por uma coisa muito difícil, penosa, inédita pra todo mundo. Então teve uma união, uma força entre a gente pra fazer uma coisa alegre, dar risada. Deu uma sensação de ressignificar a comédia", avalia a atriz.

Moradora de Toronto, no Canadá, Carol se arriscou a viajar do país norte-americano até o Brasil durante a pandemia para conseguir cumprir a agenda de gravação do Carlota. Mesmo com medo, a professora de Arianna no ramo de comédia encarou o trajeto em nome do humor. 

"Eu não sabia se estava pegando um avião ou um Tesla [foguete] para ir para o espaço. Vim com protetor, luva, máscara, e eu tinha muito medo. Imagina eu, pensando que arrastei minha bunda inteira do Canadá pro Brasil no meio duma pandemia, e aí pego Covid no meio da gravação e não posso gravar mais, que desgraça [seria]? Eu estava bebendo álcool em gel", brinca ela.

Além de Gretchen e Kelly Key, a segunda temporada de A Culpa É da Carlota conta com a participação virtual de Alvaro, Cátia Damasceno, Isadora Nogueira, Gabriel Laddy Nada, Giselle Batista, Letticia Muniz, Lucas Guedez, Renato Albani e Vitor diCastro. Os programas inéditos irão ao ar toda terça-feira, no Comedy Central.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do início do BBB21?